Filmes por gênero

UMA OUTRA MULHER (2006)

Ich bin die Andere
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Je suis l'autre (França)
I am the other woman (Estados Unidos)
Jestem inna, niz myslisz (Polônia)
Eimai i alli gynaika (Grécia)
Pais: Alemanha
Gênero: Drama
Direção: Margarethe von Trotta
Roteiro: Peter Märthesheimer, Pea Fröhlich
Produção: Markus Zimmer
Design Produção: Doerthe Komnick, Uwe Szielasko
Música Original: Christian Heyne
Fotografia: Axel Block
Edição: Corina Dietz
Figurino: Claudia Bobsin
Maquiagem: Gerhard Nemetz, Mia Schöpke
Efeitos Sonoros: Michael Busch, Stefan Busch, Philipp Sellier e outros
Efeitos Visuais: Julia Reinhard, Michel Mielke, Michael Ralla e outros
Nota: 7.7
Filme Assistido em: 2014

Elenco

Katja Riemann Carolin Winter
August Diehl Robert Fabry
Armin Mueller-Stahl Karl Winter
Karin Dor Sra. Winter
Bernadette Heerwagen Britta
Barbara Auer Srta. Schäfer
Dieter Laser Bruno
Peter Lerchbaumer Dr. Maiser
Ben Saad Oficial da Polícia
Felix Moeller Roberts Kollege
Kim Grether Carolin, quando jovem
Maria Happel Wirtin Raststätte
Peter Ender Recepcionista do Hotel
Mjid Meribaa Motorista de táxi no Marrocos
Saloua Regragui Enfermeira
Christoph Franken Atendente do Posto de Gasolina

Indicações

Prêmios do Cinema Alemão

Prêmio em Ouro de Melhor Trilha Sonora (Christian Heyne)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Robert Fabry é um brilhante engenheiro que se acha em Frankfurt para assinar um novo contrato. No hotel em que se acha hospedado, uma mulher vestida de vermelho se encontra a ponto de ser expulsa por importunar alguns hóspedes com avanços indecentes.

Robert decide ajudá-la chamando-a de Alice e afirmando para os funcionários do hotel de que se trata de uma velha amiga. Em seguida, os dois sobem para sua suíte onde, após uma tórrida noite, ele acorda para descobrir que ela já havia ido embora.

Horas depois, no escritório de seu advogado, Robert é apresentado a uma nova sócia da firma, Carolin Winter, que ele reconhece como sendo a Alice da noite anterior sem a maquiagem e o vestido vermelho. Confuso, ele decide convidá-la para jantarem juntos, ocasião em que tenta levá-la para a cama, mas ela resiste a seus avanços. Suas reações o deixam ainda mais confuso por não ter mais certeza se Alice e Carolin são ou não a mesma pessoa.

Com a ajuda de sua noiva, Britta, ele finalmente consegue o endereço de Carolin. Britta decidiu sabiamente ajudá-lo ao verificar que a relação deles não teria futuro enquanto Robert não descobrisse o que realmente estava ocorrendo.

Assim, o engenheiro visita o chalé de Carolin localizado no alto de uma colina que dá para um belo vale do rio Reno coberto por imensos vinhedos. O acesso ao chalé se dá por duas formas: através de uma longa estrada com inúmeras curvas, ou de um plano inclinado em linha reta com capacidade para apenas duas pessoas.

Uma vez lá, ele é apresentado ao pai dela, Karl Winter, um verdadeiro tirano que suga as vidas dos que o rodeiam; à mãe dela e à Srta. Schaffer, uma secretária com outras obrigações além de cuidar da casa. Há ainda Bruno, um assistente que passa a maior parte de seu tempo a empurrar a cadeira de rodas de Karl, além de manter uma relação extraconjugal com a Sra. Winter.  

Dias depois, Robert descobre ainda que Carolin é inteiramente dominada pelo pai, com quem mantém uma relação incestuosa. Entretanto, apesar de ter tido a oportunidade de conhecer uma família tão desarrumada, com sérios problemas mentais e de caráter, ele se mostra apaixonado e disposto a se casar com ela.

Assim, a cerimônia de casamento é marcada e deverá ser realizada no próprio chalé da família. No dia e hora combinados, Robert e todos aqueles que assistirão à cerimônia aguardam a chegada da noiva. Ansiosos, eles acompanham a subida do plano inclinado que vem trazendo Carolin e seu pai. No entanto, não suportando a ideia de ver a filha ir pra cama com outro homem, o Sr. Karl prefere morrer ao lado dela e, para isso, destrava o veículo que despenca no precipício com os dois a bordo.

imagem

Comentários

Realizado pela cineasta Margarethe von Trotta, a partir de um romance de Peter Märthesheimer, “Uma Outra Mulher” é um razoavelmente bom drama do cinema alemão. Sua trama gira em torno de um engenheiro bem-sucedido que se apaixona perdidamente por uma mulher de dupla personalidade.

Na direção, Von Trotta apresenta altos e baixos, embora não chegue a prejudicar o desenvolvimento da trama, mesmo em momentos em que esta se mostra de certa forma previsível. Nos papéis principais, August Diehl e Katja Riemann não demonstram qualquer química entre eles. No elenco, o destaque fica por conta do desempenho do ator Armin Mueller-Stahl no papel de Karl Winter, pai de Carolin.

CAA