Filmes por gênero

A CONQUISTA DO OESTE (1962)

How the West was won
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: La conquête de l'Ouest (França, Canadá)
La conquista del West (Itália)
La conquista del Oeste (Espanha, Argentina)
Das war der wilde Westen (Alemanha)
Så vanns vilda västern (Suécia)
Vi vant Vesten (Noruega)
Vi vandt vesten (Dinamarca)
Война на Диком Западе (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Faroeste
Direção: John Ford, Henry Hathaway, George Marshall
Roteiro: James R. Webb
Produção: Bernard Smith
Música Original: Alfred Newman, Ken Darby
Direção Musical: Alfred Newman
Fotografia: Joseph LaShelle, Charles Lang, Milton Krasner, William Daniels
Edição: Harold F. Kress
Direção de Arte: George W. Davis, Addison Hehr, William Ferrari
Figurino: Walter Plunkett
Guarda-Roupa: Robert Fuca
Maquiagem: William Tuttle
Efeitos Sonoros: Franklin Milton
Efeitos Especiais: Lester Swartz, Bob Overbeck
Efeitos Visuais: A. Arnold Gillespie, Robert R. Hoag
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1963

Elenco

Karl Malden Zebulon Prescott
Agnes Moorehead Rebecca Prescott
James Stewart Linus Rawlings
Carroll Baker Eve Prescott Rawlings
Debbie Reynolds Lilith Prescott
Gregory Peck Cleve Van Valen
Henry Fonda Jethro Stuart
Carolyn Jones Julie Rawlings
George Peppard Zeb Rawlings
Walter Brennan Coronel Jeb Hawkins
John Wayne General William Tecumseh Sherman
Harry Morgan General Ulysses S. Grant
Robert Preston Roger Morgan
Richard Widmark Mike King
Eli Wallach Charlie Gant
Brigid Bazlen Dora Hawkins
Lee J. Cobb Marechal Lou Ramsey
Kim Charney Sam Prescott
Thelma Ritter Agatha Clegg
Lee Van Cleef Pirata do Rio
Spencer Tracy Narrador
Raymond Massey Abraham Lincoln
David Brian Advogado de Lilith
John Damler Advogado
Willis Bouchey Cirurgião
Russ Tamblyn Desertor confederado
Mickey Shaughnessy Policial Stover
Andy Devine Cabo Peterson
Ken Curtis Cabo Ben
Jay C. Flippen Huggins
Mark Allen Colin Harvey

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Roteiro Original (James R. Webb)

Oscar de Melhores Efeitos Sonoros (Franklin Milton)

Oscar de Melhor Edição (Harold F. Kress)

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro Especial

Prêmios de Melhor Edição de Som, Estados Unidos

Prêmio de Melhor Edição de Som de um Longa Metragem

National Board of Review, USA

Prêmio NBR dos 10 Melhores Filmes

Prêmios Photoplay, Estados Unidos

Prêmio Medalha de Ouro

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme (Bernard Smith )

Oscar de Melhor Fotografia a Cores (William H. Daniels, Milton R. Krasner, Charles Lang, Joseph LaShelle)

Oscar de Melhor Figurino (Walter Plunkett)

Oscar de Melhor Trilha Sonora (Alfred Newman, Ken Darby)

Oscar de Melhor Direção de Arte - Decoração de Cenários (George W. Davis, William Ferrari, Addison Hehr, Henry Grace, Don Greenwood Jr., Jack Mills)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Filme épico que narra os 50 anos da expansão americana rumo ao Oeste, entre 1830 e 1880, vistos através das experiências das famílias Prescott e Rawlings, ao longo de diversas fases como, por exemplo, a corrida do ouro, a guerra civil americana e a construção das primeiras estradas de ferro.

OS RIOS
No início de 1830, Zebulon Prescott e sua esposa Rebecca levam suas duas filhas para longe de sua fazenda, na Nova Inglaterra, e se dirigem para o oeste em uma balsa através do Rio Ohio, a fim de encontrarem novas oportunidades e maridos para as jovens Eve e Lilith. Certa noite, um estranho em uma canoa se aproxima do acampamento da família e, inicialmente, eles suspeitam tratar-se de um pirata do rio, mas ele se revela um simpático caçador de peles, Linus Rawlings, que impressiona as jovens com histórias de um lendário homem das montanhas, Jim Bridger. Ao seguir em sua jornada, Linus para em uma taverna localizada numa caverna e operada pelo Coronel Hawkins, cuja fascinante filha, Dora, depois de abatê-lo com uma forte pancada na cabeça, o joga num poço localizado nos fundos da caverna. Certo dia, quando os Prescotts estão a ponto de serem roubados pelos Hawkins, Linus, que conseguira sair do poço, os salva com a ajuda de alguns explosivos. Os Prescotts continuam sua jornada por balsa e, ao enfrentarem umas corredeiras, Zebulon e Rebecca se afogam. Depois dos funerais, Linus decide se casar com Eve, enquanto Lilith segue para St. Louis.

