Filmes por gênero

SEIS DESTINOS (1942)

Tales of Manhattan
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Six destins (França)
Histoires de Manhattan (Bélgica)
Destino su Manhattan (Itália)
Manhattan-Ballade (Austria)
Sechs Schicksale (Alemanha)
Manhattan (Suécia)
Seks skæbner (Dinamarca)
In de schaduw van het noodlot (Holanda)
Сказки Манхэттена (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Comédia, Drama, Romance
Direção: Julien Duvivier
Roteiro: Henry Blankfort, Alan Campbell, Ben Hecht, Samuel Hoffenstein, Ferenc Molnár, Ladislas Fodor, Lamar Trotti, László Görög, Donald Ogden Stewart, László Vadnay
Produção: Sam Spiegel, Boris Morros
Música Original: Sol Kaplan
Direção Musical: Edward Paul
Fotografia: Joseph Walker
Edição: Robert Bischoff, Gene Fowler Jr.
Direção de Arte: Richard Day, Boris Leven
Figurino: Irene, Bernard Newman, Dolly Tree, Gwen Wakeling
Maquiagem: Guy Pearce
Efeitos Sonoros: W.D. Flick, Roger Heman Sr.
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 1951

Elenco

Charles Boyer Paul Orman
Rita Hayworth Ethel Halloway
Thomas Mitchell John Halloway
Eugene Pallette Luther
Ginger Rogers Diane
Henry Fonda George
Gail Patrick Ellen
Roland Young Edgar
Cesar Romero Harry Wilson
Marion Martin Srta. Gray / 'Esquilo'
Charles Laughton Charles Smith
Elsa Lanchester Sra. Elsa Smith
Victor Francen Arturo Bellini
James Gleason Joe
Edward G. Robinson Avery L. 'Larry' Browne
Harry Davenport Professor Lyons
George Sanders Williams
Donald Douglas Henderson
James Rennie H.R. 'Hank' Bronson
Morris Ankrum Juiz Tom Barnes
Harry Hayden 'Soupy' Davis
Paul Robeson Luke
Ethel Waters Esther
Eddie 'Rochester' Anderson Rev. Lazarus
George Reed Christopher
Barbara Lynn Mary
Sig Arno Flautista
J. Carrol Naish Ladrão
Mae Marsh Molly
Rene Austin Susan

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Pouco antes da abertura do seu novo espetáculo na Broadway, o famoso ator Paul Orman veste seu novo fraque providenciado por seu alfaiate. Este nervosamente admite que o fraque foi amaldiçoado por um de seus ajudantes que, ao ser dispensado, jurou que traria desgraça para qualquer pessoa que o usasse, mas Orman não se importa. Após uma performance bem recebida, ele instrui seu criado, Luther, para que o leve à propriedade rural de Ethel Halloway. Ethel foi amante de Orman, mas após o fim do caso que tiveram, ela se casou com o abastado John Halloway. Luther acredita que Orman é melhor sem Ethel, mas o ator não consegue resistir a um encontro improvisado com ela. Ele declara seu amor por Ethel e a convence a ir para o Brasil com ele. Logo após Orman telefonar para seu gerente e instrui-lo a encerrar a peça, Halloway entra e lhe mostra seu rifle favorito. Em seguida, ele atira em Orman e depois, afirmando que o fez acidentalmente, convence Ethel a prometer testemunhar a seu favor. Ela também diz a Orman que apoiará sua versão, ou seja, que o tiro foi proposital, e Orman finalmente percebe que ela mente para todos e que não tem a intenção de deixar seu marido por ele. Depois de afirmar que Halloway sentia falta dele e que estava apenas fingindo, Orman passa mal em seu carro e instrui Luther a levá-lo para o hospital.

