Filmes por gênero

ARROZ AMARGO (1949)

Riso amaro
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Bitter rice (USA)
Riz amer (França)
Bitterer reis (Alemanha, Austria)
Bittert ris (Suécia)
Gorzki ryz (Polônia)
Bittere rijst (Holanda)
Rispigen (Dinamarca)
Горький рис (União Soviética)
Pais: Itália
Gênero: Drama
Direção: Giuseppe de Santis
Roteiro: Giuseppe de Santis, Gianni Puccini, Carlo Lizzani
Produção: Dino De Laurentiis
Design Produção: Carlo Egidi
Música Original: Goffredo Petrassi
Fotografia: Otello Martelli
Edição: Gabriele Varriale
Figurino: Anna Gobbi
Maquiagem: Amato Garbini
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1951

Elenco

Silvana Mangano Silvana
Vittorio Gassman Walter Granata
Doris Dowling Francesca
Raf Vallone Sgt. Marco
Checco Rissone Aristide
Nico Pepe Beppe
Adriana Sivieri Celeste
Lia Corelli Amelia
Maria Grazia Francia Gabriella
Dedi Ristori Anna
Anna Maestri Irene
Mariemma Bardi Gianna
Maria Capuzzo Giulia
Isabella Zennaro Rosa
Carlo Mazzarella Gianetto
Antonio Nediani Erminio
Mariano Englen Cesare
Attilio Dottesio Bruno
Manlio Mannozzi Alessandro

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor História Original (Giuseppe De Santis e Carlo Lizzani)

Festival Internacional de Cannes, França

Grand Prix do Festival (Giuseppe de Santis)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Todo ano, no início do mês de maio, mulheres das mais diversas regiões da Itália deslocam-se para o vale do rio Pó, a fim de participarem do plantio do arroz.  Em Torino, quando um trem se prepara para partir rumo às planícies dos arrozais, Walter Granata, um ladrão de jóias, é perseguido pela polícia.  Conseguindo despistar seus perseguidores, ele faz com que sua cúmplice, Francesca, que se encontra com as jóias estimadas em 5 milhões de liras, embarque no referido trem.

Silvana, uma das plantadoras, percebe tudo e fica de olho em Francesca.  Uma vez no acampamento do arrozal, ela consegue pôr as mãos nas jóias roubadas e, em seguida, tenta fazer com que Francesca seja expulsa do grupo, alegando que ela se encontra ali sem um contrato formal de trabalho.  Quase linchada, Francesca é salva pelo Sgt. Marco, exatamente o homem que mantém um caso com Silvana.

Depois, quando as duas fazem as pazes, Francesca conta que trabalhara na mansão de uma família muito rica, de onde foi despedida ao descobrirem que se encontrava grávida.  Na época, envolveu-se com Walter, de quem se tornou uma verdadeira escrava, tendo inclusive sido obrigada por ele a retirar a criança.

Walter chega ao arrozal no momento em que Silvana dança sozinha, no meio de uma roda em que todos a aplaudem.  No pescoço, ela exibe uma das jóias roubadas.  Ele entra na roda e começa a dançar com ela.  Quando o Sgt. Marco passa pelo local e vê a cena, vai até os dois e arranca o colar do pescoço de Silvana.  Walter e Marco se atracam, iniciando uma luta, enquanto Francesca apanha o colar que caíra no chão.  Terminada a luta, Francesca entrega o colar a Walter e este lhe diz que descobriu serem falsas as jóias roubadas.

Num dos grandes armazéns onde o arroz é estocado, três homens entram para roubar alguns quilos do produto.  Walter os observa e os aborda, dizendo-lhes que vai elaborar um plano para roubarem todo o estoque, estimado em 30 toneladas.

Quando Silvana termina seu relacionamento com o Sgt. Marco, ela descobre Walter no armazém, sendo por ele seduzida.  No processo de sedução, ele a presenteia com o falso colar, que ela crê tratar-se de uma jóia original caríssima.  Na realidade, ele a quer do seu lado, a fim de usá-la no dia do grande roubo do armazém.  Francesca descobre o plano de Walter e tenta alertar Silvana para o fato de que ela vai estar sendo por ele usada, mas ela não a ouve.

O roubo é programado para o dia da festa de confraternização que, anualmente, ocorre ao final do período do plantio.  Assim, quando todos se reúnem para a festa, Silvana abre as comportas da represa local, inundando o arrozal.  Todos correm em direção às comportas e ao arrozal, numa tentativa de minimizarem os prejuízos.  Enquanto isso, os ladrões entram com os caminhões que serão carregados com o produto estocado no armazém.

Ao se encontrar com o Sgt. Marco, Francesca lhe explica que a abertura das comportas foi provocada para desviar a atenção de todos e que o problema maior se acha no armazém de arroz.  Os dois seguem pra lá, onde se dá o confronto com o grupo de Walter.  Ao ouvirem o barulho dos primeiros tiros, os três ladrões fogem com seus caminhões, sendo presos na estrada.

No galpão, Walter e o Sgt. Marco são feridos.  Este tenta fazer com que Silvana passe para seu lado, mas ela resiste por se achar apaixonada por Walter.  Quando Francesca consegue ameaçá-los com um revólver, Silvana joga as jóias em sua direção e, em contrapartida, implora que os deixe fugir.  Com os pés, Francesca faz com que as jóias caiam num esgoto, insistindo que as mesmas eram falsas e que Walter as estava usando para tê-la ao seu lado.  Sentindo-se traída, Silvana o mata com dois tiros, usando o próprio revólver de Walter.  Em seguida, ela se suicida.

Antes de partirem, todas as mulheres se reúnem para prestarem uma homenagem à Silvana.  Ao final, o Sgt. Marco e Francesca saem de mãos dadas.

imagem

Comentários

"Arroz Amargo" é um clássico do neo-realismo italiano do pós-guerra.  Realizado pelo cineasta Giuseppe de Santis, que também participou da elaboração do roteiro, sua trama gira em torno do plantio anual do arroz que ocorre anualmente no vale do rio Pó, no norte da Itália, bem como, dos problemas causados por um ladrão de jóias e sua cúmplice, ao se misturarem entre as centenas de trabalhadoras que acorrem ao local.

Partindo de um excelente roteiro, indicado ao Oscar, Giuseppe de Santis nos brinda com um ótimo trabalho de direção, do início ao fim.  A fotografia de Otello Martelli é um outro ponto alto desse drama.

No elenco, destacam-se as atuações dos quatro principais atores.  Com seus 18 anos de idade, Silvana Mangano esbanja sensualidade, tendo, em "Arroz Amargo", o filme que a elevou ao status de estrela.

CAA