Filmes por gênero

CRÔNICA DA INOCÊNCIA (2000)

La comédie de l'innocence
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Comedy of Innocence (Estados Unidos)
La comedia de la inocencia (Espanha)
Figlio di 2 madri (Itália)
Komedia niewinnosci (Polônia)
Az ártatlanság komédiája (Hungria)
Pais: França
Gênero: Drama, Suspense
Direção: Raoul Ruiz
Roteiro: Raoul Ruiz, François Dumas
Produção: Antoine de Clermont-Tonnerre, Martine de Clermont-Tonnerre
Design Produção: Bruno Beaugé
Música Original: Jorge Arriagada
Fotografia: Jacques Bouquin
Edição: Mireille Hannon
Figurino: Nathalie Raoul
Maquiagem: Thi-Loan Nguyen
Efeitos Sonoros: Jean-Claude Brisson, Pascal Mazière, Béatrice Clérico
Efeitos Especiais: Christophe Messaoudi
Nota: 8.2
Filme Assistido em: 2007

Elenco

Isabelle Huppert Ariane
Jeanne Balibar Isabella
Nils Hugon Camille
Denis Podalydès Pierre
Charles Berling Serge
Laure de Clermont-Tonnerre Hélène
Chantal Bronner Martine
Edith Scob Laurence
Bruno Marengo Alexandre
Nicolas de La Baume Advogado
Alice Souverain Amiga de Hélène
Emmanuel Clarke Yannick
Jean-Louis Crinon Taxista
Valéry Schatz Taxista

Indicações

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio Leão de Ouro (Raoul Ruiz)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Camille é um garoto de nove anos. Ele vive num confortável apartamento de seus pais e possui uma pequena câmera com a qual registra tudo o que se passa ao seu redor.

No dia de seu aniversário, reunidos em torno de uma mesa, sua mãe, seu pai e seu tio comemoram a data quando ele sai com a seguinte pergunta: “Mamãe, onde você se encontrava no dia de meu nascimento?”. A pergunta é acompanhada de um sorriso, mas a situação se complica quando ele, logo a seguir, anuncia que a partir daquele instante não vai mais chamá-la de mãe e sim de Ariane, seu prenome.

Algumas horas mais tarde, Camille e Hélène, empregada de confiança da casa, vão passear num parque próximo e, pouco depois, Ariane vai ao encontro deles. Camille volta ao assunto levantado em casa e lhe diz que gostaria de apresentá-la à sua verdadeira mãe. Segundo ele, ela mora em Paris em um endereço por ele conhecido. Ariane decide entrar no jogo do filho e se dispõe a acompanhá-lo. Assim, eles pegam um táxi e seguem até um determinado local que Camille diz ser sua verdadeira casa. Logo na entrada, uma placa informa: “Isabella Stirner – Curso de Violino”. Como ninguém os atende, eles batem no apartamento vizinho, onde a proprietária os recebe e concorda em lhes mostrar o apartamento de Isabella, já que dispõe de uma duplicata das chaves. Ao entrarem, Camille se comporta como se conhecesse o local. Uma das paredes se destaca com diversas fotos de um garotinho morto anos atrás. A vizinha acha tudo aquilo muito estranho e Ariane passa mal.

Dias depois, um telegrama informa que Isabella já está de volta à Paris. Interessada em desvendar esse mistério, Ariane volta ao local com o filho e, ao chegarem lá, Camille corre para os braços da “mãe” e, em seguida, apresenta-lhe Ariane como uma amiga. As duas conversam. Ariane diz não saber como Camille descobriu aquele endereço e Isabella fala de um filho, Paul, que morrera anos atrás e que, se estivesse vivo, teria agora nove anos.

Na manhã seguinte, quando Isabella confessa que, agora, não consegue mais ficar muito tempo longe de Camille, Ariane, com receio de perder o filho, propõe que todos passem a morar juntos. Querendo ajudar, Serge, irmão de Ariane, procura o sobrinho para ter uma conversa com ele, mas o garoto se nega a falar alegando que não tem nada a dizer. Fica ainda furioso quando o tio o chama de Camille, alegando que seu verdadeiro nome é Paul.

Dizendo-se assistente de Isabella, Martine a leva até uma clinica psiquiátrica, onde Serge trabalha. Por outro lado, ao saber que Camille não se acha em casa, este telefona para Hélène a fim de ter notícias. O telefone toca. É Pierre avisando que vai voltar da viagem, ocasião em que Serge lhe diz que o apanhará no aeroporto e que os dois precisam conversar. Logo a seguir, Martine procura Pierre para avisá-lo que Isabella desapareceu da Clínica.

Em casa, Ariane conversa com Hélène quando ouve o som do piano. Preocupada, vai até a sala de música onde encontra Alexandre, um garoto aparentemente da mesma idade do filho. Este lhe diz que Camille lhe havia falado muito sobre ela e Ariane confessa que acreditava que ele fosse uma invenção do filho. Alexandre lhe entrega uma sacola e lhe diz que Camille lhe pedira para fazer isso caso ocorresse algo com ele. Depois de se despedir, o garoto sai pela janela afirmando que foi por ali que entrara. Ainda assustada, Ariane procura Hélène para dizer-lhe que está de posse dos vídeos feitos pelo filho.

Depois de assistir a todos, ela finalmente descobre tudo o que se passou. Acompanhada do irmão, vai até o local onde se encontram Isabella e Camille. Este, ao vê-la, corre para seus braços, feliz, chamando-a de mamãe. Ao voltarem para casa, o telefone toca. É Pierre avisando à mulher que estará retornando à Paris na manhã seguinte.

imagem imagem imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta chileno Raoul Ruiz, “Crônica da Inocência“ é um ótimo filme do cinema francês. Embora carregada de uma ambivalência inicialmente preocupante, sua trama é envolvente e nos mantém em suspense do início ao fim da projeção. A atmosfera de mistério que permeia o filme só vem a se dissipar nos últimos minutos.

No elenco, Isabelle Huppert nos brinda com uma ótima atuação, mas é o ator mirim Nils Hugon, de apenas dez anos, o maior destaque desse quesito.

CAA