Pouco tempo depois, Luther leva o fraque, com seu buraco de bala reparado, e o entrega a seu amigo Edgar, como garantia por um empréstimo de US$10. Edgar é o mordomo de Harry Wilson, um playboy de Manhattan, que vai se casar naquela noite com Diane. Enquanto Harry se recupera de sua despedida de solteiro da noite anterior, Diane recebe a visita de sua amiga Ellen, que está determinada a se divorciar de seu marido depois de encontrar provas de sua infidelidade no bolso de seu fraque. Diane a aconselha a não mexer nas roupas de seu marido e a leva de volta ao apartamento de Harry. Enquanto elas esperam por ele, Ellen insta Diane a dar uma olhada no bolso do seu fraque, onde ela encontra uma carta de amor tórrido de “Esquilo”. Harry ouve a arrasada Diane lendo em voz alta a carta e telefona para seu melhor amigo, George, a quem implora que venha imediatamente. Usando o fraque que Luther deu a Edgar, George diz à Diane que ele pegou o fraque de Harry, quando ele saiu na noite anterior, e que o fraque que ela procurou é, na verdade, dele. Diana fica satisfeita com a explicação e permite que George lhe faça companhia enquanto Harry termina de se vestir. A carta íntima faz com que ela passe a ver George com novos olhos e termina se apaixonando por ele. George, que sempre a amou, sente-se feliz, mas quando a Srta. Gray, o “esquilo” da carta, chega para castigar Harry por estar para se casar, George ainda tenta defendê-lo. Diane percebe tudo e, após devolver o anel de noivado, vai embora com George.

Luther e Edgar penhoram o fraque a fim de conseguirem dinheiro para Edgar. A Sra. Smith vê o fraque na loja e diz ao proprietário que adoraria comprá-lo para dar ao seu marido, Charles, que é um músico e compositor. Naquele momento, Charles que toca piano em um “saloon”, deixa seu degradante trabalho para assistir um ensaio do famoso maestro Arturo Bellini. Wilson, amigo de Charles, convence Bellini a ver o trabalho do amigo que, apesar de seu medo, interpreta “Bacchanale Moderne” para o maestro. Bellini fica impressionado com a apresentação de Charles e o convida para participar de seu próximo concerto. Na noite do evento, Wilson diz a Charles que ele deverá usar um fraque. Enquanto o pianista corre para o teatro, a Sra. Smith retorna à casa de penhores e compra o fraque, que se mostra muito pequeno para Charles. Nada pode ser feito e Charles entra no palco para interpretar sua sinfonia. Durante sua apresentação, ao fazer movimentos vigorosos, o fraque se rasga duas vezes e o público começa a rir. Um dos músicos presentes o informa sobre o ocorrido e ele retira o fraque, mas os risos da plateia continuam. Envergonhado, Charles soluça no palco, ocasião em que Bellini retira o seu próprio fraque, sendo acompanhado por outros homens da plateia, que em seguida lhe pedem para continuar com sua apresentação. A música de Charles é um sucesso e, depois de deixar o salão com sua esposa e Wilson, ele dá o fraque a um trabalhador.

O fraque é dado ao Padre Joe, um dedicado auxiliar de uma organização comunitária de vadios de Bowery. Certo dia, ele recebe uma carta de Avery Larry Browne convidando-o para a reunião do vigésimo quinto aniversário da turma de direito. No dia do evento, embriagado e sujo, Larry se recusa a comparecer. Joe, no entanto, depois de fazer com que ele se limpe e vista seu fraque, faz com que ele participe do jantar no Waldorf-Astoria. Uma vez lá, à medida que ele cumprimenta seus antigos companheiros, inclusive seu professor de inglês, Professor Lyons, ele se torna mais jovial. Ele comenta com seus amigos que se encontrava fora, na China, realizando um trabalho muito importante, e se diverte até a chegada de Williams, seu ex-sócio na sua firma de advocacia de Chicago. Durante a noite, Henderson, um dos participantes, acredita que sua carteira foi roubada e, quando Larry se recusa a tirar seu fraque, Williams o acusa de ladrão. Logo em seguida, Williams organiza um julgamento para provar que, devido ao seu baixo caráter, Larry deve ser condenado. Ele, ao se defender, afirma que lutou na primeira guerra mundial, casou-se com uma jovem adorável e foi sócio de Williams.

