Filmes por gênero

TEMPO PARA AMAR, TEMPO PARA ESQUECER (1969)

The happy ending
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Amar sem amor (Portugal)
Con los ojos cerrados (Espanha)
El amargo fin (Colômbia)
Happy-End für eine Ehe (Alemanha)
Szczesliwe zakonczenie (Polônia)
Myötä- ja vastoinkäymisissä (Finlândia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: Richard Brooks
Roteiro: Richard Brooks
Produção: Richard Brooks
Música Original: Michel Legrand
Direção Musical: Michel Legrand
Fotografia: Conrad L. Hall
Edição: George Grenville
Figurino: Rita Riggs
Maquiagem: Fred C. Blau Jr.
Efeitos Sonoros: William Randall, Clem Portman, Kay Rose, Harry Warren
Efeitos Especiais: Chuck Gaspar
Nota: 8.3
Filme Assistido em: 1992

Elenco

Jean Simmons Mary Wilson
John Forsythe Fred Wilson
Shirley Jones Flo Harrigan
Lloyd Bridges Sam
Bobby Darin Franco
Teresa Wright Sra. Spencer
Dick Shawn Harry Bricker
Nanette Fabray Agnes
Tina Louise Helen Bricker
Kathy Fields Marge Wilson
Karen Steele Divorciada
Gail Hensley Betty
Eve Brent Ethel
William O'Connell Ministro
Miriam Blake Cindy
John Gallaudet Passageiro do avião
Erin Moran Marge Wilson, quando criança
Nanci Roberts Modelo

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz (Jean Simmons)

Oscar de Melhor Canção Original (Michel Legrand, Alan Bergman, Marilyn Bergman)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Jean Simmons)

Prêmio de Melhor Trilha Sonora (Michel Legrand)

Prêmio de Melhor Canção Original (Michel Legrand, Alan Bergman, Marilyn Bergman)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Mary Wilson, uma dona de casa que está prestes a comemorar seu 16º aniversário de casamento, mostra-se completamente desiludida com sua vida de casada. Seu marido, Fred, um bem sucedido advogado tributarista de Denver, dedica suas energias unicamente para seus clientes.

Seu ideal de casamento tem sido abalado pela negligência de Fred, pelo tédio de sua rotina diária e pela responsabilidade de educar uma filha adolescente. Ela passa a maior parte de seu tempo a beber, tomar tranquilizantes e assistir filmes antigos na televisão.

Para evitar o tédio que marcou a passagem do aniversário do marido no ano anterior, Mary decide viajar para Nassau. No caminho, ela se encontra com Flo Harrigan, uma velha amiga da Faculdade, que também está indo para lá, a fim de conhecer Sam, o mais recente de uma série de admiradores casados.

Ao chegar à Nassau, Mary é assediada por Franco, um americano que se apresenta como um amante latino, mas que, no fundo, pretende fugir com o dinheiro dela. No entanto, ele deixa cair a máscara quando Mary lhe revela que saiu de casa sem um tostão.

Ferida, Mary faz um retrospecto de sua vida, lembrando: a tentativa de suicídio por conta de um casamento fracassado; o vício da bebida que teve início quando Fred, ignorando suas necessidades, confiscou seu cartão de crédito; e sua prisão por dirigir embriagada.

Pouco depois, Sam propõe casamento à Flo, enquanto Fred telefona para Mary para pedir-lhe desculpas.

Ao retornar à Denver, Mary é recebida por sua empregada. No entanto, ao invés de ficar em casa, ela aceita um emprego que lhe é proposto, aluga um apartamento e se matricula num curso noturno onde, certa noite, Fred a procura. Qualquer que seja o que lhes reserva o futuro, a relação dos dois nunca mais será a mesma.

imagem

Comentários

Escrito, dirigido e produzido pelo cineasta Richard Brooks, “Tempo Para Amar, Tempo Para Esquecer” é mais um dos filmes do final dos anos 60 e começo dos anos 70 que tratam da vida das classes mais abastadas, principalmente das mulheres. Aqui, são abordados temas como o alcoolismo, a depressão e o tédio de uma mulher casada.

Na direção, Brooks realiza um belo trabalho. O elenco, por outro lado, nos oferece atuações sólidas, com destaques para as de Jean Simmons, indicada ao Oscar e ao Globo de Ouro de Melhor Atriz, e Shirley Jones, no papel da amiga Flo Harrigan.

Antes de terminar, não poderia deixar de citar a excelente trilha sonora do grande Michel Legrand. Uma de suas músicas, “What are you doing the rest of your life”, foi indicada ao Oscar e ao Globo de Ouro de Melhor Canção.
   
Na época da realização do filme, o cineasta Richard Brooks e a atriz Jean Simmons eram marido e mulher.

CAA