Filmes por gênero

SEDUÇÃO FATAL (1956)

Voici le temps des assassins...
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Um caso diabólico (Portugal)
Deadlier than the male (USA)
Twelve hours to live (UK)
Ecco il tempo degli assassini (Itália)
El tiempo de los asesinos (Espanha)
Der engel, der ein teufel war (Alemanha)
Hon kom från Marseilles (Suécia)
Hun kom fra Marseilles (Dinamarca)
Pais: França
Gênero: Drama, Suspense
Direção: Julien Duvivier
Roteiro: Julien Duvivier, Charles Dorat, Pierre-Aristide Bréal
Produção: Georges Agiman
Design Produção: Robert Gys
Música Original: Jean Wiener
Fotografia: Armand Thirard
Edição: Marthe Poncin
Figurino: Jacques Cottin
Maquiagem: Georges Bouban, Yvonne Gaspernia
Efeitos Sonoros: Antoine Archimbaud, Jacques Gérardot
Nota: 8.6
Filme Assistido em: 1958

Elenco

Jean Gabin André Chatelin
Danièle Delorme Catherine
Robert Arnoux Bouvier
Liliane Bert Antoinette
Gérard Blain Gérard Delacroix
Lucienne Bogaert Gabrielle
Aimé Clariond Sr. Prévost
Gabrielle Fontan Sra. Jules
Germaine Kerjean Sra. Chatelin
Robert Manuel Mario Bonnacorsi
Robert Pizani O Presidente
Jean-Paul Roussillon Amédée
Olga Valéry A Duquesa
Jane Morlet Madame Aristide
Gérard Fallec Gaston
Maxime Fabert Proprietário do Hotel do Charolais
Camille Guérini Gégène, o mendigo
Jacques Fayet Colega de Gérard
Colette Mareuil Madame Coutoully, a lésbica
Roger Saget Presidente do Clube
Alfred Goulin Armand
Michel Seldow Gentel, Ministro das Finanças
Jean-Louis Le Goff Ernest, o policial
César Cachorro de Gérard

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Proprietário de um renomado restaurante de Paris, André Chatelin é um modelo de homem de bem com um grande coração. Ele ajuda um estudante de medicina, Gérard, que é órfão.

Certo dia, uma jovem recém-chegada de Marselha, apresenta-se em seu restaurante. Ela diz ser Catherine, filha de Gabrielle, primeira mulher de Chatelin da qual ele é divorciado e de quem não tem notícias há mais de vinte anos. Ainda segundo Catherine, sua mãe acaba de morrer e ela não tem para onde ir. Chatelin, então, lhe oferece sua hospitalidade. Na realidade, Gabrielle não se acha morta, é uma mulher que definha por conta do uso de drogas e, com a filha, elaborou um plano para se apossar do dinheiro de seu ex-marido.

Ao conhecer Gérard, Catherine procura uma forma de fazer com que Chatelin se indisponha com o jovem, pois em seus planos o estudante de medicina não pode eventualmente figurar como um seu provável herdeiro. Num segundo momento, ela persuade Chatelin de que ambos se acham reciprocamente apaixonados, a despeito da grande diferença de idade entre eles. Assim, o bom homem termina por ceder aos seus avanços e aceita desposá-la, apesar das reprovações da Sra. Chatelin, sua mãe, e da Sra. Jules, uma antiga empregada da família, que veem em Catherine o reflexo de Gabrielle, uma mulher que sempre detestaram.

Seguindo com seu plano, Catherine torna-se amante de Gérard e, sob o pretexto de que Chatelin vive a maltratá-la na intimidade, pede-lhe para que o jovem o mate. Como ele se recusa, compreendendo subitamente quais são as reais intenções da jovem, ela termina por assassiná-lo.  

O desaparecimento súbito de Gérard faz com que Chatelin passe a suspeitar de Catherine. Com o tempo, ele descobre que Gabrielle continua viva e drogada e termina por tomar consciência da dimensão do maquiavelismo da jovem. Por outro lado, César, o cão de Gérard, vai vingar seu mestre.

imagem

Comentários

Realizado pelo grande cineasta Julien Duvivier, que também participa da confecção do roteiro, ‘’Sedução Fatal’’ é sem dúvida alguma um grande filme da ‘’nouvelle vague’’ francesa. Na trama, o personagem vivido por Jean Gabin é manipulado por uma diabólica jovem, interpretada maravilhosamente pela atriz Danièle Delorme, que só pensa em se apossar de seu dinheiro.

Além da excelente direção de Duvivier e das notáveis atuações de Gabin e Delorme, o filme nos brinda ainda com os belos cenários de Robert Gys e com a fotografia em preto e branco de Armand Thirard.

Enfim, “Sedução Fatal’’ é mais um clássico imperdível do cinema francês dos anos 1950.

CAA