Filmes por gênero

A VERDADE (1960)

La vérité
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: La verità (Itália)
La verdad (Espanha)
The truth (USA, UK)
Die wahrheit (Alemanha)
Sanningen (Suécia)
Igazság (Hungria)
Sandheden (Dinamarca)
Истина (União Soviética)
Pais: França, Itália
Gênero: Drama
Direção: Henri-Georges Clouzot
Roteiro: Henri-Georges Clouzot, Véra Clouzot, Christiane Rochefort, Jérôme Géronimi, Michèle Perrein, Simone Drieu
Produção: Raoul Lévy, Roger Debelmas
Design Produção: Jean André
Fotografia: Armand Thirard
Edição: Albert Jurgenson
Maquiagem: Odette Berroyer
Efeitos Sonoros: William Robert Sivel, Jean Zann, Arthur Van der Meeren
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1962

Elenco

Brigitte Bardot Dominique Marceau
Paul Meurisse Maître Éparvier
Charles Vanel Maître Guérin
Sami Frey Gilbert Tellier
Marie-José Nat Annie Marceau
Christian Lude Sr. Marceau
Jean-Loup Reynold Michel
André Oumansky Ludovic
Claude Berri Georges
Jacques Perrin Jérôme
Barbara Sommers Daisy
Louis Seigner Presidente do Tribunal
René Blancard Advogado Geral
Hubert de Lapparent Advogado
Louis Arbessier O professor
Suzy Willy Madame Marceau
Charles Bouillaud Advogado de Annie
Colette Castel Jovem advogada
Marcel Delaître Jornalista
Fernand Ledoux Médico legista
Guy Tréjan Médico
Jacqueline Porel Secretária de Guérin
Marcel Cuvelier Jornalista
Albert Michel Jornalista
Pierre Roussel Jornalista

Prêmios

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira (França)

Prêmios David di Donatello, Itália

David de Melhor Atriz Estrangeira (Brigitte Bardot)

Festival de Cinema de Mar del Plata, Argentina

Prêmio de Melhor Direção (Henri-Georges Clouzot)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira (França)

Festival de Cinema de Mar del Plata, Argentina

Prêmio de Melhor Filme - Competição Internacional (Henri-Georges Clouzot)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

 Dominique Marceau é julgada pela morte de seu amante, Gilbert Tellier. Durante as audiências, desenha-se pouco a pouco o perfil da acusada. Ela havia seduzido Gilbert, o jovem noivo de sua irmã Annie.

Se para ela seu comportamento era algo sem maior importância, para Gilbert era a revelação de uma paixão devoradora, e para Annie um drama dilacerante. Na época, Gilbert rompeu com Annie e foi viver com Dominique. Esta, no entanto, o engana sem malícia e, decepcionado, ele volta para sua antiga noiva. Num acesso de cólera, Dominique o mata com um golpe de revólver.

No Palácio de Justiça, os advogados se enfrentam através de seus arrazoados. Para o advogado geral, Dominique não passa de um monstro perverso, sem moral, sem sentimentos, que matou por egoísmo. Já para o advogado de defesa, ela é uma vítima sensível e delicada, mergulhada num mundo cruel e corrupto onde seus nervos não suportaram tamanha pressão.

Na véspera de ser pronunciado o veredicto, Dominique se suicida na prisão ao cortar suas veias. No tribunal, os advogados que se enfrentaram firmemente durante o julgamento, conversam alegremente.

imagem

Comentários

 Realizado pelo grande cineasta francês Henri-Georges Clouzot, “A Verdade” é um excelente drama franco-italiano do início dos anos 60. Sua trama gira em torno do julgamento de uma bela mulher, acusada de ter matado seu amante.

Com um senso de ritmo impecável, Clouzot alterna cenas do processo propriamente dito com flashbacks que permitem, ao espectador, conhecer melhor os fatos que levaram a ré a cometer o crime. O roteiro, do qual Clouzot também participou, é sem dúvida uma outra peça fundamental para o sucesso do filme. A fotografia em preto e branco de Armand Thirard é um outro quesito que merece ser destacado.

No elenco, Brigitte Bardot está fantástica no papel principal, o que lhe proporcionou ganhar o prêmio David di Donatello de Melhor Atriz. Com relação ao filme, propriamente dito, o mesmo foi indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, além de ter sido contemplado com o Globo de Ouro.

CAA