Filmes por gênero

OS SONHADORES (2003)

I sognatori
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Les innocents (França)
The Dreamers - I sognatori (Itália)
The dreamers (USA)
Paris '68 (Reino Unido)
Die träumer (Alemanha)
Los soñadores (Argentina, México)
Soñadores (Espanha)
Marzyciele (Polônia)
Мечтатели (Rússia)
Pais: Itália, França, Reino Unido, Estados Unidos
Gênero: Drama, Romance
Direção: Bernardo Bertolucci
Roteiro: Gilbert Adair
Produção: Jeremy Thomas
Design Produção: Jean Rabasse
Coreografia: Corinne Devaux
Fotografia: Fabio Cianchetti
Edição: Jacopo Quadri
Direção de Arte: Pierre Duboisberranger
Figurino: Louise Stjernsward
Guarda-Roupa: Marielle Robaut, Nathalie Cercuel, Chloe Bartonio
Maquiagem: Thi-Loan Nguyen, Thi Thanh Tu Nguyen
Efeitos Sonoros: Mark Auguste, Peter Burgis, Daniel Laurie e outros
Efeitos Especiais: Denis Duplex, Michel Gery, Jean Miel e outros
Efeitos Visuais: Virginie Allal, Valerio Bonelli, Fabien Coupez e outros
Nota: 8.6
Filme Assistido em: 2007

Elenco

Michael Pitt Matthew
Eva Green Isabelle
Louis Garrel Theo
Anna Chancellor Mãe
Robin Renucci Pai
Jean-Pierre Léaud Ele próprio
Jean-Pierre Kalfon Ele próprio
Florian Cadiou Patrick
Ingy Fillion Namorada de Theo
Lola Peploe A arrumadeira

Prêmios

Prêmios Golden Ciak, Itália

Prêmio Golden Ciak de Melhor Fotografia (Fabio Cianchetti)

Indicações

Prêmios David di Donatello, Itália

David de Melhor Edição (Jacopo Quadri)

Academia do Cinema Europeu

Prêmio de Melhor Direção (Bernardo Bertolucci)

Prêmio de Melhor Atriz (Eva Green)

Prêmios Goya - Academia Espanhola, Espanha

Goya de Melhor Filme Europeu (Miguel Contreras Torres)

Sindicato dos Jornalistas Críticos de Cinema, Itália

Prêmio Fita de Prata de Melhor Diretor de Filme Italiano (Bernardo Bertolucci)

Prêmio Fita de Prata de Melhor Fotografia (Fabio Cianchetti)

Prêmio Fita de Prata de Melhor Edição (Jacopo Quadri)

Prêmios Golden Globes, Itália

Prêmio Golden Globe de Melhor Direção (Bernardo Bertolucci)

Videoclipes

70 anos de cinema 70 anos de cinema

Sinopse

Na primavera de 1968, Matthew, um californiano de San Diego, estuda francês em Paris.  Amante de cinema, freqüenta com assiduidade a Cinémathèque Française.  Quando o ministro André Malraux demite seu fundador, Henri Langlois, e fecha a cinemateca, o mundo do cinema mobiliza-se.  Cineastas da "nouvelle vague", apoiados por críticos dos "Cahiers du Cinéma" e por grandes nomes do cinema internacional, como Fritz Lang, fazem pressão sobre o ministro da cultura.  Jovens saem às ruas em passeatas de apoio a essa mobilização.

Num dos confrontos com a polícia, Matthew conhece os irmãos gêmeos Theo e Isabelle.  Enquanto caminham, os três falam sobre política, cinema e a falta de um grupo de rock & roll na França.  Na ocasião, os irmãos convidam o novo amigo para jantar no apartamento de seus pais.  O pai de Isabelle e Theo é um célebre poeta francês, antigamente engajado nos movimentos sociais, mas agora distante dos mesmos.

