Filmes por gênero

PARA SEMPRE ALICE (2014)

Still Alice
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: O meu nome é Alice (Portugal)
Siempre Alice (Espanha, Argentina, Chile, México, Peru)
Still Alice - Mein Leben ohne Gestern (Alemanha)
Jeg er stadig Alice (Dinamarca)
Edelleen Alice (Finlândia)
Motyl Still Alice (Polônia)
Pais: Estados Unidos, França
Gênero: Drama
Direção: Richard Glatzer, Wash Westmoreland
Roteiro: Richard Glatzer, Wash Westmoreland
Produção: James Brown, Pamela Koffler, Lex Lutzus
Design Produção: Tommaso Ortino
Música Original: Ilan Eshkeri
Direção Musical: Randall Poster, Meghan Currier
Fotografia: Denis Lenoir
Edição: Nicolas Chaudeurge
Figurino: Stacey Battat
Guarda-Roupa: Megan Sanders, Cherie Cunningham, Kristin Lindbeck e outros
Maquiagem: Jeong-Hwa Fonkalsrud, Susan Reilly LeHane
Efeitos Sonoros: Javier Bennassar, James Baker, Leslie Shatz e outros
Efeitos Visuais: Joseph Mulvanerty, Lucien Harriot, Fangge Chen
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 2015

Elenco

Julianne Moore Alice Howland
Alec Baldwin John Howland
Kate Bosworth Anna Howland-Jones
Shane McRae Charlie Howland-Jones
Hunter Parrish Tom Howland
Kristen Stewart Lydia Howland
Seth Gilliam Frederic Johnson
Stephen Kunken Dr. Benjamin
Erin Drake Jenny
Daniel Gerroll Eric Wellman
Orlagh Cassidy Médico de Primeiros Socorros
Quincy Tyler Bernstine Administradora da Casa de Repouso
Rosa Arredondo Facilitadora da Convenção
Zillah Glory Masha
Caridad Montanez Elena
Jean Burns Olga
Kristin Macomber Anne
Erin Darke Jenny
Nancy Ellen Shore Enfermeira
Takako Haywood Participante da Conferência sobre Alzheimer
Diane Kimbrell Paciente com Alzheimer

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz (Julianne Moore)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Julianne Moore)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Atriz (Julianne Moore)

Instituto Australiano de Cinema

Prêmio de Melhor Atriz (Julianne Moore)

Associação dos Críticos de Cinema de Chicago

Prêmio de Melhor Atriz (Julianne Moore)

Prêmios Gotham, New York

Prêmio de Melhor Atriz (Julianne Moore)

Sociedade dos Críticos de Cinema de Houston, EUA

Prêmio de Melhor Atriz (Julianne Moore)

Círculo de Críticos de Cinema de Londres, Inglaterra

Prêmio Atriz do Ano (Julianne Moore)

Associação de Críticos de Cinema de San Francisco

Prêmio de Melhor Atriz (Julianne Moore)

Associação dos Críticos de Cinema de Washington DC

Prêmio de Melhor Atriz (Julianne Moore)

Indicações

Sociedade dos Críticos de Cinema de Detroit, EUA

Prêmio de Melhor Atriz (Julianne Moore)

Círculo dos Críticos de Cinema da Flórida, USA

Prêmio de Melhor Atriz (Julianne Moore)

Associação dos Críticos de Cinema da Georgia, EUA

Prêmio de Melhor Atriz (Julianne Moore)

Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles, EUA

Prêmio de Melhor Atriz (Julianne Moore)

Sociedade Nacional dos Críticos de Cinema dos Estados Unidos

Prêmio de Melhor Atriz (Julianne Moore)

Associação dos Críticos de Cinema de St. Louis, USA

Prêmio de Melhor Atriz (Julianne Moore)

Associação dos Críticos de Cinema de Toronto, Canadá

Prêmio de Melhor Atriz (Julianne Moore)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em um restaurante sofisticado, Alice Howland comemora seu 50º aniversário de nascimento ao lado de seu marido, John, e de dois de seus filhos. Sua filha, Lydia, não pôde comparecer ao evento face a compromissos anteriormente assumidos com o fim de se tornar uma atriz, o que desagrada Alice, que gostaria de ver a filha assumindo uma carreira universitária.

Conhecida mundialmente como uma renomada estudiosa na área de linguística, Alice recebe um convite para proferir uma palestra sobre o assunto na Universidade da Califórnia. Com o auditório repleto, ela inicia sua palestra procurando mostrar como os bebês aprendem a falar. De repente, ela esquece completamente o assunto sobre o qual discorria, pede desculpas ao público alegando que deve ter exagerado nas doses de champanhe que tomara naquele dia.

