Filmes por gênero

SANGUE NEGRO (2007)

There will be blood
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Haverá sangue (Portugal)
Il y aura du sang (França)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: Paul Thomas Anderson
Roteiro: Paul Thomas Anderson
Produção: Joanne Sellar, Paul Thomas Anderson, Daniel Lupi
Design Produção: Jack Fisk
Música Original: Jonny Greenwood
Fotografia: Robert Elswit
Edição: Dylan Tichenor
Direção de Arte: David Crank
Figurino: Mark Bridges
Guarda-Roupa: Kathy Kiatta, Eden Clark Coblenz, Maria Tortu e outros
Maquiagem: Kim Ayers, Catherine Conrad, Yesim Osman e outros
Efeitos Sonoros: Matthew Wood, John Pritchett , Tom Johnson e outros
Efeitos Especiais: Steve Cremin, Glenn Thomas, Christian Eubank e outros
Efeitos Visuais: Grady Cofer, Paul Graff, Joy Carmeci e outros
Nota: 8.4
Filme Assistido em: 2008

Elenco

Daniel Day-Lewis Daniel Plainview
Paul Dano Paul Sunday / Eli Sunday
Russell Harvard H.W. Plainview
Dillon Freasier H.W. Plainview, quando jovem
Colleen Foy Mary Sunday
Sydney McCallister Mary Sunday, quando jovem
Ciarán Hinds Fletcher
Colton Woodward William Bandy
Kevin J. O'Connor Henry
David Willis Abel Sunday
Kellie Hill Ruth Sunday
Christine Olejniczak Sra. Sunday
Barry Del Sherman H.B. Ailman
Paul F. Tompkins Prescott
Randall Carver Sr. Bankside
Coco Leigh Sra. Bankside
Hans Howes Bandy
Hope Elizabeth Reeves Elizabeth
Rhonda Reeves Mãe de Elizabeth
Bob Bock Padre
Bob Bell Geólogo
Irene G. Hunter Sra. Hunter
James Downey Al Rose
Dan Swallow Gene Blaize
Robert Arber Charlie Wrightsman
Tom Doyle J.J. Carter
David Williams Ben Blaut
Louise Gregg Partidária de Eli
Amber Roberts Partidária de Eli

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Fotografia

Oscar de Melhor Ator (Daniel Day-Lewis)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Ator (Daniel Day-Lewis)

Círculo de Críticos de Cinema de Londres, Inglaterra

Prêmio Diretor do Ano (Paul Thomas Anderson)

Prêmio Ator do Ano (Daniel Day-Lewis)

Associação de Críticos de Cinema de Los Angeles, EUA

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Direção (Paul Thomas Anderson)

Prêmio de Melhor Ator (Daniel Day-Lewis)

Prêmio de Melhor Design de Produção

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Ator (Daniel Day-Lewis)

Prêmio de Melhor Fotografia (Robert Elswit)

Festival Internacional de Berlim, Alemanha

Prêmio Urso de Prata de Melhor Direção (Paul Thomas Anderson)

Prêmio Urso de Prata de Melhor Contribuição Artística

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Ator em um Drama (Daniel Day-Lewis)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme

Oscar de Melhor Direção (Paul Thomas Anderson)

Oscar de Melhor Roteiro Adaptado

Oscar de Melhor Direção de Arte

Oscar de Melhor Edição

Oscar de Melhor Edição de Som

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Direção (Paul Thomas Anderson)

Prêmio de Melhor Roteiro Adaptado

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Paul Dano)

Prêmio de Melhor Fotografia

Prêmio de Melhor Design de Produção

Prêmio de Melhor Som

Prêmio de Melhor Música

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Direção (Paul Thomas Anderson)

Sinopse

Em 1898, no deserto do Novo México, Daniel Plainview trabalha em sua pequena mina de prata. Usando dinamite, ele cai e quebra a perna. Depois de encontrar o minério, ele se arrasta até a cidade para vendê-lo. Em seguida, contrata uma equipe, incluindo um homem carinhoso para com um filho recém-nascido. Quando o filão de prata torna-se irrelevante, Daniel descobre petróleo na mina e começa a investir na mesma. Quando o jovem pai morre em um acidente de perfuração, Daniel adota o jovem como se fosse seu e lhe dá o nome de H. W.

