Filmes por gênero

O LEITOR (2008)

The Reader
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Der vorleser (Alemanha)
The reader - A voce alta (Itália)
El lector (Espanha)
Una pasión secreta (México, Peru))
Le liseur (Canadá francês)
Lektor (Polônia)
A felolvasó (Hungria)
Pais: Estados Unidos, Alemanha
Gênero: Drama, Romance
Direção: Stephen Daldry
Roteiro: David Hare
Produção: Sydney Pollack, R. Morris, Anthony Minghella, Donna Gigliotti
Design Produção: Brigitte Broch
Música Original: Nico Muhly
Fotografia: Roger Deakins, Chris Menges
Edição: Claire Simpson
Direção de Arte: Christian Goldbeck, Erwin Prib, Stefan Hauck, Yesim Zolan
Figurino: Ann Roth, Donna Maloney
Guarda-Roupa: Heike Hütt, Bettina Seifert, Sandi Figueroa e outros
Maquiagem: Linda Melazzo, Annett Schulze, Ivana Primorac e outros
Efeitos Sonoros: Manfred Banach, Blake Leyh, Michael Barry e outros
Efeitos Especiais: Michael Apling, Adolf Wojtinek, Bernd Wildau e outros
Efeitos Visuais: Peter Chiang, Jim Rider, Mark Dornfeld e outros
Nota: 9.1
Filme Assistido em: 2009

Elenco

Ralph Fiennes Michael Berg
Kate Winslet Hanna Schmitz
Lena Olin Rose Mather / Ilana Mather
Jeanette Hain Brigitte
David Kross Michael Berg, jovem
Susanne Lothar Carla Berg
Alissa Wilms Emily Berg
Florian Bartholomäi Thomas Berg
Friederike Becht Angela Berg
Matthias Habich Peter Berg
Frieder Venus Médico
Marie-Anne Fliegel Vizinha de Hanna
Rainer Sellien Professor
Moritz Grove Holger
Alexandra Maria Lara Ilana Mather, jovem
Hannah Herzsprung Julia
Ava Eusepi-Harris Julia, jovem
Bruno Ganz Professor Rohl
Jürgen Tarrach Gerhard Bade
Kirsten Block Juiza
Vijessna Ferkic Sophie
Vanessa Berthold Amiga de Sophie
Benjamin Trinks Amigo de Holger
Sylvester Groth Conselheiro de Acusação
Fabian Busch Conselheiro de Defesa de Hanna
Volker Bruch Dieter
Karoline Herfurth Marthe
Max Mauff Rudolf
Linda Bassett Sra. Brenner
Sam Luca Scollin Repórter

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz (Kate Winslet)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Atriz (Kate Winslet)

Academia do Cinema Europeu

Prêmio de Melhor Atriz (Kate Winslet)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Kate Winslet)

Círculo de Críticos de Cinema de Londres, Inglaterra

Prêmio Atriz do Ano (Kate Winslet)

Prêmios Bambi, Alemanha

Prêmio Bambi de Melhor Atriz Internacional (Kate Winslet)

Associação dos Críticos de Cinema de Chicago

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Kate Winslet)

Prêmios do Cinema Europeu

Prêmio de Melhor Atriz (Kate Winslet)

Sociedade dos Críticos de Cinema de Las Vegas

Prêmio Sierra de Melhor Atriz (Kate Winslet)

Prêmio Sierra de Melhor Ator Jovem (David Kross)

Sociedade dos Críticos de Cinema de San Diego, USA

Prêmio de Melhor Atriz (Kate Winslet)

Festival Internacional de Sofia, Bulgária

Prêmio do Público (Stephen Daldry)

Associação dos Críticos de Cinema de St. Louis, USA

Prêmio de Melhor Atriz (Kate Winslet)

Círculo dos Críticos de Cinema de Vancouver, Canadá

Prêmio de Melhor Atriz (Kate Winslet)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme

Oscar de Melhor Direção (Stephen Daldry)

Oscar de Melhor Roteiro Adaptado

Oscar de Melhor Fotografia

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Direção (Stephen Daldry)

Prêmio de Melhor Roteiro Adaptado

Prêmio de Melhor Fotografia

Academia do Cinema Europeu

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Ator (David Kross)

