Filmes por gênero

FEDORA (1978)

Fedora
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: O Segredo de Fedora (Portugal)
Den gådefulde Fedora (Dinamarca)
Fedora - Giordano (Noruega)
Fedora - en gåtfull kvinna (Finlândia)
Федора (União Soviética)
Gênero: Drama, Romance
Direção: Billy Wilder
Roteiro: Billy Wilder, I.A.L. Diamond
Produção: Billy Wilder, I.A.L. Diamond
Design Produção: Alexandre Trauner
Música Original: Miklós Rózsa
Direção Musical: George Korngold, Miklós Rózsa
Fotografia: Gerry Fisher
Edição: Stefan Arnsten, Fredric Steinkamp
Direção de Arte: Robert André
Figurino: Charlotte Flemming
Guarda-Roupa: Uta Freiwald
Maquiagem: Evelyn Döhring, Tom Smith e outros
Efeitos Sonoros: Gordon Daniel, David Hildyard e outros
Efeitos Visuais: Theo Nischwitz
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1980

Elenco

William Holden Barry Detweiler
Marthe Keller Fedora
Hildegard Knef A condessa
José Ferrer Dr. Vando
Frances Sternhagen Srta. Balfour
Michael York .
Mario Adorf Gerente do Hotel
Stephen Collins Barry, quando jovem
Henry Fonda Presidente da Academia
Hans Jaray Conde Sobryanski
Gottfried John Kritos
Christine Mueller Antonia, quando jovem
Ellen Schwiers Enfermeira
Ferdy Mayne Primeiro Diretor
Peter Capell Segundo Diretor
Bob Cunningham Assistente de Direção
Mary Kelly Gladys
Elma Karlowa Empregada
Rex McGee Fotógrafo
Dolly West Mourner

Prêmios

Festival Internacional de Cinema de Chicago

Prêmio Gold Hugo de Melhor Filme (Billy Wilder)

Sinopse

Uma das  grandes estrelas de cinema do século, Fedora, é conhecida em Hollywood por manter inexplicavelmente sua beleza juvenil ao longo de uma carreira de décadas. Em seu último filme, ela não parecia mais velha do que no primeiro.
 
No auge de sua fama, no entanto, ela retirou-se para uma ilha particular, perto de Corfu, e se recusou a ser vista em público, levando a uma vasta especulação sobre o que teria acontecido com ela. Algum tempo depois, todos ficam chocados quando é confirmado que Fedora cometeu suicídio se jogando na frente de um trem. Um de seus enlutados em seu funeral é o envelhecido produtor de Hollywood, Barry "Dutch" Detweiler, que já foi seu amante. Ele se lembra de ter visitado Fedora duas semanas antes de sua morte, em sua Villa perto de Corfu, a fim de convencê-la a participar de uma nova adaptação de Anna Karenina. Na ocasião, ele se mostrou desconfiado quando Fedora, confusa, se mostrou incapaz de se lembrar de detalhes de seu caso de amor. No encontro, ela lhe disse que era uma prisioneira na ilha, mantida em cativeiro pela velha condessa polonesa Sobryanski, sua serva superprotetora, Sra. Balfour, seu motorista Kritos e o Dr. Vando, que aparentemente foi responsável por manter a antiga estrela com aparência tão jovem. Dutch suspeita que ela pode ter sido assassinada pela condessa, por revelar que estava sendo mantida em cativeiro.
 
No funeral, Dutch acusa Vando e a condessa de assassinarem Fedora. Na ocasião, a condessa revela ser a verdadeira Fedora, com quem ele teve um caso. A mulher que morreu foi sua filha Antonia, que ocupou seu lugar durante anos, depois que um dos tratamentos de cirurgia plástica desfigurou seu rosto. Antonia se parecia com ela, mas era uma atriz bem melhor que ela, fazendo com que as pessoas acreditassem que a própria Fedora havia se tornado uma atriz melhor com a idade. 
 
O engano passou despercebido até que Antonia se apaixonou pelo ator Michael York, enquanto participava de um filme com ele. Ela chegou a implorar à mãe que contasse a verdade a Michael, mas o escândalo teria arruinado a carreira de Antonia e o legado de Fedora. Incapaz de confiar em Antonia, Fedora providenciou a aposentadoria da filha e a manteve prisioneira na ilha. A perda de sua carreira e de seu verdadeiro amor a levou a se voltar para as drogas, o que destruiu sua aparência e sua sanidade. Por outro lado, Fedora percebeu que nunca poderia permitir que sua filha deixasse a ilha porque o frenesi da mídia destruiria o que restava da frágil saúde mental de Antonia. Consumida pela difícil situação que causara, Fedora cuidou de Antonia até que a presença de Dutch a lembrou da vida que ela havia perdido, o que causou seu suicídio. 
 
Horrorizado com a revelação, Dutch considera a possibilidade de revelar a história sórdida à imprensa, mas percebe que ainda tem sentimentos por Fedora, decidindo que ela já foi punida o suficiente pelas perdas de sua carreira e de sua filha. Ele se despede de Fedora, que morre seis semanas depois.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Billy Wilder, a partir de um roteiro por ele escrito, juntamente com I.A.L. Diamond, "Fedora" é um filme produzido em 1978 pelas companhias Bavaria Atelier, Lorimar, NF Geria Filmgesellshaft GmbH e Société Française de Production (SFP).

Na direção, Wilder realiza um ótimo trabalho, que lhe rendeu o prêmio Fotogramas de Plata, além de uma indicação ao Prêmio Gold Hugo do Festival Internacional de Chicago. O filme conta ainda com uma boa fotografia e com uma ótima trilha sonora, onde se destacam as canções "Tenderly", "C'est si bon" e Valse Triste.

No elenco, com ótimas atuações, destacam-se William Holden, Marthe Keller e Hildegard Knef. 

CAA