Filmes por gênero

UM MAU FILHO (1980)

Un mauvais fils
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: A bad son (USA, UK)
Un mal hijo (Argentina)
Der ungeratene sohn (Alemanha)
Zly syn (Polônia)
Rossz fiú (Hungria)
Tuhlaajapoika (Finlândia)
Pais: França
Gênero: Drama
Direção: Claude Sautet
Roteiro: Claude Sautet, Jean-Paul Torok, Daniel Biasini
Produção: Alain Sarde, Roland Girard
Design Produção: Dominique André
Música Original: Philippe Sarde
Fotografia: Jean Boffety
Edição: Jacqueline Thiédot
Figurino: Corinne Jorry
Efeitos Sonoros: Pierre Lenoir, Vincent Arnardi
Nota: 8.1
Filme Assistido em: 1984

Elenco

Patrick Dewaere Bruno Calgagni
Brigitte Fossey Catherine
Jacques Dufilho Adrien Dussart
Yves Robert René Calgagni
Claire Maurier Madeleine
André Julien André
David Pontremoli Carlos
Raouf Ben Yaghlane Tailleb
Antoine Bourseiller Psicólogo
Etienne Chicot Serge
Pierre Maguelon Comissário
Jean-Claude Bouillaud Henri
Franck-Olivier Bonnet Proprietário da empresa de transporte
Dominique Briand Oficial de polícia
Dominique Zardi Caixa
Sandra Montaigu Jovem no fliperama
Dany Baye Jovem no fliperama
Mado Maurin Mulher de André
Sophie Artur Empregada de Madeleine
Francis André-Loux Inspetor Bertrand
Claudine Delvaux Suzanne
Christiane Cohendy Assistente Social
Guy Di Rigo Inspetor em Roissy

Prêmios

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Ator Coadjuvante (Jacques Dufilho)

Indicações

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Direção (Claude Sautet)

César de Melhor Ator (Patrick Dewaere)

César de Melhor Atriz Coadjuvante (Claire Maurier)

César de Melhor Design de Produção (Dominique André)

César de Melhor Som (Pierre Lenoir )

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Depois de cinco anos passados numa penitenciária americana por uso e tráfico de drogas, Bruno Calgagni retorna à França. Esses cinco anos em que ficou encarcerado, ele pretende esquecê-los, mas por outro lado, não para de pensar em sua mãe morta durante esse período.

Ao se reencontrar com o pai em seu novo apartamento, o clima não é dos mais calorosos. Chefe de equipe em um canteiro de obras, René Calgagni é muito atarefado, tendo inclusive que preparar diariamente um relatório sobre a jornada e entregá-lo ao seu supervisor.

Por outro lado, Bruno está disposto a aceitar quaisquer trabalhos duros e momentâneos. Certo dia, ele é convocado a comparecer a uma organização que se ocupa com a reinserção de drogados no mercado de trabalho, onde lhe é proposta uma vaga em uma livraria. A relação com o pai torna-se cada vez mais tempestuosa.

Por outro lado, no entanto, ele conhece Catherine, uma ex-drogada que trabalha na mesma livraria. Após declarar seu amor por ela, Bruno se instala em seus aposentos. Adrien Dussart, o patrão homossexual, tenta esconder sua angústia e sua solidão através de sua sensibilidade para o belo.

Bruno procura reatar os laços de amizade com o pai, mas toma conhecimento que ele havia refeito sua vida com a cunhada Madeleine, antes mesmo da morte de sua mãe. Quando Catherine volta a se drogar, Bruno tenta ajudá-la, mas termina tendo uma recaída. É Dussart quem os faz reagir. Após a cura, Catherine decide ir embora enquanto Bruno deixa a livraria para se tornar um marceneiro.

Ao voltar a procurar o pai, ele o encontra imobilizado e desiludido em sua casa, após ter o mesmo sofrido um acidente de trabalho. Os dois finalmente se reconciliam e, em seguida, Bruno telefona para Catherine...

imagem

Comentários

Baseado numa história escrita por Daniel Biasini, “Um Mau Filho” é um belo filme realizado pelo cineasta francês Claude Sautet. Através de sua trama, o filme aborda assuntos como as drogas e a homossexualidade, procurando mostrar a marginalidade em que as pessoas envolvidas vivem, bem como, as consequências que muitas vezes ocorrem, como a solidão, a frustração, a cólera, o remorso.

Na direção, Sautet se mostra impecável com a firmeza com que trata o assunto. A fotografia de Jean Boffety e a trilha sonora assinada por Philippe Sarde também merecem destaques. No elenco, a dupla formada por Jacques Dufilho e Patrick Dewaere se mostra impecável como pai e filho. Para terminar, não poderia deixar de citar Brigitte Fossey, aquela garotinha de apenas seis anos que conheci ao assistir o fabuloso “Brinquedo Proibido”, de 1952, 72º filme na minha relação dos melhores 500, agora transformada numa bela mulher de 34 anos.

CAA