Filmes por gênero

TOMATES VERDES FRITOS (1991)

Fried green tomatoes
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Mulheres do sul (Portugal)
Beignets de tomates vertes (França)
Pomodori verdi fritti - Alla fermata del treno (Itália)
Fried Green Tomatoes at the Whistle Stop Cafe (Reino Unido)
Grüne Tomaten (Alemanha)
Stekta gröna tomater på Whistle Stop Café (Suécia)
Stegte grønne tomater (Dinamarca)
Smazone zielone pomidory (Polônia)
Жареные зеленые помидоры (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: Jon Avnet
Roteiro: Fannie Flagg, Carol Sobieski
Produção: Jon Avnet, Jordan Kerner
Design Produção: Barbara Ling
Música Original: Thomas Newman
Fotografia: Geoffrey Simpson
Edição: Debra Neil-Fisher
Direção de Arte: Larry Fulton
Figurino: Elizabeth McBride
Guarda-Roupa: Askia Won-Ling Jacob, Amanda Zenil, Y. Cervantes, Mitzi Haralson
Maquiagem: Fern Buchner, Patrice Coleman, Gene Witham
Efeitos Sonoros: Mary H. Ellis, Alan Robert Murray, Walter Newman e outros
Efeitos Especiais: Larry Reid
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1992

Elenco

Kathy Bates Evelyn Couch
Mary Stuart Masterson Idgie Threadgoode
Mary-Louise Parker Ruth Jamison
Jessica Tandy Ninny Threadgoode
Cicely Tyson Sipsey
Chris O'Donnell Buddy Threadgoode
Stan Shaw Big George
Gailard Sartain Ed Couch
Tim Scott Smokey Lonesome
Gary Basaraba Grady Kilgore
Lois Smith Mama Threadgoode
Jo Harvey Allen Professora
Macon McCalman Promotor
Richard Riehle Reverendo Scroggins
Raynor Scheine Xerife Curtis Smoote
Grace Zabriskie Eva Bates
Afton Smith Leona Threadgoode
Danny Nelson Papa Threadgoode
Nancy Moore Atchison Idgie, quando criança
Constance Shulman Missy
Nick Searcy Frank Bennett
Grayson Fricke Buddy Threadgoode Jr.
Genevieve Fisher Peggy Hadley
Tom Even Juiz
Bob Hannah Advogado de defesa
Fannie Flagg Professora
Suzi Bass Enfermeira
Wallace Merck Membro da Ku Klux Klan
Evan Lockwood Tim

Prêmios

Prêmios para Jovens Artistas, EUA

Prêmio de Melhor Atriz com 10 anos ou menos (Nancy Moore Atchison)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Jessica Tandy)

Oscar de Melhor Roteiro Adaptado (Fannie Flagg, Carol Sobieski )

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Atriz (Jessica Tandy)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Kathy Bates)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Musical ou Comédia

Prêmio de Melhor Atriz em um Musical ou Comédia (Kathy Bates)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Jessica Tandy)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro baseado em material previamente publicado (Fannie Flagg, Carol Sobieski )

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

No Alabama, Evelyn Couch é uma dona-de-casa emocionalmente reprimida, que habitualmente afoga suas mágoas comendo doces.  Ed, o marido dela, quase não nota sua existência.  Toda semana, eles vão visitar uma tia de Ed, numa clínica para idosos, mas a tia visitada nunca permite que Evelyn entre no quarto.

Certo dia, enquanto espera que o marido termine sua visita, Evelyn conhece Ninny Threadgoode, uma senhora de 83 anos que adora contar histórias.  Nas semanas subseqüentes, enquanto Ed visita a parente, Evelyn fica horas a ouvir Ninny.  Esta decide contar a história de uma pessoa da família muito querida, Idgie Threadgoode.  A cada semana, Ninny retoma a história a partir do ponto em que a mesma foi interrompida na visita anterior.

Assim, Evelyn fica sabendo que Idgie, desde criança, em 1920, sempre foi muito apegada ao irmão, Buddy.  Quando este morreu, atropelado por um trem, ela se isolou de todos.  Somente Big George sabia onde encontrá-la.  

