Filmes por gênero

DOIS PAPAS (2019)

The Two Popes

Ficha Técnica

Outros Títulos: Les deux Papes (França)
I due Papi (Itália)
Die zwei Päpste (Áustria)
İki Papa (Turquia)
A két pápa (Hungria)
Ha'Apifiorim (Israel)
Dwóch papieży (Polônia)
Два Папы (Rússia)
Pais: Itália, Argentina, Reino Unido, Estados Unidos
Gênero: Biográfico, Comédia, Drama
Direção: Fernando Meirelles
Roteiro: Anthony McCarten
Produção: Anthony McCarten, Leticia Cristi, Lula Allegro e outros
Design Produção: Mark Tildesley
Música Original: Bryce Dessner
Fotografia: César Charlone
Edição: Fernando Stutz
Direção de Arte: Mercedes Alfonsín, Matías Martínez e Saverio Sammali
Figurino: Luca Canfora, Beatriz De Benedetto
Guarda-Roupa: Frieda Basso, Nora Lia Alaluf, Serena Fiumi e outros
Maquiagem: Angela Garacija, Stuart Richards e outros
Efeitos Sonoros: Orin Beaton, Lilly Blazewicz, Peter Burgis e outros
Efeitos Especiais: Andrea Aceto, Marta Errera, Kerrie Bryant e outros
Nota: 9.1
Filme Assistido em: 2020

Elenco

Jonathan Pryce Cardeal Jorge Bergoglio / Papa Francisco
Anthony Hopkins Cardeal Ratzinger / Papa Benedict
Juan Minujín Jorge Bergoglio, jovem
Luis Gnecco Cardeal Hummes
Cristina Banegas Lisabetta
María Ucedo Esther Ballestrino
Renato Scarpa Camerlengo
Sidney Cole Cardeal Turkson
Achille Brugnini Cardeal Martini
Germán de Silva Padre Yorio
Lisandro Fiks Padre Jalics
Libero De Rienzo Roberto
Willie Jonah Cardeal Arinze
Sofia Cessak Amalia Damonte
Daphne Mereu Freira
Martina Sammarco Freira
Juan Miguel Arias Paolo
Daniel Di Cocco Padre
Joselo Bella Almirante Massera
Luis Alfredo Huerga Reyna Capitão Astiz
Andrés Zurita Tonio
Guido Losantos Padre Pepe
Cecilia Dazzi Freira
Maria Florencia Larrea Arias Mãe de Amalia
Hernán Acentares Padre Mugica
Luciano Kaczer Padre Dourron
Francisco Di Teodoro Lorenzo
Walter Andrade Luis
Thomas D Williams Jornalista americano
Daniel Hernández Cardeal Quarracino
León Barra Ricardo Capelli
Katherine Wilson Repórter
Miguel Ángel Tarditti Repórter

Prêmios

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Ator (Jonathan Pryce)

Prêmios Camerimage, Lodz, Polônia

Prêmio Silver Frog (César Charlone (Melhor Fotografia))

Festival Internacional de Hampton, East Hampton, Nova York

Prêmio do Público de Melhor Filme de Ficção (Fernando Meirelles)

Sociedade dos Críticos de Cinema de Phoenix, Arizona, USA

Prêmio dos 10 Melhores Filmes

Prêmios World Soundtrack - Ghent, Bélgica

Discovery of the Year (Bryce Dessner)

Indicações

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Ator (Anthony Hopkins)

Prêmio de Melhor Filme Britânico (Fernando Meirelles, Jonathan Eirich e outros)

Prêmio de Melhor Roteiro Adaptado (Anthony McCarten)

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Anthony Hopkins)

Prêmio de Melhor Ator (Jonathan Pryce)

Prêmio de Melhor Filme Britânico (Fernando Meirelles, Jonathan Eirich, Dan Lin)

Prêmio de Melhor Ator (Anthony Hopkins)

