Filmes por gênero

UMA GAROTA DIVIDIDA EM DOIS (2007)

La Fille Coupée em Deux
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Die zweigeteilte Frau (Alemanha)
L'innocenza del peccato (Itália)
The girl cut in two (Estados Unidos)
Una mujer partida en dos (Argentina)
Pais: França, Alemanha
Gênero: Drama
Direção: Claude Chabrol
Roteiro: Claude Chabrol, Cécile Maistre
Produção: Patrick Godeau
Design Produção: Françoise Benoît-Fresco
Música Original: Matthieu Chabrol
Fotografia: Eduardo Serra
Edição: Monique Fardoulis
Figurino: Mic Cheminal
Guarda-Roupa: Sandrine Bernard
Maquiagem: Maya Benamer
Efeitos Sonoros: Eric Devulder, Jean-Alexandre Villemer e outros
Efeitos Visuais: Nicolas David
Nota: 6.8
Filme Assistido em: 2009

Elenco

Ludivine Sagnier Gabrielle Aurore Deneige
Benoît Magimel Paul André Claude Gaudens
François Berléand Charles Saint-Denis
Mathilda May Capucine Jamet
Valeria Cavalli Dona Saint-Denis
Marie Bunel Marie Deneige, mãe de Gabrielle
Etienne Chicot Denis Deneige, tio de Gabrielle e ilusionista
Caroline Sihol Geneviève Gaudens, mãe de Paul
Didier Bénureau Philippe Le Riou, diretor da Televisão
Thomas Chabrol Dr. Stéphane Lorbach
Hubert Saint-Macary Bernard Violet
Stéphane Debac Antoine Volte
Jean-Marie Winling Gérard Briançon
Cécile Maistre Cécile
Charley Fouquet Eléonore Gaudens
Clémence Bretécher Joséphine Gaudens
Alain Bauguil Louis Giraudet
Emanuel Booz Alban
Edouard Baer Edouard, ator entrevistado
Benoît Charpentier Ele próprio
Pierre-François Dumeniaud Sr. Junot
Gérard Moulévrier Um proponente

Prêmios

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio Bastone Bianco (Claude Chabrol)

Sinopse

Em Lyon, Charles Saint-Denis é um famoso escritor que vive com sua mulher, Dona, na bela e moderna casa de campo que possuem. Embora afirme ser muito bem casado, costuma seduzir jovens que as leva para um apartamento que tem na cidade.

Quando do lançamento de seu último livro, após ser entrevistado pela televisão local, é homenageado com um coquetel onde conhece Gabrielle Deneige, uma bela jovem que trabalha na TV como “A Garota do Tempo”. No dia seguinte, na Livraria Giraudet, ele proporciona uma tarde de autógrafos, oportunidade em que presenteia Gabrielle com um exemplar autografado de seu livro e a convida para acompanhá-lo a um leilão no sábado seguinte. Logo em seguida, chega ao local Paul André Gaudens, um jovem desequilibrado que não trabalha e vive a gastar o dinheiro do multimilionário pai, proprietário dos conhecidos Laboratórios Gaudens. Depois de ser indelicado e tratar o escritor com certa ironia, Paul se apresenta à Gabrielle. Esta lhe diz ter sido engraçado seu pequeno show e segue para a TV onde deve apresentar seu programa.

No sábado, conforme combinado, Charles e Gabrielle vão ao leilão, onde ele arremata um livro de 1937, “La Femme et le Pantin”, do escritor erotomaníaco Pierre Louys, e a presenteia. Em seguida, vão ao seu apartamento onde, depois de fazerem amor, ele dá a entender que não terão um segundo encontro. Irritada, ela lhe atira o livro e se retira em seguida.

Num segundo encontro, Paul se diz apaixonado e tenta beijar Gabrielle à força. Ela, entretanto, consegue se livrar dele e ir embora. No dia seguinte, ele a procura em seu camarim com um buquê de flores para se desculpar. Na mesma hora, chega um portador com outro buquê enviado por Charles. Ela larga tudo e corre para os braços do escritor.