Mais tarde, ela decide fazer uma visita à sua filha Lydia. As duas vão a um restaurante, ocasião em que a jovem fala sobre sua carreira como atriz, enquanto Alice insiste para que a filha retorne para a Universidade.

De volta à Nova York, onde reside, aproveitando um momento em que se acha sozinha, Alice decide sair para uma corrida ao ar livre e, num determinado momento, toma consciência de que não se lembra onde se encontra. Aflita por alguns minutos, ela finalmente recobra a memória e retorna para casa, onde encontra John. Ao tomar conhecimento de que ele está ajudando financeiramente a filha, em seu esforço para se tornar uma atriz conhecida, ela se mostra bastante contrariada.

Sem falar de seus problemas de saúde ao marido, Alice procura um renomado neurologista, a quem fala de seus frequentes lapsos de memória. Ela receia que se ache com algum tipo de tumor cerebral. Depois de alguns testes, o médico lhe pede para falar sobre seus pais e, finalmente, como uma medida preventiva, solicita uma ressonância magnética.

Em casa, enquanto prepara uma ceia de Natal, ela faz uma série de exercícios para estimular sua memória. À noite, à medida que as pessoas vão chegando, ela volta a apresentar lapsos de memória, a ponto de não reconhecer Jenny, namorada de seu filho.

Ao voltar ao seu neurologista, este lhe diz que o resultado da ressonância magnética não apresentou o menor sinal de desenvolvimento de um tumor cerebral, mas que, face aos seus problemas de memória, ele vai solicitar uma tomografia computadorizada para verificar se ela, embora não tenha uma idade avançada, é portadora do mal de Alzheimer de Início Precoce.

Aflita com a possibilidade de ser portadora da terrível doença, Alice decide contar ao marido tudo o que está ocorrendo em sua vida. Tendo em vista a idade da mulher, John não acredita na menor possibilidade dela se encontrar com Alzheimer.

A pedido de Akice, John a acompanha em sua nova ida ao neurologista. Uma vez lá, o médico confirma o diagnóstico e pede para que seus três filhos se submetam a um teste genético, a fim de verificar se algum deles possui o gene responsável pelo desenvolvimento do Mal de Alzheimer de Início Precoce. O resultado é positivo apenas no caso de Anna, a filha mais velha. Como esta vem se submetendo a um tratamento de fertilidade, ela fica feliz por saber que, pelo menos, poderá testar os embriões em relação ao tal gene.

Na Universidade, ao tomar conhecimento que seus alunos andaram reclamando de algumas de suas atitudes, Alice conta ao seu chefe tudo o que vem ocorrendo em sua vida e lhe diz que, se possível, gostaria de permanecer no Departamento enquanto sua saúde o permitisse. Constrangido, este lhe diz que sente muito por tudo o que ela vem passando.

Certo dia, sob o pretexto de que se acha preocupada com seus pais, Alice visita uma Casa de Repouso para Idosos acometidos de Alzheimer, a fim de verificar as condições de vida dos que lá se encontram e a maneira como são tratados pelos cuidadores.

Ao voltar para casa, grava um vídeo, para si própria, instruindo-a a cometer suicídio através da ingestão de todos os comprimidos guardados num determinado frasco. Por outro lado, coloca em seu celular perguntas básicas como, por exemplo, qual é o nome de sua filha mais velha, perguntas essas que ela deverá responder corretamente todos os dias. O celular é ainda programado para avisá-la a assistir ao vídeo que a instrui a cometer suicídio quando não tiver mais condições de responder às tais perguntas básicas.

John decide passar uma temporada com ela numa casa de praia do casal. Lá, eles se divertem e relembram suas vidas juntos. Por outro lado, diariamente, ela faz seus exercícios para a memória, respondendo às perguntas gravadas em seu celular. Apesar de tudo, seu quadro vai se agravando a cada dia que se passa. Certa vez, ao desejar urinar, ela não consegue se lembrar onde fica o banheiro e termina molhando a roupa em que está vestida.

Quando John precisa viajar para participar de uma conferência, Lydia vem para ficar com a mãe. As duas discutem quando Alice volta a insistir na necessidade da filha retomar seus estudos na Universidade. A situação entre elas fica ainda mais tensa quando Lydia descobre que a mãe andou lendo seu Diário. No entanto, ao pensar melhor sobre o estado mental da mãe, a jovem a procura e lhe pede desculpas pelo desentendimento. Esta, entretanto, nem se lembra mais de que desentendimento a filha está a falar.

