Filmes por gênero

INCÓGNITO (1997)

Incognito
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: O falsário (Portugal)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Suspense
Direção: John Badham
Roteiro: Jordan Katz
Produção: James G. Robinson
Design Produção: Jamie Leonard
Música Original: John Ottman
Fotografia: Denis Crossan
Edição: Frank Morriss
Direção de Arte: Mark Raggett, Su Whitaker
Figurino: Louise Stjernsward
Maquiagem: Lynda Armstrong, Dave Elsey, Belinda Hodson
Efeitos Sonoros: David Crozier, Joseph Mayer, Anna Bright e outros
Efeitos Especiais: David Harris, Cliff Wallace, Neil Toddy Todd
Nota: 6.9
Filme Assistido em: 1998

Elenco

Jason Patric Harry Donovan
Irène Jacob Prof. Marieke van den Broeck
Thomas Lockyer Alastair Davies
Ian Richardson Turley, promotor
Simon Chandler Iain III
Pip Torrens White, advogado de defesa
Michael Cochrane Deeks
Dudley Sutton Halifax
Rod Steiger Milton Donovan
Miriam Karlin Marina
Togo Igawa Agachi
Joseph Blatchley Prof. Scheerding
Paul Brennen Det. Sgt. Steed
Olivier Pierre Lecuyer
David Marrick Bright
Adam Fogerty Ugo
Ricardo Montez Juan del Campo
Jonathan Newth Juiz
Hugo Bower Smit
Walter Van Dyk Thoolen
Frank Nendels Anton
Maja Ottesen Modelo nua
Anna Korwin Funcionária do Museu

Sinopse

Harry Donovan é um pintor de Nova York atormentado pelo desejo de se tornar um mestre da pintura e, assim, poder atender às expectativas de seu pai.  Seu maior sonho é ver um dia uma tela sua no acervo do famoso Museu do Prado, em Madrid.  Entretanto, emprega seu enorme talento em falsificar trabalhos de pintores menos conhecidos.

Certo dia, é procurado por três inescrupulosos comerciantes e atravessadores de obras de arte, Alastair Davies, Iain III e Agachi, liderados pelo primeiro, que lhe oferecem US$ 500 mil, para que ele crie um falso quadro do grande mestre holandês, Rembrandt.  Em outras palavras, teria que pintar um quadro do famoso artista, cujos dados constassem das principais enciclopédias do mundo, mas que se encontrasse desaparecido desde sua criação.

Relutante a princípio, termina aceitando a encomenda, o que o leva a meses de pesquisas nos principais museus e galerias da Europa.  Em Paris, conhece casualmente, num Café, a Prof. Marieke van den Broeck, uma especialista em arte.  Horas depois, encontram-se num museu onde, disfarçadamente, ele coleta uma amostra de um verniz usado por Rembrandt, 350 anos antes, numa de suas telas.  Ainda no mesmo dia, os dois se encontram, mais uma vez, no Café, e terminam dormindo juntos.

No dia seguinte, enquanto ela vai à Veneza, ele viaja para Amsterdã, onde manda fazer uma análise química do verniz coletado, bem como, encomenda todos os materiais necessários à realização do trabalho, inclusive ao processo de envelhecimento.

Terminada a tela, Donovan se encontra com Alastair e seus comparsas no litoral da Espanha, local onde possivelmente o original teria desaparecido.  Um camponês recebe US 40 para afirmar que a tela foi por ele encontrada em sua adega.  Em seguida, Alastair procura um especialista em Londres para verificar a autenticidade do quadro que ele diz ser do pintor francês, Díaz de la Peña.  O especialista o analisa e conclui tratar-se de um autêntico Rembrandt.  Passado pelo primeiro teste, Alastair diz que seu cliente não desembolsaria US$ 5 milhões sem ouvir primeiro, a professora holandesa Marieke van den Broeck, Consultora-Chefe do Comitê Rembrandt.  Quando ela chega, acha o trabalho maravilhoso, mas não acredita tratar-se de um Rembrandt.  De qualquer forma, diz que só emitirá seu laudo definitivo após verificar os resultados das análises dos produtos químicos e dos testes de Raio-X e de carbono.  Ao se deparar com Donovan, diz que o ocorrido em Paris foi um engano.

Quando Agachi, um dos homens de Alastair é morto, Donovan é acusado do homicídio.  Sabendo que Marieke vai embarcar no Expresso Oriente, ele corre até a estação a tempo de pegar o mesmo, onde, ao encontrar a professora, a mantém algemada a ele.  A ela diz que vai mantê-la assim por dois dias, tempo que necessita para vender o quadro, já que ela é a única pessoa que sabe não tratar-se de um Rembrandt.

Procurados pela polícia, os dois se vêem obrigados a fugir, ao mesmo tempo em que, por telefone, Donovan tenta conseguir um comprador para seu quadro.  No 2º dia, ele a libera sob a condição dela ficar calada por mais 24 horas.

De uma taberna, por telefone, ele finalmente aceita uma proposta de Alastair de vender a tela por US$ 100 mil.  No mesmo local, compra um quadro por US$ 50, assina com o nome de Rembrandt, e a entrega ao portador de Alastair pelos US$ 100 mil combinados.

Na manhã seguinte, finalmente, é preso e levado à Londres para julgamento.  Durante o mesmo, alegando ser o artista que pintou o pseudo-Rembrandt, é solicitado a reproduzir a tela na frente do júri.  Ele começa a reproduzi-la e, quando o serviço já se acha quase pronto, lembra-se das críticas de seu pai à atividade de falsificação de obras de arte e decide estragar todo o trabalho realizado.  Ao ser perguntado pelo juiz sobre seu ato, responde que só Rembrandt pode pintar um Rembrandt.  Pensando em se livrar de seu sócio, ao ser chamado para depor, Iain resolve falar a verdade sobre o assassinato de Agachi, denunciando Alastair como o único responsável pelo mesmo.  Assim, Donovan é absolvido das acusações que pesavam sobre ele.

Seguindo orientação dele, o camponês reclama seus direitos sobre a tela e, de acordo uma lei espanhola, o governo pode cobrir qualquer oferta de qualquer bem que possa ser considerado tesouro nacional, de modo que, Donovan consegue realizar seu maior sonho que era o de ver uma tela sua no acervo do Museu do Prado, em Madri.

Voltando à Paris, reencontra Marieke no mesmo Café, oportunidade em que a presenteia com um retrato dela pintado por ele.

imagem

Comentários

"Incognito" é um ótimo filme de suspense sobre um talentoso falsificador de obras de arte, que concorda em pintar uma falsa tela de Rembrandt por US$ 500 mil.

Realizado pelo cineasta John Badham, o filme parte de um roteiro fascinante, na medida em que mostra como uma tela é produzida, copiada, autenticada e exposta a falsificações.  Embora não tenha a pretensão de ser um clássico, trata-se de um filme inteligente.  O interesse que provoca no espectador faz com que este fique atento da primeira à última cena.  Bem dirigido por Badham, o filme apresenta um bom ritmo, principalmente em seu terço médio.

Jason Patric demonstra ser um talentoso ator quando lhe é dado um bom material.  Irène Jacob, embora não brilhe como nos filmes de Krzysztof Kieslowski, tais como, "A Dupla Vida de Véronique" e "A Fraternidade é Vermelha", realiza um bom trabalho.  Com pouco tempo de tela, Rod Steiger também merece ser mencionado.

CAA