Filmes por gênero

O CRIADO (1963)

The servant
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Il servo (Itália)
El sirviente (Espanha, México)
Le domestique (Bélgica)
Der diener (Alemanha, Austria)
Betjänten (Suécia)
Snylteren (Dinamarca)
Sluzacy (Polônia)
Слуга (União Soviética)
Pais: Reino Unido
Gênero: Drama
Direção: Joseph Losey
Roteiro: Harold Pinter
Produção: Joseph Losey, Norman Priggen
Design Produção: Richard Macdonald
Música Original: John Dankworth
Direção Musical: John Dankworth
Fotografia: Douglas Slocombe
Edição: Reginald Mills
Figurino: Beatrice Dawson
Maquiagem: Bob Lawrance
Efeitos Sonoros: Buster Ambler, John Cox, Gerry Hambling
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1966

Elenco

Dirk Bogarde Barrett
Sarah Miles Vera
Wendy Craig Susan
James Fox Tony
Catherine Lacey Lady Mounset
Richard Vernon Lord Mounset
Ann Firbank Mulher da sociedade
Patrick Magee Bispo
Doris Knox Senhora idosa
Jill Melford Mulher mais jovem
Alun Owen Coadjutor
Derek Tansley Chefe dos garções
Brian Phelan Homem no Pub
Chris Williams Caixa do Coffee Bar
Dorothy Bromiley Moça na cabine telefônica
Philippa Hare Jovem no quarto
Bruce Wells Pintor de calçada
John Dankworth Líder da Banda de Jazz
Davy Graham Guitarrista

Prêmios

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Fotografia Britânica (Douglas Slocombe )

Prêmio de Melhor Ator Britânico (Dirk Bogarde)

Prêmio de Melhor Revelação Masculina (James Fox)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Diretor de Filme Estrangeiro (Joseph Losey)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Roteiro (Harold Pinter)

Prêmios Sant Jordi de Barcelona

Prêmio de Melhor Interpretação em Filme Estrangeiro (Dirk Bogarde)

Grêmio dos Roteiristas da Grã Bretanha

Prêmio de Melhor Roteiro Britânico de um Drama (Harold Pinter )

Indicações

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme Britânico

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Atriz Britânica (Sarah Miles)

Prêmio de Melhor Revelação Feminina (Wendy Craig)

Prêmio de Melhor Roteiro Britânico (Harold Pinter )

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Direção (Joseph Losey)

Prêmio de Melhor Ator (Dirk Bogarde)

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio Leão de Ouro (Joseph Losey)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Tony é um jovem aristocrata que retorna à Londres de uma viagem ao exterior, compra uma casa e contrata Hugo Barrett, um criado, para cuidar de todas as tarefas domésticas. Inicialmente, este se mostra um empregado leal e competente, ganhando a confiança do patrão, a ponto deste se mostrar cada vez mais dependente dele, apesar de sua noiva, Susan, o advertir de que Barrett carrega uma influência maligna.

Certo dia, Barrett informa Tony que vai trazer sua irmã Vera para ajudá-lo nas tarefas da casa, com o que este concorda. Dias depois, num final de semana, Tony e Susan resolvem fazer uma pequena viagem e, ao retornarem, encontram Barrett e Vera fazendo amor em sua cama. Eles, na verdade, eram amantes, o que resulta na demissão dos dois. Para completar a tragédia, insinuações de que Tony estaria tendo um relacionamento com Vera, faz com que Susan se afaste de seu noivo.

Algum tempo depois, Tony encontra Barrett em um pub e o recontrata, mas dessa vez o empregado mostra sua verdadeira cara, e logo troca de papéis com o patrão. Ele passa a mandar na casa, enquanto Tony, completamente sem ação, vive se embriagando. Em sua última visita à casa, Susan encontra Tony em um estado decrépito, inconsciente da realidade e incapaz de lidar com a situação.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Joseph Losey, a partir de um roteiro escrito por Harold Pinter, “O Criado” é um ótimo filme britânico produzido pelas empresas Springbok Productions e Elstree Distributors em 1963. Sua trama, baseada no livro “The Servant” de Robin Maugham, sobrinho do famoso escritor Sommerset Maugham, é muito bem construída, o que lhe rendeu os prêmios de melhor roteiro concedidos pelo Grêmio dos Roteiristas da Grã Bretanha e pelo Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, além de ser indicada ao mesmo prêmio pela Academia Britânica de Cinema e Televisão.

Na direção, Losey, demonstrando mais uma vez seu completo domínio da câmera, nos brinda com mais um belo trabalho, assim reconhecido pela crítica internacional. Na área técnica, merece igualmente registro a excelente fotografia, assinada por Douglas Slocombe, também contemplada com o prêmio concedido pela Academia Britânica de Cinema e Televisão.

No elenco, Dirk Bogarde brilha no papel do criado Hugo Barrett, seguido pelas excelentes atuações de James Fox, Sarah Miles e Wendy Craig.

CAA