Festival Internacional de Hampton, East Hampton, Nova York

Prêmio do Público de Melhor Filme de Ficção (Fernando Meirelles)

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Ator (Jonathan Pryce)

Oscar de Melhor Roteiro (Anthony McCarten)

Oscar de Melhor Ator Coadjuvante (Jonathan Pryce)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Ator em um Drama (Jonathan Pryce)

Prêmio de Melhor Roteiro (Anthony McCarten)

Prêmio de Melhor Filme - Drama

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Jonathan Pryce)

Prêmios da Broadcast Film Critics Association, USA

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Anthony Hopkins)

Prêmio de Melhor Roteiro Adaptado (Anthony McCarten)

Associação dos Críticos de Cinema de Chicago

Prêmio de Melhor Roteiro Adaptado (Anthony McCarten)

Prêmios Chlotrudis - Massachusetts, USA

Prêmio Chlotrudis de Melhor Ator (Jonathan Pryce)

Associação dos Críticos de Cinema de Dallas-Fort Worth - USA

Prêmio de Melhor Filme (9º lugar)

Círculo dos Críticos de Cinema da Flórida, USA

Prêmio de Melhor Roteiro Adaptado (Anthony McCarten)

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Anthony Hopkins)

Prêmios Gold Derby

Prêmio Gold Derby de Melhor Roteiro Adaptado (Anthony McCarten)

Sociedade dos Críticos de Cinema do Hawaii

Prêmio de Melhor Ator (Jonathan Pryce)

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Anthony Hopkins)

Sociedade dos Críticos de Cinema de Houston, EUA

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Anthony Hopkins)

Sociedade dos Críticos de Cinema de Las Vegas

Prêmio Sierra de Melhor Roteiro Adaptado (Anthony McCarten)

Círculo de Críticos de Cinema de Londres, Inglaterra

Prêmio Ator do Ano (Jonathan Pryce)

Associação dos Críticos de Cinema de North Carolina, EUA

Prêmio de Melhor Roteiro Adaptado (Anthony McCarten)

Prêmios Satellite, Los Angeles

Prêmio Satellite de Melhor Ator Coadjuvante (Anthony Hopkins)

Prêmio Satellite de Melhor Roteiro Adaptado (Anthony McCarten)

Prêmio Satellite de Melhor Figurino (Luca Canfora)

Prêmio Satellite de Melhor Direção de Arte/Design de Produção (Mark Tildesley, Saverio Sammali)

Associação dos Críticos de Cinema de St. Louis, USA

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Roteiro Adaptado (Anthony McCarten)

Prêmio de Melhor Ator (Jonathan Pryce)

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Anthony Hopkins)

Sinopse

Em abril de 2005, em Buenos Aires, o cardeal Jorge Mario Bergoglio é informado que o Papa João Paulo II faleceu. Os cardeais se reúnem na Cidade do Vaticano para elegerem um novo Papa. Os votos são divididos entre Bergoglio, Joseph Ratzinger e outro cardeal chamado Martini. Este transfere seu voto para Bergoglio, que realmente não quer ser Papa, enquanto Ratzinger faz campanha por mais votos e se torna Papa Bento XVI.
 
Bergoglio retorna à Buenos Aires com planos de fazer um trabalho simples e depois se aposentar. O mandato de Ratzinger é marcado por controvérsias e considerado muito conservador. Em 2012, um assessor do Papa vazou documentos confidenciais, atrapalhando-o em mais um escândalo. 
 
Bergoglio volta ao Vaticano e procura Ratzinger em sua residência de verão. Bergoglio pede permissão para se aposentar, mas Ratzinger sente que sua renúncia parecerá um protesto e crítica contra ele. Ratzinger questiona Bergoglio sobre suas visões mais liberais, e Bergoglio explica que ele não pode ser um vendedor de um produto no qual não acredita. Ele explica que enquanto a igreja estava lidando com seus rituais e dogmas, os problemas reais de desigualdade e injustiça foram ignorados, especialmente a maneira como a igreja lida com os abusos sexuais contra crianças. Ratzinger repreende com raiva, tudo o que ele diz. Ratzinger janta sozinho e depois se encontra de novo com Bergoglio, quando confessa que tem dificuldade em ouvir a Deus com o passar do tempo.
 
