Filmes por gênero

HORAS DE VERÃO (2008)

L'Heure d'Été
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Tempos de verão (Portugal)
Las horas del verano (Espanha, Argentina)
Summer hours (USA, UK)
Pais: França
Gênero: Drama
Direção: Olivier Assayas
Roteiro: Olivier Assayas
Produção: Charles Gillibert, Marin Karmitz, Nathanaël Karmitz
Fotografia: Eric Gautier
Edição: Luc Barnier
Efeitos Sonoros: Nicolas Cantin, Olivier Goinard, Jérôme Chenevoy e outros
Nota: 8.2
Filme Assistido em: 2009

Elenco

Juliette Binoche Adrienne
Charles Berling Frédéric
Jérémie Rénier Jérémie
Edith Scob Hélène
Dominique Reymond Lisa
Valérie Bonneton Angela
Isabelle Sadoyan Éloïse
Kyle Eastwood James
Alice de Lencquesaing Sylvie
Emile Berling Pierre
Jean-Baptiste Malartre Michel Waldemar
Gilles Arbona Maître Lambert
Eric Elmosnino Comissário de Polícia
Marc Voinchet Apresentador da rádio
Christian Lucas Sobrinho de Éloise
Philippe Paimblanc Prefeito de Valmondois
Luc Bricault Turista no Museu d'Orsay
Marie Bélie Vaulet Guia do Museu d'Orsay
Bruno Ecault Restaurador de esculturas

Prêmios

Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles, EUA

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro

Indicações

Prêmios César - Academia das Artes do Cinema, França

César de Melhor Atriz Coadjuvante (Edith Scob)

Sinopse

Hélène Berthier é uma senhora francesa que vive em sua casa de campo localizada a 50 minutos de Paris. Sua maior preocupação é cuidar de inúmeras obras raras que possui, como objetos, móveis ‘art nouveau’ e quadros de artistas consagrados, onde se inclui seu tio, Paul Berthier, excepcional pintor do século XIX. Ela se preocupa também com o peso da herança que deixará para seus filhos e netos depois de sua morte.

No dia em que completa 75 anos de idade, ela recebe a visita de seus três filhos acompanhados dos netos. Dos filhos, apenas o mais velho, Frédéric, continua a morar na França, onde é economista e professor universitário em Paris; sua filha Adrienne é uma bem sucedida designer em Nova York; e Jérémie é um jovem executivo de uma multinacional que o designou para trabalhar na China.

Hélène tenta orientar seu filho mais velho a respeito do que será feito com o espólio da família, após sua morte, procurando mostrar-lhe que não se trata apenas de preservar a memória desse passado, mas de toda uma época. Para ela, a doação para um museu não é a melhor solução, pois os objetos são catalogados, classificados e fechados em um ambiente completamente impessoal, sem alma.

Poucos meses depois, Hélène morre e seus três filhos voltam a se reunir para decidirem sobre o que fazer com a herança. Na oportunidade, Frédéric, o único dos filhos que continua morando na França, é totalmente a favor da manutenção da casa e também dos objetos que estão nela, com a ideia de que futuramente seus filhos usufruirão daquele lugar. Jérémie, o segundo irmão, se coloca, um pouco constrangido, a favor da venda dos bens devido ao fato de que, como já não mora mais na França e que poucas vezes voltará à Europa, não tirará proveito da casa como tiraria do dinheiro resultante da venda dos bens. Adrienne pega para ela apenas alguns poucos utensílios da casa e é a favor de vender até os cadernos de desenho do tio-avô, uma relíquia que pertence à família e que, a pedido da mãe, não deveria ser descartada. Assim, acatando a posição de seu irmão Jérémie, ela resolve a questão.

imagem imagem imagem

Comentários

Escrito e dirigido pelo cineasta parisiense Olivier Assayas, “Horas de Verão” é mais um ótimo filme do cinema francês. Sua trama gira em torno da preocupação de uma senhora, de 75 anos de idade, em relação ao destino que seus filhos darão aos seus bens, de valor sentimental inestimável, após sua morte. Sem dúvida alguma, trata-se de um drama familiar que dá ao espectador a oportunidade de fazer diversas leituras.

Olivier Assayas nos brinda com um filme muitíssimo bem elaborado, trabalho esse que ainda é realçado pela bela fotografia de Éric Gautier.

No elenco, merecem atenção as atuações das atrizes Edith Scob, aos 70 anos de idade, e de Juliette Binoche.

CAA