Filmes por gênero

DESAFIO À CORRUPÇÃO (1961)

The hustler
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: A vida é um jogo (Portugal)
L'arnaqueur (França, Canadá)
Lo spaccone (Itália)
El buscavidas (Espanha)
El audaz (Argentina, México)
Haie der Großstadt (Alemanha, Austria)
Fifflaren (Suécia)
Storbyens haier (Noruega)
Бильярдист (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: Robert Rossen
Roteiro: Robert Rossen, Sidney Carroll
Produção: Robert Rossen
Design Produção: Harry Horner
Música Original: Kenyon Hopkins
Fotografia: Eugen Schüfftan
Edição: Dede Allen
Figurino: Ruth Morley
Maquiagem: Robert Jiras
Efeitos Sonoros: Jim Shields, Dick Vorisek, Edward Beyer
Nota: 9.1
Filme Assistido em: 1963

Elenco

Paul Newman Eddie Felson
Jackie Gleason Minnesota Fats
Piper Laurie Sarah Packard
George C. Scott Bert Gordon
Myron McCormick Charlie Burns
Murray Hamilton Findley
Michael Constantine Big John
Stefan Gierasch Pregador
Clifford A. Pellow Turk
Gordon B. Clarke Caixa
Carolyn Coates Garçonete
Vincent Gardenia Garçom
William Adams Médico idoso
Willie Mosconi Willie
Jack Healy Proprietário do Hotel
Charles Andre Garçom no restaurante parisiense
Gloria Curtis Jovem com casaco de couro
Tom Ahearne Garçom
Jake LaMotta Garçom
William Duell Billy
Alexander Rose .
Carl York .

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Fotografia (Eugen Schüfftan )

Oscar de Melhor Direção de Arte - Decoração de Cenários (Harry Horner, Gene Callahan)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Ator Estrangeiro (Paul Newman)

Festival de Cinema de Mar del Plata, Argentina

Prêmio de Melhor Ator (Paul Newman)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Direção (Robert Rossen)

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Ator em um Drama (Paul Newman)

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Ator Coadjuvante (Jackie Gleason)

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Fotografia em Preto e Branco (Eugen Schüfftan)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de um Drama Americano (Sidney Carroll, Robert Rossen)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme (Robert Rossen )

Oscar de Melhor Direção (Robert Rossen)

Oscar de Melhor Ator (Paul Newman)

Oscar de Melhor Atriz (Piper Laurie)

Oscar de Melhor Ator Coadjuvante (Jackie Gleason)

Oscar de Melhor Ator Coadjuvante (George C. Scott)

Oscar de Melhor Roteiro Adaptado (Robert Rossen, Sidney Carroll)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Ator em um Drama (Paul Newman)

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Jackie Gleason)

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (George C. Scott)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Atriz Estrangeira (Piper Laurie)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Ator (Paul Newman)

Prêmio de Melhor Atriz (Piper Laurie)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (Robert Rossen)

Prêmios Laurel, USA

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Drama

Prêmio Laurel de Ouro de Melhor Atriz em um Drama (Piper Laurie)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Recentemente chegado da Califórnia em Nova York, em companhia de seu técnico, Charlie Burns, o talentoso jogador de bilhar, de personalidade autodestrutiva, Eddie Felson, sonha em enfrentar Minnesota Fats, considerado o maior jogador do país. Antes de enfrentá-lo, ele derrota alguns adversários imprudentes, permitindo que os mesmos ganhem até que as apostas se tornem suficientemente altas para, em seguida, derrotá-los.

Ao decidir, finalmente, enfrentar Minnesota, Eddie vai ao Ames, o salão em que, todas as noites, pontualmente às 20 horas, o famoso jogador chega à procura de loucos que desejem jogar e, por consequência, perder. Por 36 horas, os dois se enfrentam e, no início, o jogo tende para Eddie. Em seguida, depois de consumir bastante bebida alcoólica, ele finalmente descontrola-se inteiramente e termina derrotado e quebrado.

Após a luta, ele entra numa cafeteria e conhece Sarah Packard, uma jovem deficiente e alcoólatra. Não tendo nada de melhor a fazer, ele passa a conviver com ela. Certa noite, ele desafia o otário errado e, embora o derrote, quatro bandidos o pegam e o jogam em um quarto, onde quebram seus dois polegares. Dias depois, ao se recuperar, Eddie junta-se a um jogador de sangue frio, Bert Gordon, que concorda em organizar grandes jogos em troca de 70% dos ganhos obtidos.

Acompanhados por Sarah, Eddie e Bert viajam para Louisville, Kentucky, onde Eddie desafia Findley, um playboy milionário viciado em bilhar. Embora a viagem termine com uma vitória de Eddie, acaba em tragédia para Sarah. Acossada pelo implacável Bert, que exige domínio total sobre seu cliente, Sarah admite ter sido derrotada e corta seus pulsos com uma navalha. Arrasado ao perceber que seu egoísmo destruiu sua única chance de ser feliz, Eddie retorna à Nova York e novamente desafia Fats. Nesse novo embate, ele sai vitorioso e denuncia Bert, recusando-se a lhe pagar os 70% sobre seus ganhos.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Robert Rossen, a partir de um roteiro escrito por ele, juntamente com Sidney Carro, “Desafio à Corrupção” é um filme norte-americano produzido pelas empresas Twentieth Century Fox e Rossen Enterprises, Inc., em 1961. Sua trama, baseada num romance de Walter Tevis, conta a história de um talentoso jogador de bilhar, cujo sonho é o de derrotar o considerado melhor jogador do país.

Na direção, demonstrando mais uma vez seu completo domínio da câmera, Rossen nos brinda com mais um belo trabalho. A primeira meia hora é, realmente, emocionante. A fotografia em preto e branco, assinada por Eugen Schüfftan, é outro quesito que se destaca. No elenco, Paul Newman e Piper Laurie brilham em seu respectivos papéis, seguidos pelas ótimas atuações de George C. Scott e Jackie Gleason.

Enfim, “Desafio à Corrupção” é um filme altamente recomendável.

CAA