Anna, finalmente, fica grávida de gêmeos. Na noite seguinte, todos vão ao teatro assistir a uma peça protagonizada por Lydia, que ao final é bastante aplaudida. Em seguida, a família vai até os bastidores do teatro onde Alice não reconhece Lydia como sua filha. Por outro lado, estimulada por seu neurologista, ela profere uma palestra sobre sua doença na Associação dos Portadores de Alzheimer, sendo bastante aplaudida por todos os presentes.

Quando John recebe uma proposta irrecusável para trabalhar em Minnesota, Alice lhe pede para que ele adie sua ida por um ano, mas John lhe diz que não pode fazer isso por motivos financeiros. Adicionalmente, ele não gostaria de ficar em casa a acompanhar a constante deterioração de seu estado de saúde. A essa altura, ao fazer seus exercícios diários para a memória, respondendo às perguntas gravadas em seu celular, ela não consegue mais soletrar a palavra “Outubro”.

Naquela noite, em plena madrugada, Alice se acorda e corre para a cozinha à procura de seu celular. Desesperada, retira o que encontra nas gavetas dos seus móveis e espalha tudo pelo chão. Com o barulho, John se acorda e corre ao seu encontro, que a essa altura se acha em pânico pela falta do celular indispensável para que continue a fazer os seus exercícios matinais.

Um mês depois, quando Anna vai visitá-la, Alice a princípio acredita que se trata de uma irmã e não de sua filha mais velha. Na ocasião, John finalmente encontra o celular desaparecido entre os cubos de gelo que se acham no freezer. A essa altura, Alice acredita que o aparelho havia desaparecido apenas na noite anterior.

Dias depois, o casal vai ao hospital visitar a filha que acabara de dar à luz duas crianças. John se mostra receoso quando a mulher expressa o desejo de colocar um dos gêmeos em seu colo. No entanto, acompanhada de perto por ele, tudo corre bem. A essa altura, face ao estado avançado da doença, Alice conta com os serviços de uma cuidadora de nome Elena.

Certo dia, quando se encontra sozinha em casa, Alice abre o vídeo no qual gravara as instruções que deveria seguir para cometer suicídio. No entanto, ao chegar a seu quarto para procurar os comprimidos, ela esquece as instruções que acabara de ouvir. Depois de duas tentativas infrutíferas, decide finalmente levar o notebook para o quarto onde se encontram os tais comprimidos. Entretanto, no momento em que se prepara para acabar com sua vida, ela se assusta com a chegada repentina de Elena e deixa cair o frasco no chão com os comprimidos se espalhando por todo o quarto. Minutos depois, já não se lembra de mais nada do que estava fazendo.

Lydia decide voltar a morar em Nova York para ajudar a cuidar da mãe, enquanto seu pai viaja para assumir o novo emprego em Minnesota. Certo dia, ela lê para Alice um monólogo de uma de suas peças, enquanto a mãe tem alguns flashes que lhe fazem relembrar alguns momentos felizes do passado. Ao final da leitura, a jovem pergunta à mãe se ela sabia de que se tratava o monólogo que acabara de ler. A essa altura, sem conseguir articular bem as palavras, Alice murmura que o mesmo falava de amor.

Na cena final, mãe e filha se abraçam, fazendo com que o espectador presuma que Alice continua em seu processo de ter sua saúde cada vez mais comprometida.

imagem

Comentários

Escrito e dirigido por Richard Glatzer e Wash Westmoreland, “Para Sempre Alice” é um excelente filme franco-americano. Sua trama conta a história de Alice, uma brilhante professora, conhecida mundialmente por seus estudos na área de linguística e que, aos 50 anos de idade, ou seja, ainda bastante jovem, descobre ser portadora do temível mal de Alzheimer precoce.

O roteiro e a direção são muito bem conduzidos por Westmoreland e Glatzer, este último falecido recentemente, no dia 10 de março de 2015, aos 63 anos de idade.

No elenco, Julianne Moore nos brinda com a maior interpretação de sua carreira de 28 anos e mais de 60 filmes, até o momento. Como consequência, vem acumulando troféus através dos diversos Festivais pelos quais o filme tem passado. Ao seu lado, merecem ser destacadas as atuações de Kristen Stewart, no papel da filha rebelde, e de Alec Baldwin, como o marido que se fecha em seu trabalho para não acompanhar mais de perto a crescente deterioração do estado de saúde da esposa.

CAA