Filmes por gênero

DILEMA DE UMA VIDA (1964)

Il deserto rosso
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: O deserto vermelho (Portugal)
Red desert (Estados Unidos)
Le désert rouge (França)
El desierto rojo (Argentina, Espanha)
Die rote wüste (Alemanha)
Den röda öknen (Suécia)
Den røde ørken (Dinamarca)
Красная пустыня (União Soviética)
Pais: Itália, França
Gênero: Drama
Direção: Michelangelo Antonioni
Roteiro: Michelangelo Antonioni, Tonino Guerra
Produção: Tonino Guerra, Angelo Rizzoli
Música Original: Giovanni Fusco
Direção Musical: Carlo Savina
Fotografia: Carlo Di Palma
Edição: Eraldo Da Roma
Direção de Arte: Piero Poletto
Figurino: Gitt Magrini
Guarda-Roupa: Paola Carloni
Maquiagem: Giancarlo De Leonardis
Efeitos Sonoros: Claudio Maielli, Renato Cadueri, Mario Bramonti
Efeitos Especiais: Franco Freda
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1965

Elenco

Monica Vitti Giuliana
Richard Harris Corrado Zeller
Carlo Chionetti Ugo
Valerio Bartoleschi Valerio, filho de Giuliana
Xenia Valderi Linda
Rita Renoir Emilia
Aldo Grotti Max
Giuliano Missirini Operador de rádio-telescópio
Lili Rheims Mulher do Operador de Telescópio
Bruno Borghi .
Giovanni Lolli .
Arturo Parmiani .
Carla Ravasi .
Bruno Scipioni .

Prêmios

Festival Internacional de Veneza, Itália

Prêmio Leão de Ouro (Michelangelo Antonioni)

Prêmio Cinema Novo de Melhor Filme (Michelangelo Antonioni)

Prêmio FIPRESCI (Michelangelo Antonioni)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Fotografia a Cores (Carlo Di Palma)

Círculo dos Críticos de Cinema de Kansas City, USA

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro

Prêmios Cálices de Ouro, Itália

Prêmio Taça de Ouro (Angelo Rizzoli)

Prêmio Cálice de Ouro de Melhor Atriz (Monica Vitti)

Indicações

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Direção (Michelangelo Antonioni)

Prêmio Fita de Prata de Melhor Trilha Sonora (Giovanni Fusco)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro (Itália)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Ugo, um engenheiro eletrônico, sua jovem esposa Giuliana, e seu filho de 5 anos, Valerio, vivem em Ravena, na Itália. Corrado Zeller, engenheiro de minas, chega de Londres para recrutar trabalhadores qualificados. Ao conhecer Giuliana, os dois se sentem imediatamente atraídos um pelo outro. Através de Ugo, ele toma conhecimento de que Giuliana sofre de pesadelos e depressão, como resultado do choque sofrido quando de um acidente automobilístico, mas logo depois percebe que sua condição mental é bem pior e que ela já tentou se suicidar.

No final da semana, Giuliana, Ugo e Corrado decidem passar o tempo em Porto Corsini, onde se encontram com outro casal, Max e Linda, e com Emilia, uma jovem de vinte e poucos anos. Juntos, eles passam o dia em uma pequena cabana, envolvidos em pequenas conversas triviais cheias de piadas e insinuações sexuais.

Algum tempo depois, quando Ugo sai em uma viagem de negócios, Giuliana passa mais tempo com Corrado, revelando mais sobre suas ansiedades. Certo dia, Valerio finge estar paralítico, uma brincadeira de mau gosto que assusta sua mãe. Pouco tempo depois, ao descobrir que ele estava apenas fingindo, seu sentimento de solidão e isolamento se acentua. Desesperada, ela vai ao quarto do hotel onde Corrado se encontra, e os dois terminam fazendo amor em sua cama. A intimidade, no entanto, não alivia o senso de isolamento de Giuliana. Na manhã seguinte, ela vagueia pelas docas, onde conhece um marinheiro estrangeiro, e ao tentar comunicar seus sentimentos para ele, ele não consegue entender suas palavras. Naquele momento, ela percebe a realidade de seu isolamento.

Dias depois, ao caminhar com Valerio pela fábrica onde Ugo trabalha, ao observar uma fumaça amarela saindo de uma chaminé, ela explica ao filho que aquela fumaça venenosa não mata os pássaros, porque eles aprenderam a evitá-la.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Michelangelo Antonioni, a partir de um roteiro por ele escrito juntamente com Tonino Guerra, “Dilema de uma Vida” é um excelente filme franco-italiano produzido pelas empresas Film Duemila, Federiz e Francoriz Production em 1964. Trata-se do primeiro filme de Antonioni realizado após sua famosa trilogia da incomunicabilidade, composta dos filmes “A Aventura”, de 1960, “A Noite”, de 1961 e “O Eclipse”, de 1962, sempre com sua atriz favorita, Monica Vitti. Mais uma vez, ele procura analisar o isolamento emocional, a decadência moral e o vazio que assolam inúmeras pessoas.

Embora não atinja os níveis alcançados em “A Aventura” e “O Eclipse”, Antonioni realiza um magnífico trabalho na direção. Na área técnica, merecem ainda destaques a deslumbrante fotografia de Carlo Di Palma, premiada pelo Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema da Itália, bem como, a excelente trilha sonora, assinada por Giovanni Fusco e indicada ao prêmio da categoria pelo mesmo Sindicato.

No elenco, Monica Vitti brilha no papel de Giuliana, seguida pelas boas atuações de Richard Harris e Carlo Chionetti.

CAA