Filmes por gênero

A MEGERA DOMADA (1967)

La bisbetica domata
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: The taming of the shrew (Estados Unidos)
A fera amansada (Portugal)
La mégère apprivoisée (França)
La mujer indomable (Espanha)
La fierecilla domada (México)
Der Widerspenstigen Zähmung (Austria)
Så tuktas en argbigga (Suécia)
Trold kan tæmmes (Dinamarca)
Укрощение строптивой (União Soviética)
Pais: Itália, Estados Unidos
Gênero: Comédia, Drama, Romance
Direção: Franco Zeffirelli
Roteiro: Paul Dehn, Franco Zeffirelli, Suso Cecchi d'Amico
Produção: Richard McWhorter, Elizabeth Taylor
Design Produção: Lorenzo Mongiardino
Música Original: Nino Rota
Direção Musical: Carlo Savina
Fotografia: Oswald Morris
Edição: Peter Taylor
Direção de Arte: Giuseppe Mariani, Elven Webb
Figurino: Danilo Donati
Guarda-Roupa: Gloria Musetta, Irene Sharaff
Maquiagem: Agnes Flanagan, Ron Berkeley, Frank La Rue e outros
Efeitos Sonoros: David Hildyard, Aldo De Martino, John Aldred, Graham Harris
Efeitos Especiais: Augie Lohman
Efeitos Visuais: Doug Ferris, Gerald Larn
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1968

Elenco

Elizabeth Taylor Katharina
Richard Burton Petruchio
Michael Hordern Baptista
Natasha Pyne Bianca
Michael York Lucentio
Mark Dignam Vincentio
Alfred Lynch Tranio
Alan Webb Gremio
Cyril Cusack Grumio
Giancarlo Cobelli O Padre
Ken Parry Tailor
Roy Holder Biondello
Victor Spinetti Hortensio
Bice Valori A viúva
Alberto Bonucci Nathaniel
Roberto Antonelli Philip
Gianni Magni Curtis
Lino Capolicchio Gregory
Michael Wilding Jr. .
Tina Perna .
Anthony Gardner .

Prêmios

Prêmios David di Donatello, Itália

David de Melhor Ator Estrangeiro (Richard Burton)

Prêmio de Melhor Produção de um Filme Estrangeiro

David de Melhor Atriz Estrangeira (Elizabeth Taylor)

Prêmios Cálices de Ouro, Itália

Taça de Ouro (Franco Zeffirelli)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Figurino (Danilo Donati)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Direção de Arte - Decoração de Cenários (Lorenzo Mongiardino, John DeCuir, Elven Webb, G. Mariani, Dario Simoni, Luigi Gervasi)

Oscar de Melhor Figurino (Irene Sharaff, Danilo Donati)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Ator Britânico (Richard Burton)

Prêmio de Melhor Atriz Britânica (Elizabeth Taylor)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Musical ou Comédia

Prêmio de Melhor Ator em um Musical ou Comédia (Richard Burton)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Design de Produção (Giuseppe Mariani)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Um rico comerciante de Pádua, chamado Baptista, tem duas lindas filhas, a indisciplinada e mal-humorada Katharina, e a doce e adorável Bianca. Os muitos pretendentes à mão de Bianca se mostram consternados com a recusa de Baptista em não atender aos seus pedidos, enquanto a mais idosa, Katharina, permanecer solteira.

Lucentio, um jovem estudante de Pisa, tomado pela beleza de Bianca, se apresenta como professor de línguas, na esperança de poder fazer a corte à jovem. Enquanto isso, Petruchio, um nobre falido de Verona, chega à cidade em busca de um bom casamento e se apaixona pela ideia de se casar com Katharina, proposta feita a ele por seu amigo Hortensio. Embora inicialmente seja vítima do escárnio e do abuso de Katharina, ele calmamente elogia seus inúmeros encantos e anuncia que se casarão no domingo seguinte.

No dia do casamento, ele chega atrasado e embriagado, vestindo roupas indecorosas. Mas apesar da apreensão de todos, a cerimônia é realizada e Petruchio parte, em seguida, com sua noiva protestando, para sua casa de campo em ruínas. Lá, sob o pretexto de seu grande amor por Katharina, ele rejeita todo tipo de conforto e luxo, afirmando que os mesmos são indignos dela. Assim, impondo algumas privações à nova esposa, ele termina por amansá-la.

Depois que Lucentio revela ser filho do respeitado Vincentio, de Pádua, ele finalmente recebe a tão sonhada permissão para se casar com sua amada Bianca. Katharina e Petruchio são convidados para a festa de casamento, onde ele afirma que Katharina é a esposa mais devota e obediente que existe no mundo. E para espanto de todos, ela envergonha todas as outras mulheres, dando-lhes uma contundente palestra sobre as virtudes da obediência conjugal.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Franco Zeffirelli, a partir de um roteiro por ele escrito, juntamente com Paul Dehn e Suso Cecchi d'Amico, “A Megera Domada” é um filme ítalo-americano produzido pelas empresas Columbia Pictures Corporation, Royal Films International e F.A.I. Films Artistici Internazionali em 1967. Sua trama, baseada numa obra de Shakespeare, caracteriza-se pela personagem feminina forte, pelas questões ligadas aos costumes sociais e pela guerra dos sexos.

Na direção, Zeffirelli, demonstrando mais uma vez seu completo domínio da câmera, nos brinda com mais um belo trabalho. Na área técnica, merecem igualmente ser citados o admirável figurino de Danilo Donati, a fotografia a cargo de Oswald Morris e a bela trilha sonora assinada por Nino Rota.

No elenco, Elizabeth Taylor e Richard Burton brilham e encantam como Katharina e Petruchio.

CAA