Filmes por gênero

O INOCENTE (1976)

L'innocente
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: L'innocent (França)
O Intruso (Portugal)
The innocent (Estados Unidos, Reino Unido)
El inocente (Argentina, Espanha, México)
Die unschuld (Alemanha)
Niewinne (Polônia)
Az ártatlan (Hungria)
Den uskyldige (Dinamarca)
Невинный (Rússia)
Pais: Itália, França
Gênero: Drama, Romance
Direção: Luchino Visconti
Roteiro: Luchino Visconti, Suso Cecchi d'Amico, Enrico Medioli
Produção: Giovanni Bertolucci
Design Produção: Mario Garbuglia
Música Original: Franco Mannino
Direção Musical: Franco Mannino
Fotografia: Pasqualino De Santis
Edição: Ruggero Mastroianni
Figurino: Piero Tosi
Guarda-Roupa: Alberto Verso
Nota: 8.3
Filme Assistido em: 1977

Elenco

Giancarlo Giannini Tullio Hermil
Laura Antonelli Giuliana Hermil
Jennifer O'Neill Condessa Teresa Raffo
Rina Morelli Mãe de Tullio
Massimo Girotti Conde Stefano Egano
Didier Haudepin Federico Hermil
Marie Dubois A Princesa
Roberta Paladini Srta. Elviretta
Claude Mann O Príncipe
Marc Porel Filippo d'Arborio
Enzo Musumeci Greco Mestre das Armas
Vittorio Zarfati Padre mais velho
Alessandro Consorti .
Margherita Horowitz .
Riccardo Satta .
Marina Pierro .
Elvira Cortese .

Prêmios

Prêmios David di Donatello, Itália

David de Melhor Música (Franco Mannino )

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Na Roma do final do século XIX, Tullio Ermile é um rico e nobre intelectual, mas, também, um homem egoísta, orgulhoso, despótico.  Casado com Giuliana, mantém um caso extraconjugal com a Condessa Teresa Raffo, uma bela e independente viúva.  Embora sabendo que é traída, Giuliana mantém seu casamento de fachada, por continuar a amá-lo.

Certo dia, Tullio confessa à sua mulher que realmente não mais a ama como esposa, e sim como a uma querida irmã, amiga e confidente.  Na ocasião, comunica-lhe que estará indo, no dia seguinte, para Florença, a fim de viver com Teresa.  Na hora da partida, Federico, seu irmão mais novo, chega para passar alguns dias de licença, já que é um militar.  Tullio fica contente com sua chegada, pois Giuliana não estará sozinha nos primeiros dias da separação.

Durante a estada de Federico, este recebe a visita do seu maior amigo, o escritor Filippo d'Arborio. Filippo sente-se atraído por Giuliana que, num momento de fraqueza, deixa-se seduzir pelo atraente escritor.  Enquanto isso, em Florença, supondo que o Conde Stefano Egano seja amante de Teresa, Tullio o desafia para um duelo, do qual os dois saem vivos.  Tal fato, entretanto, faz com que a relação entre Tullio e Teresa fique estremecida, de modo que ele retorna para a casa de Giuliana, em Roma.  Por não ter deixado de amá-lo, ela o acolhe.

Dias depois, Tullio é surpreendido com a notícia de que Giuliana viajou para passar uma temporada com a mãe dele.  Ato contínuo, vai ao seu encontro e, demonstrando arrependimento, pede-lhe que voltem a se relacionar como marido e mulher.  Os dois passam a noite juntos mas, na manhã seguinte, Tullio sabe, por intermédio de sua mãe, que Giuliana se acha grávida, o que o deixa transtornado, já que, com certeza, o filho não é dele.  Sua primeira reação é a de procurar imediatamente um médico para fazer um aborto, mas Giuliana se nega a cometer o que ela chama de um crime.

Ao descobrir que o pai da criança é Filippo d'Arborio, Tullio pede ao irmão que lhe consiga um encontro com o escritor, ocasião em que Federico lhe informa que d'Arborio foi acometido de uma grave doença tropical, na África, e que se encontra no isolamento de um hospital, entre a vida e a morte.  Dias depois, os jornais noticiam o falecimento do escritor.

Não tendo conseguido que Giuliana fizesse o aborto, Tullio começa a nutrir um ódio mortal pela criança, ao longo de toda a gravidez.  Assim, poucos dias após o nascimento do pequeno Raimondo, aproveitando a saída de todos para a missa do Natal, Tullio expõe o recém-nascido ao frio da noite de um rigoroso inverno, matando-o.

Ao voltar da igreja, Giuliana sente que o marido foi o responsável direto pela morte de seu filho, ocasião em que lhe diz que o desprezará e o odiará pelo resto de seus dias.  Tullio sai de casa e procura Teresa, sua ex-amante, a quem conta todo o ocorrido.  Em seguida, retirando-se para um cômodo ao lado, mata-se com um tiro na cabeça.

imagem imagem imagem

Comentários

Baseado num livro de Gabriele D'Annunzio, "O Inocente" é um ótimo e envolvente filme do cinema italiano.  Co-produzido com a França, trata-se do último filme do grande cineasta Luchino Visconti, que viria a morrer logo a seguir, em março de 1976.

A trama procura analisar a infidelidade, tanto do ponto de vista masculino, quanto do feminino, bem como, a forma como a sociedade julgava as respectivas transgressões na Itália do final do século XIX.

Visualmente, o filme é muito bem produzido, com belíssimos cenários e figurinos.  Por outro lado, sua trilha sonora conta com músicas de Mozart  (Sonata nº 11 para Piano) e de Christoph von Glück (Ária "Che farò senza Euridice", da Ópera "Orfeo & Eurídice").

A atuação dos principais atores é mais um de seus pontos fortes.  Através de suas expressões faciais, o espectador pode sentir a dor, a angústia e os tormentos de seus personagens, com destaque para Giancarlo Giannini.

CAA