Prêmios David di Donatello, Itália

David de Melhor Filme da União Européia (Stephen Daldry)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Drama

Prêmio de Melhor Direção (Stephen Daldry)

Prêmio de Melhor Roteiro

Círculo de Críticos de Cinema de Londres, Inglaterra

Prêmio Atriz Britânica do Ano (Kate Winslet)

Prêmio Roteirista do Ano (David Hare )

Associação dos Críticos de Cinema de Chicago

Prêmio de Melhor Revelação Masculina (David Kross)

Prêmios do Cinema Europeu

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Ator (David Kross)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Diretor Europeu (Stephen Daldry)

Festival Robert de Copenhague, Dinamarca

Robert de Melhor Filme Não Americano (Stephen Daldry)

Festival de Cinema de Sannio, Itália

Prêmio de Melhor Atriz (Kate Winslet)

Prêmios Satellite, Los Angeles

Prêmio Golden Satellite de Melhor Filme - Drama

Prêmio Golden Satellite de Melhor Direção (Stephen Daldry)

Prêmio Golden Satellite de Melhor Roteiro Adaptado (David Hare )

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Berlim, 1995 – Michael Berg, um homem bem vestido, prepara o café da manhã para uma mulher com quem passou a noite. De repente, ao olhar para fora, ele vê passar o metrô de superfície da cidade, o que o faz lembrar-se de um bonde em 1958 na cidade de Neustadt.

Assim, em flashback, o filme volta 37 anos no tempo, onde se vê o adolescente Michael vagando pelas ruas de Neustadt até parar na entrada de um prédio onde começa a vomitar. Hanna Schmitz vai ao seu encontro e o auxilia a voltar para casa. Michael é diagnosticado com escarlatina e deve permanecer em casa pelos próximos três meses. Tudo o que ele vai poder fazer é examinar os seus selos e esperar que o tempo passe.

Depois que se recupera, ele volta ao prédio onde vomitara para entregar um buquê de flores à Hanna, como forma de agradecer-lhe por tê-lo ajudado. Ela, então, lhe pede para acompanhá-la de bonde ao seu trabalho. No entanto, ao ser apanhado olhando-a enquanto ela se veste, o adolescente foge de vergonha. Ao voltar, dias depois, para pedir-lhe desculpas, ela o seduz. Apesar de Hanna ser quinze anos mais velha que ele, depois desse episódio, Michael passa a voltar para ela todos os dias depois da escola, rejeitando o claro interesse das garotas de sua idade.

Assim, os dois começam um relacionamento que se estende por todo o verão. No apartamento de Hanna, ele lê para ela obras literárias como “A Odisseia” de Homero, “A Dama do Cachorrinho” de Anton Chekhov e “As Aventuras de Huckleberry Finn” de Mark Twain. Por outro lado, ele vende seus selos e os dois partem de bicicleta numa turnê pela zona rural.

Quando Hanna é promovida pela empresa de bondes em que trabalha, ela se torna instável e chega a discutir com Michael quando ele tenta ler a obra de Chekhov. Naquela noite, eles fazem amor pela última vez e ela, então, se afasta sem dizer-lhe para onde está indo. O jovem fica com o coração partido.

Oito anos mais tarde, em 1966, Michael estuda na Faculdade de Direito de Heidelberg. Como parte de um seminário especial, ministrado pelo professor Rohl, sobrevivente de um Campo de Concentração, ele observa o julgamento de várias mulheres acusadas de deixar 300 judias morrerem durante o incêndio de uma igreja, quando elas eram guardas da SS, durante as marchas da morte que se seguiram à evacuação do Campo de Auschwitz em 1944. Michael fica atônito ao verificar que Hanna é uma das acusadas. O julgamento divide o seminário, com alguns alunos dizendo que não têm nada a aprender com um fato do passado, e outros que os alemães da velha geração deveriam se matar pelo ocorrido.

