Filmes por gênero

ANJOS E INSETOS (1995)

Angels and Insects
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Des anges et des insectes (França, Canadá)
Angeli e insetti (Itália)
Ángeles & insectos (Argentina, Espanha)
Engel und insekten (Alemanha)
Anioly i owady (Polônia)
Angyalok és rovarok (Hungria)
Enkeleitä ja hyönteisiä (Finlândia)
Ангелы и насекомые (Rússia)
Pais: Estados Unidos, Reino Unido
Gênero: Drama
Direção: Philip Haas
Roteiro: Philip Haas, Belinda Haas
Produção: Belinda Haas, Joyce Herlihy, Kerry Orent
Design Produção: Jennifer Kernke
Música Original: Alexander Balanescu
Fotografia: Bernard Zitzermann
Edição: Belinda Haas
Direção de Arte: Alison Riva
Figurino: Paul Brown
Guarda-Roupa: Jane Hamilton, Susanna Wilson, Jane Law
Maquiagem: Sarah Monzani, Judy Mitchell
Efeitos Sonoros: Colin Nicolson, Stuart Emanuel, Wendy Hedin, M. Barry e outros
Nota: 8.1
Filme Assistido em: 1997

Elenco

Mark Rylance William Adamson
Kristin Scott Thomas Matty Crompton
Patsy Kensit Eugenia Alabaster Adamson
Jeremy Kemp Sir Harald Alabaster
Douglas Henshall Edgar Alabaster
Annette Badland Lady Alabaster
Chris Larkin Robin
Anna Massey Srta. Mead
Saskia Wickham Rowena Alabaster
Lindsay Thomas Empregada de Lady Alabaster
Michelle Sylvester Margaret Alabaster
Clare Lovell Elaine Alabaster
Jenny Lovell Edith Alabaster
Oona Haas Alice Alabaster
Angus Hodder Guy Alabaster
Margaret Golder Enfermeira
Paul Ready Tom
Naomi Gudge Martha
John Jenkins Ralph Blackwood
John Veasey Arthur
Clare Redman Amy
Terry Askew Jardineiro
Suzanne Gordon Dançarina
Bernadette Iglich Dançarina
Claudia Pottier Dançarina
Angelina Hereda Reza Dançarina
Stephanie Smith Dançarina
Marco De Santos Dançarino

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Figurino (Paul Brown)

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio Palma de Ouro (Philip Haas)

Prêmios Chlotrudis - Massachusetts, USA

Prêmio Chlotrudis de Melhor Atriz Coadjuvante (Kristin Scott Thomas)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Inglaterra Vitoriana, 1860.  Depois de passar dez anos pesquisando insetos nas selvas amazônicas, um jovem naturalista e explorador inglês, William Adamson, perde tudo o que conseguiu reunir, nesse período, quando o navio em que voltava para a Inglaterra naufraga.  Assim, agradecido, ele aceita o convite do rico reverendo Harald Alabaster, um naturalista amador e colecionador de insetos, para morar em sua suntuosa mansão, onde teria a oportunidade de organizar e catalogar todas as aquisições do reverendo, como também, de desenvolver suas próprias pesquisas.

Chegando à mansão na época do baile anual dos Alabasters, William se vê rodeado de lindas mulheres do local.  Ao pôr os olhos em Eugênia, uma das filhas do reverendo, é logo seduzido por sua beleza.  Embora não tenha a menor esperança de ser aceito na família, por não ser um nobre, ele fica surpreso quando ela aceita o seu pedido de casamento.

Os dois se casam e, logo, aparecem os filhos.  Estudioso das teorias de Darwin, publicadas na época, William começa a estranhar o fato das crianças não terem absolutamente nada que se pareça com o lado de sua família.  Por outro lado, o cientista não se sente nada confortável quando se vê obrigado a permanecer ao lado dos familiares de Eugenia, especialmente do seu hostil cunhado Edgar.

Quando sua mulher começa a não mais procurá-lo, William, incentivado por Matty Crompton, a governanta dos Alabasters, retoma um estudo sobre uma colônia de formigas existente no local.   Matt demonstra ter uma série de afinidades com ele, além de ser uma pessoa encorajadora, com presença de espírito e honesta.

Pouco tempo depois, ele descobre um terrível segredo de sua mulher Eugênia, e decide romper com seu casamento.  Sentindo-se sem condições de continuar vivendo na mansão dos Alabasters, ele resolve voltar para a América do Sul e retomar suas pesquisas na Amazônia.  Matty Crompton decide acompanhá-lo nessa viagem.

imagem

Comentários

"Anjos & Insetos" é um filme muito bem dirigido por Philip Haas e que conta, também, com boas atuações do elenco principal.

O filme compara a vida humana com aquela vivida por uma colônia de formigas.  As semelhanças e diferenças são impressionantes.  Como os homens e mulheres, as formigas são organizadas, são sociáveis e a mais importante função é a reprodução.  Entretanto, no reino dos insetos, não há ódio nem egoísmo.  As formigas preocupam-se mais em servir à rainha do que em si próprias.  Enquanto isso, os humanos pensam mais em si próprios, embora se considerem civilizados, mas o verdadeiro barbarismo de sua natureza geralmente aparece.
 
CAA