Quando Charles viaja à Londres em companhia de sua editora, Capucine Jamet, Gabrielle adoece. Nesse período, Paul liga diariamente para ela expressando seu amor, além de conseguir visitá-la. Quando ela melhora, os dois vão até Portugal, onde ela compra um presente para Paul em agradecimento por ele ter cuidado dela, lembrando-lhe, entretanto, que o melhor é continuarem apenas como amigos. Desolado, ele decide voltar para Lyon, deixando-a sozinha em Lisboa. Sentindo-se insegura, ela o procura e lhe diz que, se ele quiser, ela se casa com ele.

Tal notícia não é bem aceita pela Sra. Geneviève Gaudens, mãe de Paul, que acredita que o filho vai fazer uma grande asneira. Por outro lado, Charles interrompe uma sessão em que Gabrielle está a provar seu vestido de noiva, para dizer-lhe que ela não se casará com aquele desequilibrado. Ato contínuo, Gabrielle lhe dá sua palavra de que o tal casamento não se realizará se ele largar a mulher para ficar com ela. Como a separação de sua mulher é algo impensável para Charles, ele se retira.

Gabrielle e Paul casam-se e voltam à Lisboa para a lua-de-mel. Lá, ele continua a sentir que ela não consegue esquecer Charles e ameaça deixá-la. De volta à Lyon, o casal comparece a uma festividade promovida por uma Associação da qual a Sra. Geneviève é fundadora e presidente. Num determinado momento, a mãe de Paul convida Charles para dizer algumas palavras aos presentes. Ao iniciar seu discurso, entretanto, o escritor é morto por dois tiros disparados à queima-roupa por Paul, que, em seguida, se dirige à platéia para dizer que o matou por ser ele o monstro que corrompeu sua mulher. Paul é preso e Gabrielle volta para a casa da mãe.

Inconsolada com a morte do homem que realmente amava, ela fica ainda mais incomodada quando a sogra, através do Dr. Lorbach, advogado da família Gaudens, lhe diz que somente ela poderá livrar Paul de ser sentenciado com a pena máxima. Para tanto, ela precisa apenas depor contra Charles, o que ela termina fazendo, não para atender ao pedido da sogra, mas unicamente por uma questão de justiça. No julgamento do marido, o júri considera as circunstâncias atenuantes e Paul é finalmente condenado a apenas sete anos de prisão num estabelecimento especial. Ao procurar visitá-lo, Gabrielle não é recebida por ele e, posteriormente, sua sogra lhe informa que ela irá receber uma carta com um pedido de divórcio.

Dias depois, Gabrielle recebe e aceita um convite de seu tio, Denis Deneige, para participar de um de seus números de ilusionismo, no qual uma mulher é partida ao meio por uma enorme serra circular.

imagem imagem imagem

Comentários

Embora se trate de um bom divertimento, “Uma Garota Dividida em Dois” está longe de ser considerada entre as melhores obras do grande cineasta francês, Claude Chabrol. O filme vem a ser o seu último longa-metragem, rodado aos 77 anos, ou seja, três anos antes de sua morte ocorrida em setembro de 2010.

Cuidadosamente construída e dirigida, sua trama intrigante gira em torno de uma bela jornalista que se apaixona perdidamente por um famoso escritor bem mais velho que ela, mas que termina se casando com um jovem mimado e irresponsável. Tal fato leva à insatisfação, infelicidade e, finalmente, à violência. Com algumas reviravoltas e um final inesperado e surreal, a história procura mostrar quão complicada pode ser a natureza humana.

Além da firme direção de Chabrol, “Uma Garota Dividida em Dois” nos brinda ainda com as ótimas interpretações dos atores que compõem o triângulo amoroso, ou seja, Ludivine Sagnier, François Berléand e Benoît Magimel, com ênfase para o trabalho desenvolvido por Sagnier.

CAA