Filmes por gênero

CHAMAS QUE NÃO SE APAGAM (1956)

There's always tomorrow
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: A vida não para (Portugal)
Demain est un autre jour (França)
Quella che avrei dovuto sposare (Itália)
Siempre hay un mañana (Espanha)
Pasión otoñal (México)
Morgen komt nog een dag (Bélgica)
Avontuur der eenzamen (Holanda)
Es gibt immer ein Morgen (Austria, Alemanha)
Onni päättyy huomenna (Finlândia)
Всегда есть завтра (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Romance
Direção: Douglas Sirk
Roteiro: Bernard C. Schoenfeld
Produção: Ross Hunter
Música Original: Heinz Roemheld, Herman Stein
Direção Musical: Joseph Gershenson
Fotografia: Russell Metty
Edição: William Morgan
Direção de Arte: Alexander Golitzen, Eric Orbom
Figurino: Jay A. Morley Jr.
Guarda-Roupa: Joan Joseff
Maquiagem: Bud Westmore
Efeitos Sonoros: Leslie I. Carey, Joe Lapis
Nota: 9.0
Filme Assistido em: 1992

Elenco

Barbara Stanwyck Norma Miller Vale
Fred MacMurray Clifford Groves
Joan Bennett Marion Groves
Gigi Perreau Ellen Groves
William Reynolds Vinnie Groves
Pat Crowley Ann
Jane DarwellMr Sra. Rogers
Race Gentry Bob
Myrna Hansen Ruth
Judy Nugent Frances Groves
Helen Kleeb Srta. Walker
Jane Howard Florista
Frances Mercer Ruth Doran
Fred Nurney Turista
Hermine Sterler Esposa do turista
Dorothy Bruce Gerente de Vendas
Jean Byron Srta. Byron, vendedora
Hal Smith Barman
Richard Mayer Sr. Mayer
Carlyle Mitchell Sr. Carl
James Rawley Jack
Mack Williams Funcionário do Hotel de Norma
Sheila Bromley Mulher de Pasadena
Patrick Miller .
Bert Stevens .

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Clifford Groves é um empresário californiano de meia idade, casado com três filhos. Sua mulher, Marion, é adorável, bonita, elegante, simpática, uma dona de casa perfeita. Seus três filhos são boas pessoas. Sua empresa, uma fábrica de brinquedos que começou bem pequena e cresceu, lhe proporciona uma vida tranquila e confortável. Os Groves moram numa boa casa de uma agradável cidade californiana, não muito distante de Los Angeles. A rigor, a vida é até tranquila demais.
 
Quando Marion faz aniversário, Clifford compra flores e ingressos para uma peça musical num dos grandes teatros de Los Angeles, por ela ter demonstrado interesse de assisti-la.  Marion, no entanto, não pode ir porque o caçula, Frankie, de uns oito anos, tem uma apresentação de balé na escola, o que faz com que Clifford ofereça as duas entradas para seu filho mais velho, Vinnie, de dezoito anos, mas ele já tem outro programa com a namorada, Ann. A filha do meio, Ellen, de uns treze anos, vai dormir na casa de uma amiga. Até para a velha senhora que trabalha para a família, ele oferece os ingressos, mas ela também não pode ir.
 
Logo depois, a campainha toca e Clifford vai abrir a porta. Ao abri-la, ele não reconhece de imediato a mulher que acabou de chegar. Ele sabe que a conhece, mas não se lembra de onde. Na verdade, ele a conhecera vinte e poucos anos antes, quando ela trabalhou em sua fábrica, desenhando roupas para as bonecas. Em seguida, ela se mudou para Nova York, onde fez uma carreira invejável no mundo da moda. Ela se encontrava na Califórnia em viagem de negócios. Chama-se agora Norma Vale, após um casamento já acabado. Ela tinha telefonado diversas vezes, mas o telefone estava sempre ocupado, o que fez com que ela decidisse fazer uma visita sem avisar antes. Depois de conversarem um pouquinho, Clifford lembra-se que ainda há tempo de ir ao espetáculo musical. Será que Norma gostaria de ir?

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Douglas Sirk, a partir de um roteiro escrito por Bernard Schoenfeld, "Chamas Que Não Se Apagam" é um filme norte-americano produzido em 1955 pela Universal International Pictures.
 
Na direção, Sirk realiza um ótimo trabalho, no que é ajudado por uma excelente fotografia em preto e branco, a cargo de Russell Metty, e por uma bela trilha sonora, onde se destaca a canção "Blue Moon", de Richard Rodgers e Lorenz Hart. No elenco, com memoráveis atuações, destacam-se Fred MacMurray e Joan Bennett nos principais papéis. 
 
CAA