Nove anos mais tarde, Daniel pode ser considerado um homem bem-sucedido, embora na seleta área do petróleo não passe de um modesto investidor. Ele possui vários poços produtivos em torno do Novo México e, com H.W., percorre o estado para comprar os direitos de perfuração de propriedades privadas.

Em um encontro com a população de uma cidade não identificada, Daniel apresenta seu plano de negócios. Ele explica aos presentes que faz todo o trabalho sozinho, contratando homens nos quais possa confiar para concluir o trabalho, eliminando assim a necessidade de um empreiteiro. Na ocasião, apresenta seu filho como seu parceiro e afirma que seu negócio é uma operação familiar. Quando as pessoas começam a questioná-lo com maior rigor, Daniel recusa a oferta e deixa o local com a certeza de que a Comunidade é esperta demais para poder tirar proveito dela.

Pouco tempo depois, ele se reúne com um casal e elabora um contrato para perfurar poços nas terras deles. Embora relutante, o casal termina concordando e o poço perfurado torna-se uma realidade algum tempo mais tarde.

Certa noite, um jovem chamado Paul Sunday, visita o campo de Daniel. Ele vende-lhe informações sobre um rancho de sua família em Little Boston, California, o qual, segundo ele, possui um verdadeiro oceano de óleo em seu subsolo. Daniel e H.W. viajam até o rancho dos Sunday e, enquanto fingem caçar codornas, confirmam o que Paul lhes havia dito. Daniel, então, negocia com o patriarca da família, Abel, e com Eli, irmão gêmeo de Paul. O preço acordado é de US$ 10.000, o qual será utilizado na construção de uma nova paróquia, “A Igreja da Terceira Revelação”. Eli é um ambicioso pregador, sem carisma, e curandeiro. Daniel concorda em pagar US$ 5.000,00 como sinal e o restante quando a torre de perfuração entrar em operação.

Daniel monta sua equipe no rancho dos Sunday e constrói sua primeira torre. Ele também compra quase todas as terras ao redor do rancho, de modo a poder aumentar sua produção, além de ter o direito de construir um oleoduto para não ficar dependente das ferrovias e de seus custos. Apenas um proprietário de nome William Bandy se recusa a vender suas terras.

Mary Sunday, a irmãzinha de Eli, torna-se amiga de H.W. e este a presenteia com um novo vestido. Certa noite, durante o jantar, ele lhe diz, na frente de Abel, que o pai dela não voltará a batê-la por ela se recusar a orar. Eli e Daniel continuam a se estranhar. Este fica ressentido quando Eli conclama os trabalhadores para participarem diariamente dos serviços religiosos, mas quando um trabalhador morre ao tentar recuperar uma broca, Daniel se alegra ao vê-lo tomar todas as providências para um funeral digno. Durante as cerimônias do funeral, os dois voltam a se encontrar, ocasião em que Eli diz a Daniel que, se este tivesse permitido que o poço fosse abençoado, talvez o acidente não tivesse ocorrido.

Alguns dias mais tarde, jorra óleo do poço que estava sendo perfurado. O escapamento de gases provoca uma explosão e H.W., que a tudo assistia da plataforma, fica surdo. Ele se torna teimoso e desconfiado. Daniel, por outro lado, passa a ter três prósperos poços de petróleo na área de Little Boston. Eli o procura para reivindicar os US$ 5.000 previstos no contrato. No entanto, Daniel o ataca e o arrasta para uma poça de lama, deixando-o completamente encharcado. Em seguida, zomba do poder de cura que Eli diz ter, uma vez que não foi capaz de restaurar a audição de H.W.

Pouco tempo depois, um homem chamado Henry aparece na porta de Daniel, alegando ser seu meio-irmão. Como ele sabe detalhes sobre sua família e sua cidade natal, Daniel confia nele e o coloca como seu auxiliar. Com ciúmes, H.W. passa a bisbilhotar os pertences de Henry e termina com uma tentativa de incendiar a casa com Daniel e Henry em seu interior. Ao invés de castigá-lo, Daniel prefere mandá-lo para o internato de uma escola em São Francisco.

