Filmes por gênero

O VÉU PINTADO (1934)

The painted veil
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: O véu das ilusões (Portugal)
Le voile des illusions (França)
Il velo dipinto (Itália)
El velo pintado (Espanha)
Der bunte schleier (Alemanha)
Den brokiga slöjan (Suécia)
Malowana zaslona (Polônia)
Det brogede slør (Dinamarca)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Romance, Drama
Direção: Richard Boleslawski
Roteiro: John Meehan, Salka Viertel, Edith Fitzgerald
Produção: Hunt Stromberg
Música Original: Herbert Stothart
Fotografia: William H. Daniels
Edição: Hugh Wynn
Direção de Arte: Cedric Gibbons
Figurino: Adrian
Efeitos Sonoros: Douglas Shearer
Nota: 8.0
Filme Assistido em: 1988

Elenco

Greta Garbo Katrin Koerber Fane
Herbert Marshall Dr. Walter Fane
George Brent Jack Townsend
Warner Oland General Yu
Jean Hersholt Sr. Koerber
Bodil Rosing Sra. Koerber
Katharine Alexander Sra. Townsend
Cecilia Parker Olga Koerber, Noiva de Heinrich
Soo Yong Amah, empregada de Fane
Forrester Harvey Vice-Comissário Waddington
Robert Adair Jogador de Polo
Vernon Dent Chefe de Polícia
Margaret Mann Madre Superiora
Lee Tinn Dr. Jupie
Mariska Aldrich Professora alemã
Beulah Bondi Sra. Koerber
Lawrence Grant Governador inglês
Gus Leonard Major Domo
Herbert Farjeon Dr. Simons
Olaf Hytten Dr. Somerset
Henry Mowbray Lord Coldchester
Leonard Mudie Barrett

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Após sua irmã Olga se casar e deixar sua casa, Katrin Koerber, filha de um professor de medicina austríaco, luta contra a solidão e sonha com uma vida mais excitante fora da Áustria. Assim, quando o Dr. Walter Fane, um bacteriologista britânico, pede-lhe em casamento para irem viver em Hong Kong, ela concorda mesmo que não esteja apaixonada por ele.

Tão logo os recém-casados chegam à Hong Kong, Walter é incorporado ao seu trabalho médico, enquanto Katrin se torna o alvo romântico de Jack Townsend, um adido infelizmente casado da Embaixada Britânica. Enquanto lhe mostra alguns locais exóticos da cidade, Jack flerta e a beija. Amedrontada com os seus avanços, Katrin volta para casa, mas pouco depois o procura para assistirem à apresentação de um grupo de dançarinos locais que estão se apresentando num festival budista.

Estimulado pela dança e pela atmosfera de um templo budista, Jack confessa seu amor a Katrin, e esta admite que não se acha apaixonada por Walter. Em casa, Katrin trata o marido friamente e revela que seu atraso crônico a irrita. Para compensar, no dia seguinte Walter chega em casa cedo, quando descobre que a porta do quarto de Katrin se acha trancada e o chapéu de Jack sobre uma mesa. Naquela noite, ele confronta sua mulher com suas suspeitas, e ela admite que realmente ama Jack.

Atormentado, Walter lhe diz que lhe concederá o divórcio caso Jack prometa por escrito que se divorciará da esposa para se casar com ela. Quando Katrin apresenta as condições de Walter para Jack, este lhe diz que um divórcio iria arruinar tanto sua carreira quanto sua reputação e termina o affair.

Desolada, Katrin acompanha o marido a uma região do interior da China, onde uma epidemia de cólera está se alastrando. Enquanto Walter luta para deter a epidemia, Katrin se torna cada vez mais desesperada e solitária. Vendo a condição desesperadora em que se encontra a esposa, Walter finalmente se propõe a enviá-la de volta a Hong Kong e, em seguida, se prepara para ir para uma remota aldeia identificada como sendo a raiz do surto epidêmico.

Depois que Walter viaja, Jack percebe o amor genuíno que ele tem por Katrin e deixa Hong Kong para ir para o interior. Enquanto isso, Walter ordena que a aldeia infectada seja queimada e, em seguida, volta para Hong Kong onde fica muito feliz ao encontrar Katrin ajudando as jovens vítimas de cólera em um orfanato.

No caos da cidade, Walter é esfaqueado e Katrin corre para ficar perto dele. Enquanto espera para ver o marido, ela é procurada por Jack, a quem diz que agora ama apenas a Walter e finalmente compreende os sacrifícios que ele faz pela medicina. Depois que Jack vai embora, Katrin garante a Walter que finalmente ela se apaixonou por ele.

imagem

Comentários

Embora não chegue aos pés de filmes como, por exemplo, “Ninotchka” e “Grand Hotel”, “O Véu Pintado” é mais uma obra com a diva Greta Garbo que merece ser vista. Baseada num romance homônimo de W. Somerset Maugham, sua trama gira em torno de uma mulher austríaca que, sentindo-se sozinha após o casamento de sua irmã mais nova, aceita se casar com um médico britânico e acompanhá-lo para uma nova vida em Hong Kong, mesmo sabendo que não se acha apaixonada por ele.

Realizado pelo cineasta polonês Richard Boleslawski, o filme às vezes se mostra melodramático. Por outro lado, é rico em diálogos bem estruturados, convincentes e que trazem uma mensagem positiva.  No elenco, Herbert Marshall apresenta uma melhor atuação que George Brent, mas ambos ficam ofuscados diante de Greta Garbo, quando esta entra em cena.

CAA