Filmes por gênero

A MULHER QUE PECOU (1962)

The L-shaped room
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: La chambre indiscrète (França)
La stanza a forma di L (Itália)
La habitación en forma de L (Espanha)
El cuarto indiscreto (México)
Das indiskrete Zimmer (Alemanha)
Vinkelværelset (Dinamarca)
Kiadó szoba (Hungria)
Pokój w ksztalcie L (Polônia)
Угловая комната (União Soviética)
Pais: Reino Unido
Gênero: Drama
Direção: Bryan Forbes
Roteiro: Bryan Forbes
Produção: Richard Attenborough, James Woolf
Direção Musical: Muir Mathieson
Fotografia: Douglas Slocombe
Edição: Anthony Harvey
Direção de Arte: Ray Simm
Figurino: Beatrice Dawson
Guarda-Roupa: Laurel Staffell, May Walding
Maquiagem: Harry Frampton
Efeitos Sonoros: George Stephenson, Red Law, Terry Rawlings
Efeitos Especiais: Ray Mercer
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1964

Elenco

Leslie Caron Jane Fosset
Tom Bell Toby
Brock Peters Johnny
Emlyn Williams Dr. Weaver
Cicely Courtneidge Mavis
Avis Bunnage Doris
Patricia Phoenix Sonia
Verity Edmett Jane II
Harry Locke Jornaleiro
Anthony Booth Jovem na rua
Jennifer White Monica
Gerry Duggan Bert
Bernard Lee Charlie
Mark Eden Terry
Gerald Sim Médico no Hospital
Pamela Sholto Enfermeira
Ruth Burns Enfermeira
Diane Clare Enfermeira
Arthur White Leiteiro
Kay Walsh Prostituta

Prêmios

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Atriz (Leslie Caron)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Leslie Caron)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz (Leslie Caron)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Filme Britânico

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio Samuel Goldwyn

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Atriz em um Drama (Leslie Caron)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Atriz (Leslie Caron)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Jane Fosset, uma mulher francesa de 27 anos, deixa sua cidade provincial e chega sozinha à Londres, onde passa um final de semana sem amor com um ator desempregado. Algum tempo depois, ela descobre que se acha grávida e se muda para um sórdido quarto, em forma de L, numa pensão localizada em Notting Hill, onde pretende abortar. No entanto, após uma consulta com um ginecologista da Harley Street, ela muda de ideia e decide ter a criança.

Enquanto se acha na pensão, ela se envolve com um inquilino chamado Toby, um escritor mal sucedido. Seu caso agrada à maioria dos outros inquilinos que fizeram amizade com ela, principalmente prostitutas e atrizes, mas irrita o amigo de Toby, Johnny, um músico de jazz negro instalado num quarto ao lado do seu. Johnny tomou conhecimento da gravidez de Jane através das paredes finas que separam os dois quartos e, na primeira oportunidade, ele comenta com Toby sobre o assunto.
.
Sentindo-se ofendido, Toby abandona Jane que, num momento de desespero, tenta matar seu bebê ao tomar algumas pílulas fornecidas por Mavis, a atriz mais velha que mora no andar de baixo. Quando a tentativa de aborto falha, Jane aceita com alívio o fato de que seu filho vai viver. Embora Toby volte, ele sente-se incapaz de aceitar uma criança que não foi gerada por ele. Quando a criança nasce, ele visita Jane no hospital e lhe presenteia com uma cópia de seu primeiro livro concluído, “O Quarto em forma de L”.

Ao sair do hospital e antes de viajar para a casa de seus pais, na França, Jane vai ao quarto de Toby, onde deixa o livro com uma nota anexada, que diz: “Querido Toby, é uma história adorável, mas não teve um final. Seria maravilhosa se ela tivesse um final. Beijos!”

imagem

Comentários

Escrito e dirigido pelo cineasta Bryan Forbes, “A Mulher que Pecou” é um filme britânico produzido pelas empresas Romulus Films e British Lion Film Corporation em 1962. Sua trama, baseada num romance de Lynne Reid Banks, conta a história de uma jovem francesa de 27 anos, grávida e solteira, que se hospeda em uma pensão em Notting Hill, Londres, abordando várias questões sociais.

Na direção, Forbes realiza um ótimo trabalho, que rendeu ao filme sua indicação aos prêmios de Melhor Filme Britânico e de Melhor Filme. Por outro lado, a fotografia em preto e branco de Douglas Slocombe é de muito boa qualidade, assim como, sua trilha sonora, onde se destaca o Concerto nº 1 em D Menor para Piano e Orquestra, de Johannes Brahms.

No elenco, Leslie Caron brilha no papel da jovem francesa. Por seu trabalho, ela foi laureada com os prêmios de melhor atriz da Academia Britânica de Cinema e Televisão, e do americano Globo de Ouro, além de ser indicada ao famoso Oscar da Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, ao Laurel de Ouro, e ao prêmio de melhor atriz do Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York.

CAA