Concorrentes tentam comprar os poços de Daniel por US$ 1 milhão, mas ele rejeita a proposta. Quando um deles sugere que Daniel deve se aposentar para cuidar de H.W., ele o ameaça. Em seguida, Daniel e Henry vão à propriedade de Bandy, a fim de falarem sobre a terra que precisam para a construção do oleoduto e fazerem um levantamento da mesma. Quando Henry não entende uma referência feita à sua cidade natal, Daniel se mostra desconfiado e, naquela mesma noite, empunhando uma pistola, o obriga a confessar. Acuado, Henry confessa não ser seu irmão, mas que conhecera seu irmão no Kansas. Quando ele morreu, assumiu sua identidade e viajou para a California a fim de encontrá-lo. Daniel o mata e o enterra numa cova rasa na propriedade de Bandy.

Na manhã seguinte, Bandy acorda Daniel e lhe diz que pode arrendar a terra desde que concorde em se batizar na Igreja da Terceira Revelação. Em seguida, ao revelar que sabe quem matou Henry, Bandy não deixa outra escolha para Daniel que não seja a de aceitar sua proposta. Assim, ele é batizado depois de, publicamente, afirmar ser um pecador, sendo em seguida calorosamente abraçado por todos, ocasião em que Eli anuncia que Daniel doou a importância de US$ 5.000 para a Igreja.

H.W. retorna do internato e é calorosamente recebido por Daniel. Na escola aprendeu a língua dos sinais e fala com a ajuda de um intérprete. Ele e Mary brincam juntos, e ela também aprende a língua dos sinais. Os dois terminam se casando no final de 1920. Daniel tornou-se um bêbado e vive isolado numa grande mansão onde se diverte atirando em seus objetos de valor com uma pistola.

Quando H.W. anuncia sua intenção de se mudar para o México e começar seu próprio negócio na área do petróleo, Daniel torna-se mais abatido e revela a H.W. que ele não é seu filho biológico e insultuosamente o repudia. Algum tempo depois, Eli o visita no salão de boliche da mansão. Na ocasião, Eli o informa de que o velho Bandy morreu e que seu neto deseja vender os direitos à sua terra com o objetivo de se tornar um ator de cinema. Continua dizendo que ele, Eli, vai fazer o papel de corretor nessa transação. Daniel concorda, desde que Eli admita ser um falso profeta e que Deus não passa de uma superstição. Este atende ao seu pedido, repetindo por várias vezes ser um mero falso profeta e de que Deus não passa de uma superstição.

A seguir, Daniel revela que, tendo possuído todos os poços em torno do rancho de Bandy, já havia retirado o óleo que nele existia através de um sistema de drenagem. Por sua vez, Eli revela que, apesar de ser um bem-sucedido pregador via rádio, encontra-se quebrado devido a maus investimentos. Sem maior explicação, Daniel o ataca com um pino de boliche até a morte. Quando o mordomo vem ver o que está ocorrendo, Daniel olha para ele e diz: “Estou acabado”.

imagem imagem imagem

Comentários

Baseado num livro de Upton Sinclair, “Sangue Negro” é um excelente filme. Escrito e dirigido pelo cineasta Paul Thomas Anderson, sua trama fala de temas como obsessão, ganância, perversão, religião.

Anderson realiza um ótimo trabalho de direção, no que é ajudado pela ótima trilha sonora de Jonny Greenwood, a qual acompanha o filme ao longo de seu desenvolvimento, ajudando a criar uma tensão sempre que a mesma se faz necessária. Com uma duração maior que duas horas e meia, o filme poderia, no entanto, ter um ritmo um pouco mais forte e uma duração menor. A fotografia assinada por Robert Elswit é outro quesito técnico que merece ser mencionado.

No elenco, o grande nome a ser citado é o de Daniel Day-Lewis, com uma atuação memorável, seguido pelo de Paul Dano, no papel de Eli Sunday.

CAA