Filmes por gênero

TUDO ISSO E O CÉU TAMBÉM (1940)

All this, and heaven too
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: L'étrangère (França, Bélgica)
Paradiso proibito (Itália)
El cielo y tú (Espanha, Argentina, México)
Das Glück in der Glaskugel (Austria, Alemanha)
Allt detta och himlen därtill (Suécia)
Alt dette og himlen med (Dinamarca)
Guwernantka (Polônia)
Episode (Holanda)
Все это и небо в придачу (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: Anatole Litvak
Roteiro: Casey Robinson
Produção: Anatole Litvak, David Lewis
Música Original: Max Steiner
Direção Musical: Leo F. Forbstein
Fotografia: Ernest Haller
Edição: Warren Low
Direção de Arte: Carl Jules Weyl
Figurino: Orry-Kelly
Guarda-Roupa: Eugene Joseff
Maquiagem: Perc Westmore
Efeitos Sonoros: Robert B. Lee
Efeitos Especiais: Byron Haskin, Rex Wimpy
Nota: 8.6
Filme Assistido em: 1994

Elenco

Bette Davis Henriette Deluzy-Desportes
Charles Boyer Duque de Praslin
Barbara O'Neil Duquesa de Praslin
Jeffrey Lynn Rev. Henry Field
Virginia Weidler Louise
Helen Westley Madame LeMaire
Ann Todd Berthe
Walter Hampden Pasquier
Henry Daniell Broussais
Harry Davenport Pierre
George Coulouris Charpentier
Montagu Love Marechal Sebastiani
Janet Beecher Srta. Haines
June Lockhart Isabelle
Richard Nichols Reynald
Fritz Leiber Abbe Gallard
Ian Keith DeLangle
Sibyl Harris Mlle. Maillard
Edward Fielding Dr. Louis
Mary Anderson Rebecca Jay
Ann Gillis Emily Schuyler
Peggy Stewart Helen Lexington
Madge Crane Madame Gauthier
Egon Brecher Médico
Doris Bren Agnes Brevoort
Virginia Brissac Freira
Cora Sue Collins Louise de Rham
Betty Jane Graham Clara Parker
Anne Howard Isabelle Loullard
Marilyn Knowlden Marianna Van Horn
Vera Lewis Rainha Amélia da França

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme

Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Barbara O'Neil)

Oscar de Melhor Fotografia em Preto e Branco (Ernest Haller)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

França, 1846. A professora Henriette Deluzy-Desportes é contratada pelo Duque de Praslin, como governanta, para educar seus filhos. O duque é íntimo da corte de Luís Filipe, durante os últimos anos da monarquia Orléans, e é casado com a possessiva e extremamente ciumenta Duquesa de Praslin. Como resultado do comportamento temperamental da duquesa, tudo o que resta é um casamento infeliz, mas o Duque permanece com a esposa por causa dos filhos.

Seu calor e bondade ganha o amor e o carinho das crianças e do duque, mas também o ciúme da duquesa. Henriette se vê forçada a ir embora, mas a duquesa se recusa a dar-lhe uma carta de recomendação para futuros empregadores. O duque confronta a esposa e, depois de muita discussão, ele a mata.

Por sua posição privilegiada, o Duque de Praslin só pode ser ouvido por outros nobres. Por outro lado, ele se recusa a confessar sua culpa e a admitir abertamente seu amor por Henriette, como forma de protegê-la de qualquer suspeita de cumplicidade no assassinato.

Movido pelo remorso, ele termina cometendo suicídio ao ingerir uma porção de veneno. No leito de morte, ele a inocenta, embora ela estivesse condenada pela opinião pública. Liberada pelas autoridades, Henriette foge para os Estados Unidos, embora não consiga fugir de si mesma.

imagem

Comentários

Baseado num romance de 1937, “Tudo Isso e o Céu Também” é um ótimo filme do cinema americano. Realizado pelo cineasta ucraniano Anatole Litvak, sua trama é uma pequena obra-prima onde tudo é bonito e triste ao mesmo tempo.

Na direção, Litvak realiza um ótimo trabalho, no que é ajudado pelas brilhantes atuações de Bette Davis, Charles Boyer e Barbara O’Neil, tendo esta última sido indicada ao Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante.

Merecem ainda ser destacadas a excelente música de Max Steiner e a bela fotografia de Ernest Haller.

CAA