Filmes por gênero

VAGAS ESTRELAS DA URSA (1965)

Vaghe Stelle Dell'Orsa
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Vagues étoiles de la grande ourse (França)
Sandra (Portugal, Espanha, USA)
Sandra - Die Triebhafte (Alemanha)
Atavismo impúdico (Argentina)
Tuhon tähdet (Finlândia)
Vagas estrellas de la osa mayor (México)
Błędne gwiazdy Wielkiej Niedźwiedzicy (Polônia)
Karlavagnens bleka stjärnor (Suécia)
Туманные звезды Большой Медведицы (União Soviética)
Pais: Itália, França
Gênero: Drama, Mistério, Guerra
Direção: Luchino Visconti
Roteiro: Luchino Visconti, Suso Cecchi d'Amico, Enrico Medioli
Produção: Franco Cristaldi
Fotografia: Armando Nannuzzi
Edição: Mario Serandrei
Figurino: Bice Brichetto
Guarda-Roupa: Adriana Masseroni, Lucia Baldacci
Maquiagem: Michele Trimarchi
Efeitos Sonoros: Bruno Borghi, Claudio Maielli
Nota: 8.6
Filme Assistido em: 2007

Elenco

Claudia Cardinale Sandra Dawson
Michael Craig Andrew Dawson
Jean Sorel Gianni Wald-Luzzati
Marie Bell Sra. Gilardini, mãe de Sandra
Renzo Ricci Antonio Gilardini
Fred Williams Pietro Formari
Amalia Troiani Fosca, a empregada
Oscar Brazzi Convidado na festa
Glenn Saxson Convidado na festa
Vittorio Manfrino .
Giovanni Rovini .
Renato Moretti .
Paola Piscini .
Isacco Politi .

Prêmios

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio Leão de Ouro (Luchino Visconti)

Prêmio New Cinema de Melhor Filme (Luchino Visconti)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Fotografia (Armando Nannuzzi )

Indicações

Cahiers du Cinéma

Prêmio de um dos dez melhores filmes (2º lugar)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Roteiro (Suso Cecchi D'Amico, Enrico Medioli, Luchino Visconti)

Sinopse

Quando de uma viagem à Europa para investigar casos que ocorreram no campo de concentração nazista de Auschwitz, durante a 2ª guerra mundial, o norte-americano Andrew Dawson se casa em Genebra, Suiça, com uma bela mulher italiana, Sandra. Em seguida, durante uma festa para a alta sociedade local, onde se encontram pessoas falando francês, italiano, inglês e alemão, Sandra, a dona da casa que estava cuidando para que todos fossem muito bem servidos, interrompe  sua atitude para ouvir uma bela música que estava sendo tocada ao piano, ocasião em que o marido percebe que ela ficou subitamente alheia a tudo. Quando Andrew se aproxima e lhe pergunta se ela está bem, ela lhe fala sobre o que aquela música lhe faz lembrar.
 
Pouco tempo depois, quando os convidados se despedem do casal, Andrew e Sandra tomam uma última dose da bebida e pedem aos garções que se apressem, uma vez que, no dia seguinte, eles vão viajar bem cedo. Como planejado, ao amanhecer, o casal pega a estrada e segue para Volterra, uma pequena cidade milenar da Toscana, onde Sandra nasceu e se criou, conhecida por suas construções anteriores ao Império Romano e por sua sociedade provinciana. A finalidade da viagem é participarem da cerimônia de inauguração de um monumento em memória do pai de Sandra, denunciado como judeu durante a 2ª guerra mundial e morto pelos nazistas em Auschwitz. 
 
Ao chegar à antiga mansão da família de Sandra, com cerca de cem cômodos, o casal é recebido pela Sra. Fosca, uma idosa empregada da família. Na ocasião, quando a Sra. Fosca comenta que Gianni, o irmão de Sandra que mora em Londres tem vindo visitar Volterra de vez em quando, Sandra nega, afirmando que a empregada está enganada. A menção a Gianni, no entanto, deixa Sandra assustada, quase em pânico, e ao mesmo tempo, fascinada, excitada. Pouco tempo depois, nesse mesmo dia, quando Gianni aparece, as expressões de susto e fascinação são claras, evidentes, nos grandes olhos de Sandra.
 
Na ocasião, ele lhe fala sobre o livro que escreveu sobre a vida deles. Assim, Andrew logo fica sabendo dos traumas e dramas da vida da esposa, como a mãe dela, uma pianista famosa, passou a sofrer de uma enfermidade mental, como seu padrasto sofre com as acusações de que ele teria denunciado o pai para se casar com a mãe, além da relação ambígua e incestuosa de Sandra e o irmão.

imagem

Comentários

Realizado pelo grande cineasta Luchino Visconti, a partir de um roteiro por ele escrito, juntamente com Suso Cecchi d"Amico e Enrico Medioli, "Vagas Estrelas da Ursa" é um ótimo filme italiano que estreou no Brasil em 15 de setembro de 1965, quando da realização do Festival Internacional de Cinema do Rio de Janeiro.
 
Na direção, Visconti realiza um ótimo trabalho, que lhe rendeu o prêmio de melhor filme do ano, quando da edição da conhecida revista francesa, "Cahiers du Cinéma". Ainda na área técnica, merece igualmente registro a ótima fotografia a cargo de Armando Nanniezzi, bem como sua trilha sonora, onde se destacam as músicas "Prelude, chorale and fugue", escrita por César Franck, "E se domani", de Carlo A. Rossi e Giorgio Calabrese, "Strip Cinema", de Pino Calvi, "Io che non vivo", de Pino Donaggio e Vito Pallavicini, dentre outras. 
 
No elenco, o maior destaque é a bela atriz Claudia Cardinale, na época com 27 anos, seguida pelas boas atuações de Jean Sorel e Michael Craig. 
 
Finalmente, "Vagas Estrelas da Ursa" é um filme que recomendo fortemente.
 
CAA