A evidência-chave é o testemunho de Ilana Mather, uma jovem judia que escreveu um livro de memórias sobre como ela e sua mãe sobreviveram. Ao ser interrogada, Hanna atesta, contrariando as demais acusadas, que ela sabia que Auschwitz era um Campo de Extermínio e que as dez mulheres por ela escolhidas foram mortas numa câmara de gás. Por outro lado, nega a autoria de um relatório sobre o incêndio de um celeiro, apesar das pressões das demais acusadas, mas termina admitindo quando lhe solicitam uma amostra de sua caligrafia. Na plateia, Michael percebe que ela é analfabeta e que muitas de suas escolhas na vida foram feitas para ocultar tal condição. Até sua escolha para se juntar à SS tem a ver com seu analfabetismo. Sem ser específico, ele informa Rohl que tem informações favoráveis a uma das rés, mas que não está seguro se deve ou não fornecê-las, pois ela própria quer evitar sua divulgação. Rohl lhe responde que, se ele não aprendeu nada sobre o passado, não há motivo para que se realize o seminário.

Hanna e as outras acusadas recebem sentenças diversas pela participação na morte das judias durante o incêndio da igreja. Por outro lado, Michael se casa, tem uma filha, mas continua a ser emocionalmente retraído. Tempos depois, seu casamento termina e ele se torna distante da filha. Redescobrindo seus livros e notas da época do seu romance com Hanna, ele restabelece contato com ela, gravando seus conteúdos em fitas cassetes e as enviando para o presídio. Hanna passa a utilizar esse material em seu aprendizado e, com o tempo, começa a ler os livros da biblioteca do presídio e a escrever para Michael. Este, no entanto, não lhe responde nem a visita, mas continua a enviar-lhe as fitas.

Em 1988, Michael recebe uma carta da prisão pedindo-lhe que ajude Hanna a conseguir um emprego, pois sua libertação está próxima. Relutantemente, ele concorda em ajudá-la. Nesse sentido, consegue um trabalho e um apartamento para ela, mas quando a visita uma semana antes de sua saída da prisão, ele se mostra indiferente. Ela comenta que, antes do julgamento, nunca havia pensado sobre sua participação como guarda da SS. Depois que ele sai, ela comete suicídio e deixa uma nota para Michael e uma lata de chá com dinheiro. No seu testamento, pede a Michael para dar sua poupança à família de um dos prisioneiros de Auschwitz.

Algum tempo depois, Michael vai à Nova York. Uma vez lá, ao se encontrar com Ilana, ele lhe fala sobre seu relacionamento com Hanna, bem como, sobre o desejo dela em relação ao destino de sua poupança e da lata de chá. Após dizer a Michael que não há nada a ser aprendido sobre os campos de extermínio, Ilana sugere que ele vá a um teatro se estiver à procura de uma catarse. Por sua vez, Michael sugere que o dinheiro seja doado a uma organização que combata o analfabetismo adulto, de preferência se for em benefícios de judeus, com o que ela concorda. Ilana concorda também em ficar com a lata de chá, pois a mesma é similar a uma que possuía quando foi enviada para o campo de concentração.

Em 1995, Michael se reúne com sua filha, Julia, que acaba de voltar de Paris, onde esteve por um ano. Ele admite seu fracasso como pai e a leva à igreja na qual ele e Hanna estiveram durante a turnê de bicicleta quase quarenta anos antes. A seguir, ele mostra a sepultura dela e começa a falar sobre o relacionamento que os dois tiveram no passado.

imagem imagem imagem

Comentários

“O Leitor” é um excelente filme realizado pelo cineasta britânico Stephen Daldry. Trata-se de um drama comovente sobre a complexa relação entre um jovem e uma ex-guarda da SS nazista, quinze anos mais velha que ele. Sua trama procura mostrar como pessoas normais são capazes de executar atos hediondos em circunstâncias extremas.

Baseado num livro de Bernhard Schlink, David Hare escreveu um roteiro admirável, o que sem dúvida alguma ajudou Daldry na direção do filme, a ponto deste ser indicado ao Oscar de Hollywood, aos prêmios de melhor direção concedidos pelas Academias Britânica e Europeia, além dos prêmios Globo de Ouro e David di Donatello.

O elenco, como um todo, nos brinda com ótimas atuações, com destaque para a atriz britânica Kate Winslet, ganhadora do Oscar e dos prêmios de melhor atriz patrocinados pela Academia Britânica de Cinema e Televisão, pela Academia do Cinema Europeu, pelo Globo de Ouro e pelo Círculo de Críticos de Cinema de Londres.

CAA