Filmes por gênero

NINGUÉM CRÊ EM MIM (1949)

The window
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: O que viram os meus olhos (Portugal)
Une incroyable histoire (França)
La finestra socchiusa (Itália)
La ventana (Argentina, Espanha, México)
Das unheimliche Fenster (Austria, Alemanha)
Fönstret (Suécia)
Ikkuna (Finlândia)
Vinduet (Dinamarca)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Filme Noir, Suspense
Direção: Ted Tetzlaff
Roteiro: Mel Dinelli
Produção: Frederic Ullman Jr., Dore Schary
Música Original: Roy Webb
Direção Musical: C. Bakaleinikoff
Fotografia: Robert De Grasse, William O. Steiner
Edição: Frederic Knudtson
Direção de Arte: Albert S. D'Agostino, Walter E. Keller, Sam Corso
Maquiagem: Mel Berns, Gene Romer
Efeitos Sonoros: Terry Kellum, Earl A. Wolcott
Efeitos Especiais: Russell A. Cully
Nota: 8.9
Filme Assistido em: 1990

Elenco

Barbara Hale Sra. Mary Woodry
Arthur Kennedy Sr. Ed Woodry
Bobby Driscoll Tommy Woodry
Paul Stewart Joe Kellerson
Ruth Roman Sra. Jean Kellerson
Anthony Ross Ross
Carl Faulkner Policial
Budd Fine Policial
Charles Flynn Policial
Lloyd Dawson Policial
Eric Mack Policial
Lee Phelps Policial
Brick Sullivan Policial
Lee Kass Repórter
Tex Swan Leiteiro
Richard Benedict Marinheiro embriagado
Jim Nolan Estranho na rua

Prêmios

Prêmios Edgar Allan Poe

Prêmio de Melhor Filme (Mel Dinelli)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Edição (Frederic Knudtson)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de um Drama Americano (Mel Dinelli)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Tommy Woodry, de nove anos de idade, gosta de contar histórias para seus pais, Mary e Ed, e para outras crianças de seu bairro residencial em Nova York. Quando seus pais descobrem que ele se gabou, para o desavisado senhorio, que eles se mudarão para o Texas em breve, Tommy é repreendido e enviado para a cama. 

Incapaz de dormir por causa do calor opressivo do verão, Tommy leva seu travesseiro para a escada de incêndio no último andar de seu prédio e adormece do lado de fora do apartamento de Joe e Jean Kellerson. Durante a noite, Tommy acorda e, percebendo uma luz na sala dos Kellersons, espia sob a cortina semicerrada da janela. Tommy vê Joe vasculhando o bolso da calça de um marinheiro inconsciente, que de repente acorda e começa a lutar. Depois que Joe esfaqueou o marinheiro com uma tesoura, matando-o, Tommy corre de volta para casa para contar à sua mãe o que ele testemunhou. Mary, no entanto, garante a Tommy que ele teve um pesadelo e o garoto, confuso, volta para sua cama. Poucos minutos depois, Tommy percebe que deixou seu travesseiro na escada de incêndio e foge para recuperá-lo, sem saber que os Kellersons estão depositando o cadáver do marinheiro no cortiço deserto ao lado. 

Na manhã seguinte, depois que seu pai, que trabalha no turno da noite, volta para casa, Tommy repete sua história. Embora Ed avise seu filho para parar de inventar histórias cruéis, e Mary ordene que ele fique em seu quarto, Tommy foge do apartamento e vai para a Delegacia de Polícia mais próxima. Lá, ele conta a dois detetives da polícia sobre o assassinato. Um dos detetives, Ross, relutantemente concorda em verificar a história, mas mesmo assim o detetive decide inspecionar a casa dos Kellersons. Posando como um avaliador de reparos, Ross examina o apartamento em ruínas, mas não encontra nada em comum. Depois que Ross sai, Mary arrasta Tommy escada acima para se desculpar com Jane. Quando Mary ordena que Tommy diga à Jane exatamente o que tem dito sobre ela e Joe, Tommy apavorado se recusa a falar.

Naquela noite, Mary recebe um telegrama de seu cunhado Charlie, informando-a que sua irmã doente piorou e precisa dela. Convencido de que os Kellersons enviaram o telegrama para buscá-lo sozinho, Tommy implora à mãe que o leve à casa do tio. Para acalmar Tommy, Ed sugere que liguem para Charlie da Drogaria local. Embora Charlie assegure a Tommy que ele realmente enviou o telegrama, o menino continua com medo e, depois que seus pais partem, ele se prepara para fugir de casa. Tommy escreve um bilhete de despedida e está saindo pela porta quando Ed retorna inesperadamente. Ed repreende o filho por tentar fugir e o tranca no quarto. Assim que Ed sai, Joe invade o apartamento dos Woodrys. Quando confrontado por Joe, Tommy deixa escapar tudo o que sabe e é forçado a entrr em um beco por seus vizinhos agora desesperados. Tpmmy escapa do beco, mas os Kellerson acabam encurralando-o em uma estação do metrô e o forçam a entrar em um táxi. No caminho para casa, Tommy grita com um policial que passava, mas os Kellersons facilmente convencem o policial de que Tommy é seu filho travesso.

 Quando Tommy continua a protestar no táxi, Joe o nocauteia com um único soco e depois coloca o menino inconsciente na grade da escada de incêndio do cortiço. Jane protesta contra o assassinato a sangue frio, no entanto, e inadvertidamente distrai Joe por tempo suficiente para que o agora revivido Tommy fuja. Quando Ed volta para casa mais uma vez e descobre que Tommy está desaparecido, Joe persegue o menino pelos telhados até o cortiço condenado. Lá, Tommy tropeça no corpo do marinheiro em um armário do último andar e grita, entregando seu esconderijo. Enquanto Joe persegue Tommy em uma viga exposta, o prédio começa a desabar e Joe cai para a morte. A polícia, então, convence o pendurado Tommy a pular em uma rede de incêndio, e o menino se reencontra feliz com seus pais. Mais tarde, Ed promete ao filho que nunca mais duvidará de suas histórias, enquanto Tommy jura a seus pais que nunca mais inventará outra história.


imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Ted Tetzlaff, a partir de um roteiro escrito por Mel Dinelli, "Ninguém Crê em Mim" é um filme produzido em 1949 pela RKO Radio Pictures.
 
Na direção, Tetzlaff realiza um excelente trabalho, no que é ajudado por uma fotografia bastante eficaz, ao conseguir enfatizar a natureza claustrofóbica de diversos locais. O elenco, como um todo, merece elogios, mas o que mais me chamou atenção foi a atuação de Bobby Driscoll, um garoto de apenas nove anos de idade.
 
Enfim, "Ninguém Crê em Mim" é um filme que recomendo fortemente.
 
CAA