O jantar transcorre normalmente e, ao final do mesmo, já tarde, a dona-da-casa insiste para que Matthew pernoite com eles.  Na manhã seguinte, os pais de Isabelle e Theo partem bem cedo para Trouville, onde devem permanecer por um mês.  Quando acordam, um pouco mais tarde, os irmãos insistem para que Matthew aproveite o período em que seus pais estarão fora para ficar com eles.  Hesitante em princípio, o jovem termina aceitando o convite, por se encontrar só em Paris, bem como, por serem da mesma idade e compartilharem dos mesmos interesses.

Com a ausência dos pais, Theo e Isabelle vão, aos poucos, introduzindo Matthew em seus jogos de intimidade, sedução e sexo.  Num desses jogos, em que o perdedor é obrigado a fazer o que lhe é imposto, como pena, Theo exige que Isabelle e Matthew façam amor em sua frente.  Após a relação, o jovem descobre que Isabelle era virgem.

Preocupado com a relação simbiótica entre os dois irmãos, Matthew pergunta à Isabelle se ela já saiu com outros jovens, amigos ou colegas de escola, ao que ela responde que só sai com o irmão.  Ele a convida, então, para saírem juntos, sem a presença de Theo.  Ao aceitar o convite, ela vai com Matthew a um Café e, em seguida, a um cinema, onde namoram e se sentem felizes.

De volta ao apartamento, Isabelle não permite que Matthew entre em seu quarto, como se ela escondesse algum segredo.  Matthew encontra-se com Theo e os dois discutem política, a participação nos movimentos de rua, etc.  Mais tarde, Isabelle os convida para o que ela chama de uma grande surpresa.

Na sala, ela improvisara uma grande tenda, ao estilo oriental.  Abajures, luzes de velas, tapetes e almofadas completam o ambiente.  Eles deitam-se no interior da tenda, onde adormecem. Os pais de Theo e Isabelle chegam de repente, encontrando os três jovens dormindo abraçados e nus.  Eles deixam um cheque para os filhos e saem de fininho.

Ao acordar, Isabelle encontra o cheque e conclui que seus pais os viram juntos.  Desesperada, tenta matar-se com o gás da cozinha, mas o barulho de mais uma passeata acorda os demais e todos descem para se integrarem aos manifestantes.  Na rua, quando o grupo parte para a violência, incendiando automóveis e atirando coquetéis Molotov contra a polícia, Matthew tenta convencer os dois irmãos de que esse não é o caminho correto para a solução dos problemas.  Como Theo se mantém irredutível, ele tenta, pelo menos, fazer com que Isabelle o ouça.  Esta, entretanto, prefere seguir em frente com o irmão, enquanto Matthew retira-se sozinho.

imagem

Comentários

Adaptação cinematográfica de um romance de Gilbert Adair, "Os Sonhadores" é mais uma ótima realização do cineasta italiano, Bernardo Bertolucci, responsável por filmes como "O Último Tango em Paris", "Beleza Roubada" e "Assédio".

Tendo como pano de fundo as passeatas de maio de 1968, pelas ruas da capital francesa, contra o então ministro da cultura, André Malraux, Bertolucci transmite uma vibrante e sincera declaração de amor ao cinema.  Logo no início, o ator Jean-Pierre Léaud faz um inflamado discurso sobre a situação da Cinémathèque Française, citando cineastas e atores tais como François Truffaut, Jean-Luc Godard, Claude Chabrol e Jean-Paul Belmondo, entre outros.

Num primoroso trabalho de direção e edição, Bertolucci insere inúmeros documentos de arquivos, como trechos de filmes dos anos 60, bem como, músicas de Françoise Hardy, Jimmy Hendrix, Eric Clapton, Janis Joplin, etc.

Nesse contexto, é desenvolvida a história de três adolescentes, dos quais dois são um casal de irmãos gêmeos amorais, que, confinados a maior parte do tempo em um apartamento, confrontam seus sentimentos, suas emoções, sua nudez, através de jogos eróticos, bem como, o amor que sentem pelo cinema e suas idéias políticas.

Com várias e ousadas cenas de nudez, os três principais atores, nos papéis dos adolescentes, estão ótimos em suas respectivas atuações, com maior destaque para o trabalho apresentado pela bela Eva Green, em seus 23 anos.

CAA