Filmes por gênero

MOLOCH - EVA BRAUN E ADOLF HITLER NA INTIMIDADE (1999)

Moloch
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Moloch (Alemanha, França, Itália)
Molokh (USA)
Pais: Federação Russa, Alemanha, França, Itália
Gênero: Drama
Direção: Aleksandr Sokurov
Roteiro: Yuri Arabov, Marina Koreneva
Produção: Viktor Sergeyev, Thomas Kufus
Design Produção: Sergei Kokovkin
Fotografia: Aleksei Fyodorov, Anatoli Rodionov
Edição: Leda Semyonova
Figurino: Lidiya Kryukova
Efeitos Sonoros: Hartmut Eichgrün
Nota: 6.4
Filme Assistido em: 2003

Elenco

Yelena Rufanova Eva Braun
Leonid Mozgovoy Adolf Hitler
Leonid Sokol Dr. Josef Goebbels
Yelena Spiridonova Magda Goebbels
Vladimir Bogdanov Martin Bormann
Anatoli Shvedersky Padre

Prêmios

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio de Melhor Roteiro

Indicações

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio Palma de Ouro (Aleksandr Sokurov)

Academia do Cinema Europeu

Prêmio de Melhor Filme (Aleksandr Sokurov)

Prêmio de Melhor Fotografia

Sinopse

No Castelo-Fortaleza de Berchtesgaden, nos Alpes da Bavária, a solitária Eva Braun, totalmente nua, exibe uma coreografia que é um misto de ginástica  e dança.  A seguir, agora vestida, ela dança em um grande salão do castelo ao som de uma música tocada por um gramofone.  Eva espera  "Adi", o amor de sua vida, Fürher do 3º Reich, o homem que aspira dominar o mundo.

Hitler vem passar o fim-de-semana.  Com ele, chegam também Martin Bormann, seu principal assessor, Joseph Goebbels, ministro da propaganda, com sua esposa Magda, além de alguns oficiais da SS.

A ordem é não falar em guerra, apesar de estar na primavera de 1942.  Hitler é flagrado no jardim de seu refúgio em atividades prosaicas, dança, canta, caça borboletas.  Mas, em alguns momentos, a tensão é evidente face à impaciência e o inconformismo de Eva.  

Ela sabe que não pode competir com a dedicação de seu amante ao Reich e já não suporta seus discursos absurdos e sua hipocondria.  Mesmo assim, somente ela é capaz de compreendê-lo e ser a única voz a ousar contradizê-lo.

imagem imagem imagem

Comentários

Mais do que um tratado histórico, "Maloch - Eva Braun e Adolf Hitler na Intimidade" é um estudo psicológico do homem que foi o terror do século XX e da mulher que esteve mais próxima dele, além de fazer uma complexa reflexão sobre o poder.         

O início do filme é esplêndido.   Sokurov escolheu mostrar o cotidiano banal e vulgar do ditador e de sua amante.  Para tanto, ele usa de um humor subversivo, fortemente marcado pelo absurdo, até mesmo pelo grotesco.

Eva parece dotada de uma certa lucidez, o que não a impede de continuar a amar "Adi", um Hitler que Sokurov não hesita em transformá-lo num homem de personalidade fraca.

CAA