Filmes por gênero

UM SONHO POSSÍVEL (2009)

The Blind Side
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: The blind side - Un sueño posible (Espanha)
L'éveil d'un champion (Canadá francês)
Blind side - Die große chance (Alemanha)
Un sueño posible (México, Argentina)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: John Lee Hancock
Roteiro: John Lee Hancock
Produção: Broderick Johnson, Andrew A. Kosove, Gil Netter
Design Produção: Michael Corenblith
Música Original: Carter Burwell
Fotografia: Alar Kivilo
Edição: Mark Livolsi
Direção de Arte: Thomas Minton
Figurino: Daniel Orlandi
Guarda-Roupa: Amanda Zenil, Sally Wilkerson, Andrea Knaub
Maquiagem: Sarah Mays, Susan Ransom, Pamela S. Westmore
Efeitos Sonoros: Mary H. Ellis, Steve Pederson, Jon Johnson e outros
Efeitos Especiais: David Fletcher, Thomas Kittle, Greg Oliver e outros
Efeitos Visuais: Mark Dornfeld, Dion Hatch, Dion March e outros
Nota: 7.6
Filme Assistido em: 2010

Elenco

Sandra Bullock Leigh Anne Tuohy
Tim McGraw Sean Tuohy
Quinton Aaron Michael Oher
Kathy Bates Sra. Sue
Jae Head S.J. Tuohy
Lily Collins Collins Tuohy
Ray McKinnon Treinador Burt Cotton
Sharon Morris Investigadora Granger
Kim Dickens Sra. Boswell
Catherine Dyer Sra. Smith
Andy Stahl Diretor Sandstrom
Tom Nowicki Professor de literatura
Melody Weintraub Professora de história
Libby Whittemore Professora sarcástica
Paul Amadi Steve Hamilton
Hampton Fluker David
Brian Hollan Jay Collins
Rhoda Griffis Beth
Eaddy Mays Elaine
James Donadio Fotógrafo
Brett Rice Primo Bobby
Preston Brant Marcus

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz (Sandra Bullock)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Sandra Bullock)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme

Sinopse

Natural de Memphis, Tennessee, Michael Oher é um jovem adolescente de 17 anos, sem-teto, vindo de um lar desfeito por uma mãe viciada em drogas e um pai ausente. Por um golpe de sorte, ele é visto por um treinador de futebol americano, ao brincar com uma bola numa pequena quadra. Naquele momento, o referido treinador estava à procura de um jogador do tamanho de Michael e, animado, consegue dobrar a rigidez dos responsáveis por uma escola cristã particular.

Michael mostra-se uma pessoa tranqüila, com uma personalidade infantil, e logo faz amizade com os irmãos Jay e Collins Tuohy. Numa noite gelada de inverno, quando ele se acha a caminho do ginásio da escola, onde costuma dormir, ele se encontra com Jay e Collins, os quais se acham acompanhados de seus pais, Sean e Leigh Anne Tuohy. A família o pega e o leva para casa, por conta daquela noite fria. No entanto, ele fica para a noite seguinte, o que deixa Sean perplexo, embora as crianças o aceitem com naturalidade.

Interessando-se por ele, Leigh Anne oferece-lhe um quarto e cama. Na escola, ela procura saber como ele tem se saído em seus exames. O único comentário positivo que os professores têm a respeito dele é ser possuidor de um grande instinto protetor. Leigh Anne resolve usar esse predicado para explicar-lhe como jogar no campo. Até aquele momento, ele não havia sido capaz de pegar o jeito do jogo e suas regras, bem como, de entender exatamente qual o seu papel no campo.

Assim, graças à Leigh Anne, Michael começa a jogar bem e a ser útil à sua equipe. Na fotografia tradicional da família para o cartão de Natal daquele ano, Leigh Anne faz questão que Michael seja incluído. Num restaurante que ela costuma freqüentar com as amigas Beth, Elaine e Sherry, quando estas riem de seu projeto, ela lhes diz que se não respeitam o que ela faz, é melhor que parem de se ver.

Uma oportunidade surge para Michael jogar a nível universitário, porém, para consegui-lo, ele precisa melhorar suas notas.  Os Tuohys contratam, imediatamente, uma professora de aulas particulares, a amável Srta. Sue que, em pouco tempo, tem êxito em seus esforços.

Chega o momento em que Leigh Anne deseja ter uma conversa cara-a-cara com a mãe de Michael. Embora esta não se mostre receptiva no início, termina conversando e desejando o melhor para o filho. Leigh Anne enfrenta, também, uns caras que haviam feito ameaças a Michael, deixando-os paralisados e sem fala.

Três universidades se interessam por Michael. Jay conversa com os respectivos treinadores e conduz as negociações em nome de Michael, o qual deve tomar uma decisão. Ele escolhe a Universidade de Mississippi, onde Sean havia jogado e Leigh Anne havia sido chefe de torcida. Tal escolha faz com que a Investigadora Granger o questione, por acreditar que os Tuohys e a Srta. Sue o estejam usando para beneficiar aquela universidade particular. No final, ele declara que os Tuohys são sua família, argumento aceito e elogiado pela investigadora.

imagem imagem imagem

Comentários

Inspirado na história real de Michael Oher, um jovem sem-teto afro-americano que é adotado por uma abastada família do Tennessee, e vem a se tornar um astro do futebol americano, “Um Sonho Possível” é um bom filme, embora não a ponto de ser indicado ao Oscar, como o foi. Escrito e dirigido por John Lee Hancock, um cineasta pouco conhecido, em seu quarto longa-metragem, é inegável que há méritos em seu trabalho, como a preocupação com os diálogos e a linguagem corporal.

Na área técnica, merecem ainda serem destacadas a fotografia de Alar Kivilo e a edição de Mark Livolsi. A história, em si, é bastante interessante, e o enredo é suficientemente convincente. Embora se trate de um drama, o filme tem seus momentos de bom humor, principalmente protagonizados por Jae Head, no papel do filho caçula Leigh Anne, personagem vivido por Sandra Bullock. Esta foi agraciada com o Oscar de Melhor Atriz, concorrendo com atrizes de peso como Meryl Streep e Helen Mirren. Finalmente, não poderia deixar de falar na agradável surpresa que foi a presença de Quinton Aaron, em seu primeiro filme para a telona, no papel do afro-americano Michael Oher.

CAA