Filmes por gênero

O ANJO VIOLENTO (1962)

All fall down
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: O anjo de violência (Portugal)
L'ange de la violence (França)
E il vento disperse la nebbia (Itália)
Su propio infierno (Espanha)
A cada cual su propio infierno (México)
Mein Bruder, ein Lump (Alemanha)
Oro i kroppen (Suécia)
En moderne helt (Dinamarca)
Всё рушится (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: John Frankenheimer
Roteiro: William Inge
Produção: John Houseman
Música Original: Alex North
Direção Musical: Alex North
Fotografia: Lionel Lindon
Edição: Fredric Steinkamp
Direção de Arte: George W. Davis, E. Preston Ames
Figurino: Dorothy Jeakins
Maquiagem: William Tuttle
Efeitos Sonoros: Franklin Milton
Efeitos Visuais: Robert R. Hoag
Nota: 8.2
Filme Assistido em: 1963

Elenco

Eva Marie Saint Echo O'Brien
Warren Beatty Berry-Berry Willart
Karl Malden Ralph Willart
Angela Lansbury Annabell Willart
Brandon De Wilde Clinton Willart
Constance Ford Sra. Mandel
Barbara Baxley Professora
Evans Evans Hedy
Madame Spivy Leão-de-Chácara
Albert Paulsen Capitão Ramirez
Buffy Dee Tenente da Polícia
Colette Jackson Dorothy
Jennifer Howard Myra
Bernadette Withers Mildred
John Burnside Patrulheiro da auto-estrada
Henry Kulky Marinheiro
Anton von Stralen Marinheiro
Irving Steinberg Chefe do Lava-jato
Rick Lancelot Estudante
Harry Hines Vagabundo

Indicações

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio Palma de Ouro (John Frankenheimer)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Berry-Berry Willart, um jovem de vinte e um anos, deixou sua cidade natal de Cleveland, Ohio, para se afastar de seu pai alcoólatra e de sua autoritária e arrogante mãe, pois não gostava como o tratavam como filho pródigo.

Ele sempre procurou uma saída fácil para seus problemas e, muitas vezes, usou sua boa aparência para tirar proveito das mulheres, que inicialmente se mostravam dispostas a ajudá-lo até o conhecerem melhor. Seus pais, principalmente sua mãe Annabell, acreditam que ele não é capaz de fazer nada de errado, e seu irmão mais novo, Clinton, o idolatra.

Certo dia, ele telefona para casa pedindo US$ 200 para aplicar em um negócio. Seu irmão pega um ônibus e segue até a Florida, para entregar-lhe o dinheiro enviado por seus pais e, ao chegar lá, descobre que ele se encontra numa prisão, por ter batido numa prostituta, e que o dinheiro pedido é para conseguir sua liberdade.

Uma vez livre, Berry-Berry manda Clinton de volta à Ohio, prometendo visitar a família no próximo Natal. Ao chegar em casa, Clinton vê sua vida tão sombria em comparação com a glamorosa vivida pelo irmão. No entanto, a emoção e a alegria de viver de repente entram na vida do jovem, quando ele conhece Echo O'Brien, filha da amiga mais próxima de sua mãe, e se apaixona por ela. Por outro lado, embora Berry-Berry não tivesse a menor intenção de voltar à Cleveland, ele chega sem avisar previamente e, ao conhecer Echo, seu apelo às mulheres prova-se mais uma vez irresistível e ela se apaixona por ele.

Inicialmente, Berry-Berry corresponde ao seu amor, mas ao descobrir que ela se acha grávida, ele a deixa. Desesperada, ela joga seu carro de um penhasco e morre. Ao tomar conhecimento do ocorrido, Clinton pega uma arma e decide matar seu irmão. No entanto, ao confrontá-lo, percebe quanto ele é patético e, não mais preso ao amor que sentia por ele, prefere abandoná-lo à sua própria miséria.

imagem

Comentários

Realizado pelo grande cineasta John Frankenheimer, a partir de um roteiro escrito por William Inge, “O Anjo Violento” é um filme norte-americano produzido pela empresa John Houseman Productions em 1962. Sua trama, baseada num romance de James Leo Herlihy, prende a atenção do espectador basicamente da primeira à última cena.

Na direção, Frankenheimer realiza um excelente trabalho, principalmente pelo ritmo por ele imposto à narrativa. Adicionalmente, o filme apresenta uma ótima fotografia, em preto e branco, de Lionel Lindon, além de uma bela trilha sonora, assinada por Alex North.

No elenco, Angela Lansbury brilha no papel da mãe autoritária, seguida pelas ótimas atuações de Warren Beatty, que lembra James Dean em “Juventude Transviada”, Eva Marie Saint, que mostra por que já ganhou um Oscar aos 30 anos de idade, com o filme “Sindicato de Ladrões”, e Brandon De Wilde.

CAA