Filmes por gênero

PERDIDAMENTE TUA (1950)

A life of her own
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Seguirei o meu destino (Portugal)
Ma vie à moi (França, Bélgica)
L'indossatrice (Itália)
Mein leben gehört mir (Austria)
Livet skal leves (Dinamarca)
Seguiré mi destino (Venezuela)
A saját élete (Hungria)
Mitt liv är mitt eget (Suécia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: George Cukor
Roteiro: Isobel Lennart
Produção: Voldemar Vetluguin
Música Original: Bronislau Kaper
Direção Musical: Johnny Green
Fotografia: George J. Folsey
Edição: George White
Direção de Arte: Cedric Gibbons, Arthur Lonergan
Guarda-Roupa: Helen Rose, Rudi Gernreich
Maquiagem: William Tuttle
Efeitos Sonoros: Douglas Shearer
Nota: 8.2
Filme Assistido em: 1965

Elenco

Lana Turner Lily Brannel James
Ray Milland Steve Harleigh
Tom Ewell Tom Caraway
Louis Calhern Jim Leversoe
Ann Dvorak Mary Ashlon
Barry Sullivan Lee Gorrance
Margaret Phillips Nora Harleigh
Jean Hagen Maggie Collins
Phyllis Kirk Jerry
Sara Haden Smitty
Tom Seidel Bob Collins
Hermes Pan Dançarino
Lurene Tuttle Secretária
David Bond Fotógrafo
John Crawford Fotógrafo
Dorothy Abbott Modelo
Carol Brannon Modelo
Bridget Carr Modelo
Pat Davies Modelo
Beth Douglas Modelo
Patricia Hall Modelo
Charlene Hardey Modelo
Marlene Hoyt Modelo
Roberta Johnson Modelo
Maura Murphy Recepcionista do Regent Studios
David Clarke Charlie, taxista

Indicações

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Trilha Sonora (Bronislau Kaper )

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Lily Brannel James deixa sua pequena cidade natal, no Kansas, e vai para Nova York, onde é contratada pela Agência de Modelos Thomas Caraway. Lá, ela faz amizade com uma antiga top model, Mary Ashlon, que se torna sua conselheira. No entanto, Mary se mostra deprimida pelo fim de sua brilhante carreira e, após uma noite em que bebe excessivamente, comete suicídio.

Com o tempo, Lily se torna uma modelo muito bem sucedida. Em atenção ao seu advogado e amigo, Jim Leversoe, ela passa algum tempo com Steve Harleigh, proprietário de uma mina de cobre em Montana, que se acha a negócios em Nova York. Os dois se sentem atraídos, um pelo outro, e quando ele retorna à sua cidade, Lily recebe, como presente, uma pulseira comprada por Jim a pedido dele. Ela se recusa a aceitá-la por acreditar que ele está querendo pagá-la por sua companhia.

Algum tempo depois, Steve retorna à Nova York e, contra o conselho de Jim, tenta entrar em contato com Lily, que se recusa a vê-lo até que, acidentalmente, eles se encontram em um dos locais que costumavam frequentar. Na ocasião, ele confessa ser casado e que sua esposa, Nora, encontra-se paraplégica como consequência de um acidente automobilístico pelo qual ele foi o responsável.

Os dois decidem, então, fazer uma tentativa para encontrar a felicidade pessoal, ocasião em que Lily aluga um apartamento maior. Depois de um interlúdio agradável, Steve revela que sua esposa estará vindo à Nova York para visitá-lo quando do aniversário dele. Com raiva, ela o acusa de ter vergonha do relacionamento dos dois, ocasião em que ele admite não ter coragem de deixar Nora.

Na noite do aniversário de Steve, Lily também organiza uma festa, apesar de seu chefe, Tom Caraway, e Maggie Collins, tentarem mostrar-lhe que a mesma não faz sentido. Enquanto isso, Steve recebe a esposa, que mostra o progresso que ela vem obtendo, ao reaprender a andar, embora de muletas. No final da noite, ele consegue dar um pulo no apartamento de Lily, onde se irrita com o comportamento dela, que admite seu medo de perdê-lo.

No dia seguinte, pedindo a Jim que a acompanhe, Lily decide confrontar Nora, mas ao vê-la, muda de ideia por achá-la uma pessoa extremamente agradável e verificar quão dependente ela é do marido. Ao sair, ela encontra Steve no elevador e lhe diz que a relação deles acabou.

Algum tempo depois, quando Lily vai ao escritório de Lee Gorrance, um executivo da área de propaganda que tinha um caso com Mary Ashlon, pouco antes dela se suicidar, ele tenta seduzi-la. Como ela resiste aos seus avanços românticos, ele lhe diz que ela vai acabar sozinha e deprimida como Mary. Aflita com seus comentários, Lily chega a pensar em acabar com sua própria vida, mas finalmente resolve permanecer forte, procurando aproveitar a vida, mesmo que esteja solitária.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta George Cukor, a partir de um roteiro escrito por Isobel Lennart, “Perdidamente Tua” é um filme norte-americano produzido pela Metro-Goldwyn-Mayer (MGM) em 1950. Sua trama conta a história de uma jovem mulher que chega à Nova York para fazer carreira como modelo, tem um sucesso fenomenal nesse campo, torna-se amante de um milionário proprietário de uma mina de cobre, e o abandona ao descobrir que sua esposa paraplégica precisa mais dele do que ela.

A direção de Cukor é consistentemente boa, no que é ajudado pela bela fotografia de George J. Folsey e pela magnífica trilha sonora assinada por Bronislau Kaper. No elenco, Ann Dvorak brilha no papel de uma antiga top model que se suicida, seguida pelas boas atuações de Tom Ewell, Margaret Phillips, Jean Hagen e Barry Sullivan. Embora não cheguem a decepcionar, nos papéis principais Ray Milland e Lana Turner não se acham em seus melhores momentos.

CAA