Durante a lei seca, Larry tinha uma prática bem-sucedida de proteger clientes de ocupações duvidosas, mas depois sua prática se desfez e ele foi expulso da Ordem, provavelmente através de maquinações de Williams. Depois de perder sua esposa, ele tornou-se um andarilho pelas ruas de Nova York nos últimos seis anos. Finalmente, ele retira o fraque e pede para que o examinem. Nesse momento, no entanto, o motorista de Henderson entra na sala em que todos se acham reunidos, e lhe entrega a carteira que ele deixara no carro. Completamente desanimado, Larry se embriaga e retorna à organização de Joe na manhã seguinte. Lá, chegam também ‘Soupy Davis’, H. R. ‘Hank’ Bronson e o juiz Tom Barnes, que vieram oferecer-lhe um emprego. Joe promete enviar Larry imediatamente e pede à esposa dele para vender o fraque aos irmãos Santelli, negociantes de roupas de segunda mão.

O fraque é roubado da loja por dois ladrões que desejam entrar em um clube par roubar seus sócios. Cometido o crime, os bandidos fogem em um pequeno avião. Durante o voo, quando faíscas da cabine atingem o fraque, os bandidos o jogam fora, por uma das janelas, sem se lembrarem de que o produto do roubo praticado no clube, num total de US$50.000, se achava escondido nele. O fraque cai num campo onde trabalham dois negros do sul, Luke e Esther. Por iniciativa de Esther, os dois entregam o dinheiro ao Reverendo Lazarus, seu pregador, que declara tratar-se de um maná do céu. Desejando ajudar a todos de sua comunidade, Lazarus decide dividir o dinheiro como uma forma de mostrar que as orações de todos foram ouvidas por Deus. Esther, que sonhava com uma vaca, recebe US$60, enquanto Luke recebe quase US$800 para comprar um trator novo. As crianças recebem alguns dólares para comprarem sapatos e brinquedos e os demais paroquianos recebem algum dinheiro para comprarem presentes, já que se acham na véspera do Natal. Depois que todos são atendidos, sobra ainda uma grande soma em dinheiro. Esther, então, sugere que a quantia restante seja utilizada para a construção de uma nova igreja, bem como, para a compra de ferramentas e sementes para que ninguém mais volte a passar fome. Finalmente, depois que todos se mostram satisfeitos, eles se lembram do velho Christopher, o mais pobre de todos. Juntos, vão ao seu encontro onde, depois de explicar-lhe o motivo de estarem ali e lhe perguntarem o que deseja de Natal, o velho declara que tudo o que ele deseja é algo que mantenha afastados os corvos que o incomodam. Assim, o outrora glorioso fraque se torna um espantalho no campo do velho Christopher.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta francês, Julien Duvivier, a partir de um roteiro escrito por Henry Blankfort, Alan Campbell e outros, “Seis Destinos” é um ótimo filme americano produzido pela Twentieth Century Fox Film Corporation em 1942. Sua trama, composta de seis episódios distintos, conta a história de um fraque que passa de mão em mão e as consequências sofridas por todos os que o possuíram.

Na direção, Duvivier, que se achava nos Estados Unidos no período em que a França esteve sob o domínio dos nazistas, nos brinda com mais um belo trabalho. Na área técnica, merece ser ainda destacada a bela fotografia assinada por Joseph Walker.

No elenco, Edward G. Robinson brilha no papel de Avery Larry Brown, seguido pelas ótimas atuações de Charles Boyer, Rita Hayworth, Thomas Mitchell, Henry Fonda, Ginger Rogers, Charles Laughton, Elsa Lanchester e George Sanders.

CAA