Filmes por gênero

AS LÁGRIMAS AMARGAS DE PETRA VON KANT (1972)

Die bitteren tränen der Petra von Kant
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Les larmes amères de Petra von Kant (França, Canadá)
Las amargas lágrimas de Petra von Kant (Espanha)
The bitter tears of Petra von Kant (Estados Unidos)
Petra von Kants bittra tåra (Suécia)
Le lacrime amare di Petra Von Kant (Itália)
Pais: Alemanha
Gênero: Drama
Direção: Rainer Werner Fassbinder
Roteiro: Rainer Werner Fassbinder
Produção: Rainer Werner Fassbinder, Michael Fengler
Design Produção: Kurt Raab
Fotografia: Michael Ballhaus
Edição: Thea Eymèsz
Figurino: Maja Lemcke
Maquiagem: Peter Müller
Efeitos Sonoros: Gunther Kortwich
Nota: 8.1
Filme Assistido em: 2014

Elenco

Margit Carstensen Petra von Kant
Hanna Schygulla Karin Thimm
Katrin Schaake Sidonie von Grasenabb
Eva Mattes Gabriele von Kant
Gisela Fackeldey Valerie von Kant
Irm Hermann Marlene

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Petra von Kant é uma famosa designer de modas que vive em Bremen. Seu local de trabalho é o seu próprio apartamento, ricamente ornamentado com uma enorme réplica do quadro Midas e Bacchus pintado por Nicolas Poussin no século XVII. Ela vive com Marlene, sua secretária que ela trata como se fosse uma escrava.

Petra foi casada duas vezes. Seu primeiro marido, Pierre, seu maior amor, morreu em um acidente de carro quando ela se achava grávida. Quanto ao seu segundo casamento, embora tenha começado muito bem, terminou em divórcio.

Certo dia, após ser acordada por Marlene, Petra telefona para a mãe e, em seguida, recebe a visita de sua prima, Sidonie von Grasenabb, com quem fala sobre seus relacionamentos com os homens. Enquanto isso, Marlene faz o trabalho e age como se fosse a anfitriã. Karin Thimm, amiga de Sidonie, junta-se ao grupo. Recentemente chegada à Alemanha após passar cinco anos em Sydney, Karin é uma desejável mulher de 23 anos, por quem Petra se sente imediatamente atraída. Na hora de se despedirem, Petra lhe pede para que volte na manhã seguinte para melhor conversarem.

Como combinado, no dia seguinte, Karin retorna ao apartamento de Petra e esta aproveita a oportunidade para saber mais a respeito da jovem. Assim, esta conta-lhe que é casada e que seu marido ficou em Sydney; que seu pai, embriagado, matou a mãe e, em seguida, se enforcou; que sente que sua vida se encontra à deriva, pois seu marido sempre a tratou como a uma escrava. A essa altura, Petra já se sentindo apaixonada pela jovem, afirma que tudo isso já se acha prestes a mudar e pede à Marlene para que lhes sirva uma garrafa de champanhe.

Ao descobrir as despesas de Karin com o hotel em que se acha hospedada, Petra faz questão que a jovem passe a morar com ela. Uma vez instalada no apartamento da amiga, Karin dá sinais de ser uma pessoa mal educada e arrogante. Certo dia, enquanto as duas tomam gim-tônica, Karin admite que, na noite anterior, dormiu com um homem. Enciumada, Petra grita com Marlene.

Logo depois, o telefone toca. É Freddy, marido de Karin, informando-lhe que se acha em Zurique de passagem para Frankfurt. Como consequência, surge um novo desentendimento entre as duas, com Petra chamando-a de prostituta. Mesmo assim, a pedido de Karin, a designer compra uma passagem aérea para que ela vá se encontrar com o marido na Alemanha, oferecendo-lhe adicionalmente mil marcos para cobrir despesas adicionais. Embriagada e sem condições de dirigir, Petra pede à Marlene que deixe Karin no aeroporto.

No dia do aniversário de Petra, ela se encontra com uma peruca loura a beber bastante na esperança de receber um telefonema de Karin. No entanto, as pessoas que se lembram e chegam para parabenizá-la são sua filha Gabriele, que lhe diz estar apaixonada por um jovem, sua mãe Valerie e Sidonie, que admite saber que Karin se acha na cidade. Sua mãe, que nada sabia a respeito, fica chocada ao tomar conhecimento da paixão de sua filha por outra mulher.

Depois que todos vão embora, Petra procura Marlene, a quem pede desculpas pela forma com que sempre a tratou, e lhe diz que espera, dali pra frente, poder dividir sua vida com ela. Marlene, no entanto, que sempre satisfez seu instinto masoquista ao se submeter aos caprichos de Petra, pega sua pequena mala e vai embora.

imagem imagem imagem

Comentários

‘’As Lágrimas Amargas de Petra von Kant’’ é um filme alemão de 1972, realizado por Rainer Werner Fassbinder a partir de uma de suas peças. Seu elenco é exclusivamente formado por mulheres e a trama se passa inteiramente no apartamento da principal protagonista, Petra von Kant.

De uma intensidade psicológica rara, cenas de dominação e submissão, orgulho e humilhação, verdades, mentiras e manipulações acham-se presentes ao longo de toda a história, sempre desenvolvidas em um ambiente pesado, sufocante e cada vez mais decadente.

Na direção, Fassbinder se mostra perfeito ao conduzir seus complexos personagens muito bem representados por excelentes atrizes. O mais misterioso e fascinante é, sem dúvida alguma, o de Marlene, interpretado pela atriz Irm Hermann, presença muda, que ouve tudo, vê tudo, sabe tudo.

Em 1982, assisti a peça, num teatro do Rio de Janeiro, maravilhosamente interpretada por nossas queridas atrizes Fernanda Montenegro e Renata Sorrah.

CAA