Em 1956, em flashback, o jovem Jorge considerou a possibilidade de ser padre, pediu um sinal e não ouviu nada. Em seguida, ele conseguiu um emprego em ciências e uma linda noiva. Certo dia, no caminho para vê-la, ele passou por uma igreja e entrou, quando ouviu uma música. Em seguida, ele foi até o confessionário e não encontrou ninguém. Ele considerou isso como um sinal, terminou seu relacionamento com sua noiva e se juntou à igreja. 
 
Bergoglio diz a Ratzinger que sente que Deus está lhe dizendo para se aposentar. Em seguida, ele implora que Ratzinger toque piano para ele, o que ele faz. Ratzinger relaxa e assiste um pouco de televisão com Bergoglio, e confessa gostar de alguma companhia por estar sempre sozinho. No dia seguinte, Ratzinger é chamado de volta à Roma e, juntamente com Bergoglio, segue de helicóptero. Na ocasião, Bergoglio traz à tona sua aposentadoria, mas Ratzinger o ignora. Quando seus negócios terminam, Ratzinger se reúne com Bergoglio em uma bela igreja. Na ocasião, Ratzinger explica que ele o trouxe não para aceitar sua aposentadoria, mas porque ele está se aposentando. 
 
Bergoglio fica chocado, dizendo que os Papas não podem renunciar e lhe diz para não fazer isso, afirmando que isso prejudicaria o papado. Ele explica que sabia que não poderia se aposentar se Bergoglio renunciasse, caso fosse eleito Papa. Bergoglio insiste que não poderia ser Papa, não merece ser Papa e volta a 1976. 
 
Em 1976, quando o governo argentino foi derrubado pela ditadura militar, muitos padres e freiras foram assassinados. Para proteger seus padres, ele se compromete com o regime. Ele avisa sua velha amiga, Esther, cuja filha é uma das muitas que desapareceram, que ela está sendo observada. Jorge consegue esconder algumas famílias no seminário, mas com a queda da ditadura, é expulso da ordem e enviado para o estrangeiro. 
 
Bergoglio permanece marginalizado de 1984 a 1998, onde ainda é atormentado por acusações de ajudar a tirania. Ele prega contra a desigualdade de renda e sobre como ajudar os pobres, e continua a fazer um bom trabalho. Ele é notado e se torna Bispo, e leva uma vida humilde, fazendo o que considera ser penitência durante todo o ano de 2012. 
Nos dias atuais, Bergoglio explica que falhou em muitos aspectos e não merece ser Papa, e Ratzinger diz que ele é apenas humano e precisa dar a si mesmo a misericórdia que dá aos outros.
 
Flashbacks revelam que um dos padres que foi torturado acabou escapando e se reunindo em lágrimas com Jorge e o perdoou, embora outros não o fizessem. Ratzinger, então, pede a Bergoglio que confesse sua confissão e lhe conta como ele embaralhou um padre que estava molestando meninos, apesar das evidências. Bergoglio implora que ele continue como Papa e cure a ferida, mas Ratzinger lhe diz que ele não pode mais ouvir Deus.
 
Em 2013, Ratzinger se aposenta, chocando o mundo. Bergoglio é eleito o mais novo Papa. Ele se dirige à multidão, agradece a Ratzinger e pede à multidão que ore por ele. Ele começa a viajar pelo mundo, tentando melhorá-lo e ajudando no sofrimento dos outros. Mais tarde, em 2014, os dois Papas se reúnem para assistir à Copa do Mundo juntos.