AS PLANÍCIES
Ao assistirem um número de dança de Lilith Prescott, o jogador Cleve Van Valen e seus colegas fazem uma aposta em relação a quantas anáguas ela está vestindo. Cleve vai até o vestiário, nos bastidores, para obter uma prova e termina ouvindo que ela acabou de herdar uma mina de ouro, na Califórnia, de um admirador idoso. Com muitas dívidas, ele decide segui-la até o oeste, na esperança de pôr as mãos em parte de suas rendas. Ao longo do caminho, ela se apaixona por ele e recusa a proposta de casamento de seu admirador, Roger Morgan. Depois de sobreviverem a um ataque de um grupo de índios, Lilith e Cleve chegam à Califórnia, onde tomam conhecimento de que a mina não tem o menor valor. A notícia interrompe temporariamente os planos de Cleve, mas finalmente eles se casam e decidem se instalar no novo bairro de San Francisco.

A GUERRA CIVIL
Eve, que perdeu Linus na guerra, observa seu filho, Zeb, sair de casa para se juntar ao Exército da União. Uma vez em combate, ele acha que a guerra não é tão gloriosa como foi levado a acreditar e, na Batalha de Shiloh, encontra um desertor confederado que se acha igualmente desiludido. Juntos, eles testemunham uma conversa íntima entre os generais Sherman e Grant, em que este expressa preocupação quanto à crítica pública em relação ao seu alcoolismo. O soldado confederado, de repente, tenta assassinar os generais, e Zeb se vê forçado a matar seu novo amigo. Terminada a guerra, ele volta para casa e descobre que sua mãe havia falecido. Ele, então, se junta à Cavalaria Americana para proteger trabalhadores ferroviários dos índios.

A ESTRADA DE FERRO
Ajudado por Jethro Stuart, um caçador de búfalos, Zeb consegue manter a paz com os índios até que o responsável pela construção da ferrovia, Mike King, exige que o tratado com os indígenas seja quebrado, a fim de permitir a construção de um atalho através de suas terras. Como consequência, os índios provocam o estouro da boiada e os búfalos destroem a área, deixando várias crianças órfãs. Irritado por ter involuntariamente se envolvido na tragédia, Zeb renuncia e vai para o Arizona.

OS FORAS-DA-LEI
Agora, um marechal na década de 1880, Zeb, sua esposa, Julie, e seus filhos são visitados por Lilith, viúva e um pouco empobrecida depois de uma vida de luxo ao lado de Cleve. Enquanto isso, Zeb descobre que um velho inimigo, Charlie Gant, está planejando, com sua gangue, roubar um trem com um carregamento de ouro. Julie pede-lhe para que não vá atrás de Gant, mas ele, ansioso para enviar o fora da lei para a prisão, é inflexível. Ao localizar o trem, um tiroteio tem início e, depois de escapar da morte, Zeb mata seu adversário e volta para sua família.

imagem

Comentários

Realizado pelos cineastas Henry Hathaway, John Ford e George Marshall, a partir de um roteiro escrito por James R. Webb, “A Conquista do Oeste” é um excelente faroeste norte-americano produzido pelas empresas Cinerama Productions Corp. e Metro-Goldwyn-Mayer (MGM) em 1962. Sua trama cobre um período de cinquenta anos da história dos Estados Unidos e é dividida em cinco episódios distintos, dos quais três são dirigidos por Hathaway.

Além dos excelentes trabalhos apresentados pelos três grandes cineastas, o filme conta ainda com um roteiro inteligente e ótimos trabalhos nas áreas de fotografia, figurino, trilha sonora e direção de arte.

O elenco, por sua vez, reúne grandes nomes como os de Gregory Peck, John Wayne, Henry Fonda, James Stewart, Walter Brennan, Richard Widmark, Eli Wallach, Karl Malden, Agnes Moorehead, Carroll Baker, Debbie Reynolds, Carolyn Jones, dentre outros.

Enfim, “A Conquista do Oeste” é um filme que recomendo fortemente.

CAA