Filmes por gênero

FLOR DE CACTO (1969)

Cactus Flower
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: A flor do cacto (Portugal)
Fleur de cactus (França)
Fiore di cactus (Itália)
Flor de cactus (Espanha, Argentina, México)
Die Kaktusblüte (Alemanha)
Kaktusblomman (Suécia)
De Cactusbloem (Holanda)
Кактус (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Comédia Romântica
Direção: Gene Saks
Roteiro: I.A.L. Diamond
Produção: M.J. Frankovich
Design Produção: Robert Clatworthy
Música Original: Quincy Jones
Coreografia: Miriam Nelson
Fotografia: Charles Lang
Edição: Maury Winetrobe
Figurino: Moss Mabry
Guarda-Roupa: Guy C. Verhille
Maquiagem: John O'Gorman
Efeitos Sonoros: Whitey Ford, Arthur Piantadosi
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1970

Elenco

Walter Matthau Dr. Julian Winston
Ingrid Bergman Stephanie Dickinson
Goldie Hawn Toni Simmons
Jack Weston Harvey Greenfield
Rick Lenz Igor Sullivan
Vito Scotti Señor Arturo Sánchez
Irene Hervey Sra. Durant
Eve Bruce Georgia
Irwin Charone Gerente da Loja
Matthew Saks Sobrinho
Rick Lamson Maître
Linda Burton Garçonete
Merriana Henriq Garçonete
Hy Chase Garçom
Lee Harris Garçom
Ralph Roberts Garçom
Mary Jane Mangler Dançarina
Lucy Saroyan Dançarina
Barbara Randolph Vendedora de cigarros

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Goldie Hawn)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Goldie Hawn)

Prêmios David di Donatello, Itália

David Especial (Goldie Hawn)

Indicações

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Musical/Comédia

Prêmio de Melhor Atriz em um Musical ou Comédia (Ingrid Bergman)

Prêmio de Melhor Revelação Feminina (Goldie Hawn)

Prêmio de Melhor Canção Original (Quincy Jones, Cynthia Weil)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Atriz (Goldie Hawn)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Comédia adaptada de outro meio de comunicação (I.A.L. Diamond)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Toni Simmons, funcionária de uma loja de discos de vinte e um anos, e o dentista casado de meia idade, Dr. Julian Winston, estão apaixonados um pelo outro. Ela valoriza a honestidade acima de tudo, mas seu relacionamento é baseado em uma mentira: Julian não é casado.

Quando ele disse a ela tal mentira, ou seja, que era casado e pai de três filhos, ele o fez como uma forma de evitar um compromisso de longo prazo. No entanto, como reação, ela tentou cometer suicídio inalando gás de um fogão, sendo salva por seu vizinho, Igor Sullivan, que ao sentir o cheiro do gás, usou a técnica de respiração boca a boca, que evoluiu para um beijo depois que ela recuperou a consciência.

Ao tomar conhecimento do ocorrido, Julian muda de ideia e passa a desejar realmente assumir o compromisso do casamento com Toni. No entanto, como ela valoriza a honestidade acima de tudo, ele sente que não pode agora dizer simplesmente que não é casado. Por outro lado, como Toni não deseja ser uma destruidora de lares, ela insiste em conhecer a atual esposa de seu amado para ter certeza de que o casamento deles esteja de fato terminado.

Diante de tal situação, Julian pede à sua eficiente, leal e dedicada recepcionista, Stephanie Dickinson, para se passar como sua esposa. Solteirona de meia idade, inicialmente ela rejeita tal proposta, mas finalmente muda de ideia, já que há muito tempo tem uma queda por seu empregador.

Com o passar dos dias, Toni percebe que há um sentimento muito forte de Stephanie para com Julian. Paralelamente, o Señor Arturo Sánchez, um dos clientes de Julian, e seu amigo Harvey Greenfield, o incentivam a investir no amor de sua recepcionista.

No final, suspeitando fortemente da falta de confiança de Julian, Toni resolve deixá-lo por Igor, enquanto ele finalmente se apaixona por Stephanie.

imagem

Comentários

Realizada pelo cineasta Gene Saks, a partir de um roteiro escrito por I.A.L. Diamond, “Flor de Cacto” é uma comédia romântica norte-americana produzida pelas empresas Columbia Pictures Corporation e Frankovich Productions em 1969. Sua trama, baseada numa peça de Pierre Barillet e Jean-Pierre Grédy, conta a história de um dentista que tem um caso com uma jovem de espírito livre, vinte e cinco anos mais nova, totalmente inconsciente de que sua auxiliar é perdidamente apaixonada por ele.

Embora não seja extraordinária, a direção de Saks  se mostra bastante segura, além de proporcionar inúmeras cenas de humor ao longo da projeção. Merece, igualmente, registro, a maravilhosa trilha sonora escrita e adaptada pelo lendário Quincy Jones, com destaque para o tema principal, “A time for Love is anytime”, por ele escrito e interpretado por Sarah Vaughan durante os créditos de abertura e fechamento.

No elenco, Ingrid Bergman e Goldie Hawn brilham em seus respectivos papéis, seguidas pelas boas atuações de Walter Matthau e Jack Weston.

CAA