Filmes por gênero

AMOR À ITALIANA (1965)

Strange bedfellows
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Quarto para dois (Portugal)
Etranges compagnons de lit (França)
Strani compagni di letto (Itália)
Habitación para dos (Espanha)
Marido a medias (México, Argentina)
Fremde bettgesellen (Alemanha)
Sängkamrater (Suécia)
Sengekammerater (Dinamarca)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Comédia
Direção: Melvin Frank
Roteiro: Melvin Frank, Michael Pertwee
Produção: Melvin Frank, Norman Panama
Música Original: Leigh Harline
Direção Musical: Joseph Gershenson
Fotografia: Leo Tover
Edição: Gene Milford
Direção de Arte: Alexander Golitzen, Joseph C. Wright
Guarda-Roupa: Jean Louis
Maquiagem: Bud Westmore
Efeitos Sonoros: Waldon O. Watson, Corson Jowett
Efeitos Visuais: Jim Danforth
Nota: 7.0
Filme Assistido em: 1965

Elenco

Rock Hudson Carter Harrison
Gina Lollobrigida Toni Vincente
Gig Young Richard Bramwell
Edward Judd Harry Jones
Howard St. John Julius L. Stevens
Dave King Motorista de Taxi
Peggy Rea Mavis Masters
Joseph Sirola Petracini
Nancy Kulp Mulher agressiva
Frederick Worlock Martindale, advogado
Bernard Fox Policial
Edith Atwater Sra. Stevens
Nora Marlowe Sra. Carmody, empregada de Toni
Simon Scott Jim Slade, advogado
Kanan Awni Xeque
Dinah Ann Rogers Secretária
James McCallion Idoso
Arthur Haynes Motorista de Taxi
John Orchard Funcionário da Rádio
Alan Caillou Magistrado
Henry Corden Intérprete do Xeque

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Richard Bramwell, relações públicas de uma empresa petrolífera americana, chega à Londres para limpar a "imagem corporativa" de Carter Harrison, um jovem executivo destinado a se tornar presidente do ramo internacional da empresa. É que, sete anos antes, Carter conhecera Toni Vincente, uma escultora italiana bastante geniosa e imprevisível, além de uma boêmia incorrigível. De forma impulsiva e tempestuosa, eles se casaram, mas logo depois descobriram que não tinham nada em comum e se separaram.

Agora, passados todos esses anos, os dois decidiram entrar com um processo de divórcio para oficializarem a separação. No entanto, ao se encontrarem para discutir os termos do processo, eles reavivam a velha chama e desistem de ir em frente. Pouco tempo depois, entretanto, ele descobre que ela continua imprevisível e tempestuosa, no momento planejando uma marcha de protesto contra a Embaixada dos Estados Unidos, onde pretende desfilar como Lady Godiva, nua em cima de um cavalo.

Desolado, ele volta a romper com a relação, mas ao receber uma promoção que só poderá se concretizar se ele continuar casado, ele procura Richard e, juntos, planejam uma forma de retardarem o divórcio. Quando Toni descobre a artimanha, ela corre para o local onde desfilará como Lady Godiva. Desesperado, Carter a segue, provocando propositadamente um distúrbio no trânsito, levando todos ao tribunal.

Durante o julgamento que se segue, Carter repudia sua defesa, alegando que fez tudo pelo amor de Toni, que logo se derrete em seus braços. Contrariado, Julius Stevens, presidente da empresa petrolífera, demite Carter e Richard, mas atendendo aos sentimentos de sua esposa, ele volta atrás e os readmite.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Melvin Frank, a partir de um roteiro por ele escrito, juntamente com Michael Pertwee, “Amor à Italiana” é uma comédia produzida pelas empresas Universal Pictures, Fernwood Productions Inc., Franic Production e Panama Production em 1965. Sua trama, baseada numa história do próprio Melvin, juntamente com Norman Panama, embora interessante, deixa um pouco a desejar.

A direção se mostra apenas razoável, pecando principalmente pelo ritmo imposto à narrativa. Por outro lado, a fotografia de Leo Tover é, sem nenhuma dúvida, um dos poucos quesitos que merecem elogios. No elenco, não consigo destacar grandes atuações. Rock Hudson, por exemplo, não apresenta a perfeita química demonstrada anteriormente ao lado de Doris Day, em filmes como “Confidências à Meia-Noite”, “Volta Meu Amor” e “Não Me Mandem Flores”.

CAA