Preocupada com a filha, agora adolescente, sua mãe convidou Ruth Jamison, amiga de Idgie, para passar o verão em sua casa, período em que cuidaria das atividades dos jovens na Igreja.  Tempos depois, Ruth fez a maior tolice de sua vida ao se casar com Frank Bennett, um homem grosseiro que a espancava, além de ser secretamente membro da Ku Klux Klan.

Sabendo da vida que a amiga levava na Georgia, Idgie viajou até lá, em companhia de Big George, a fim de tentar convencer a amiga a deixar o marido e voltar com eles para o Alabama.  Quando todos estavam se preparando para voltar, Frank chegou iniciando uma briga.  Eles deixam Frank no chão e retornam com Ruth e o filho.  Com a ajuda da família, Idgie e Ruth abrem uma lanchonete.

Um dia, Frank apareceu no Alabama e ameaçou Ruth.  A seguir, com ajuda de seus companheiros da Ku Klux Klan, ele deu uma surra em Big George.  Idgie e o xerife local, Grady Kilgore, chegaram ao local e exigiram que o soltassem.  De uma outra vez, ele tentou raptar seu filho, que se achava sob a guarda de Ruth, mas foi impedido.

Semanas depois, chegou ao local, o xerife Curtis Smoote, da Georgia, a fim de encontrar pistas que o levassem a Frank, já que testemunhas alegaram que ele teria vindo ao Alabama buscar sua mulher e seu filho e que, até aquela data, não teria retornado.

Cinco anos se passaram desde o desaparecimento de Frank.  O xerife Smoote continuava em suas investigações, quando finalmente encontrou a camioneta de Frank no fundo do rio local.  Idgie e Big George foram presos e acusados de terem assassinado Frank.

Ela foi a julgamento, na Georgia, sendo inocentada pelo juiz, que julgou a morte de Frank como tendo sido causada por dirigir embriagado.  Alguns meses depois, Ruth foi acometida de câncer, morrendo rapidamente.

Cada vez mais empolgada com a história contada por Ninny, e se sentindo a ela ligada por laços de uma sólida amizade, Evelyn chega em casa e comunica a Ed que vai trazer Ninny para morar com eles.  Ed reage energicamente, mas ela está decidida a trazer sua amiga a qualquer preço.

Ao encontrá-la, duas revelações feitas por Ninny, deixam algumas questões no ar:

-  Que Smokey Lonesome, um antigo admirador de Ruth, em legítima defesa, teria morto Frank e, em seguida, fugido;

-  Que, naquela noite, a Lanchonete teria servido churrasco de Frank;

-  Que Ninny Threadgoode e Idgie Threadgoode podem ser a mesma pessoa.  Assim, a história contada por Ninny à Evelyn teria sido sua própria história.

imagem

Comentários

"Tomates Verdes Fritos" é um ótimo filme.  Realizado pelo cineasta Jon Avnet, conta duas histórias numa só, sobre quatro mulheres.  A história de Idgie e Ruth e suas aventuras é magnífica.  E a amizade que se forma entre Evelyn e Ninny, emocionante.

A pessoa que mais contribuiu para o sucesso dessa produção chama-se Fannie Flagg, que escreveu o livro, co-assinou o roteiro e ainda fez uma ponta no papel de uma professora.

O roteiro, embora um pouco complexo, é fabuloso.  Usando de flashbacks, procura mostrar como os principais relacionamentos nasceram, se desenvolveram e se transformaram em algo mais forte.  A trilha sonora se amolda perfeitamente às situações vividas pelos personagens.

O elenco, entretanto, é de longe o ponto mais alto do filme.  Todos os principais personagens são magníficos, intensos, parecem reais.  Kathy Bates e Jessica Tandy chegaram a ser indicadas a vários prêmios, mas Mary Stuart Masterson e Mary-Louise Parker também nos brindam com atuações fabulosas.  Merece, ainda, ser citado o trabalho da premiada atriz-mirim, Nancy Moore Atchison.

CAA