Filmes por gênero

FELICIDADE (1998)

Happiness
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Bonheur (França)
Felicidad (Argentina)
Happiness - Felicità (Itália)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: Todd Solondz
Roteiro: Todd Solondz
Produção: Ted Hope, Christine Vachon
Design Produção: Thérèse DePrez
Música Original: Robbie Kondor
Fotografia: Maryse Alberti
Edição: Alan Oxman
Direção de Arte: John Bruce
Figurino: Kathryn Nixon
Guarda-Roupa: Pamela Kezal, Kristy Aitken-Hernandez
Maquiagem: Nicki Ledermann
Efeitos Sonoros: Tom Efinger, Michael Barry, Damian Volpe e outros
Efeitos Especiais: Drew Jiritano
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1999

Elenco

Jane Adams Joy Jordan
Lara Flynn Boyle Helen Jordan
Cynthia Stevenson Trish Maplewood
Philip Seymour Hoffman Allen
Dylan Baker Bill Maplewood
Jon Lovitz Andy Kornbluth
Gerry Becker Psiquiatra
Justin Elvin Timmy Maplewood
Lila Glantzman-Leib Chloë Maplewood
Rufus Read Billy Maplewood
Camryn Manheim Kristina
Louise Lasser Mona Jordan
Ben Gazzara Lenny Jordan
Evan Silverberg Johnny Grasso
Arthur J. Nascarella Detetive Berman
Elizabeth Ashley Diane Freed
Anne Bobby Rhonda
Molly Shannon Nancy
Ann Harada Kay
Douglas McGrath Tom
Jared Harris Vlad
Dan Moran Joe Grasso
Matt Malloy Médico
Marla Maples Ann Chambeau
Dan Tedlie Don
Joe Lisi Detetive
José Rabelo Pedro
Diane Tyler Janet

Prêmios

Festival Internacional de Cannes, França

Prêmio FIPRESCI (Todd Solondz )

Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, Brasil

Prêmio do Júri Internacional (Todd Solondz)

Festival Internacional de Toronto, Canadá

Prêmio Metro Media (Todd Solondz)

Prêmios Chlotrudis - Massachusetts, USA

Prêmio Chlotrudis de Melhor Roteiro Original (Todd Solondz)

Fantasporto, Cidade do Porto, Portugal

Prêmio de Melhor Direção (Todd Solondz)

Festival Internacional de Cinema de Fort Lauderdale, Flórida

Prêmio Escolha dos Críticos de Melhor Filme (Todd Solondz)

Prêmio Escolha dos Críticos de Melhor Ator (Dylan Baker)

Prêmios Gotham, New York

Prêmio Breakthrough (Dylan Baker)

National Board of Review, USA

Prêmio NBR de Melhor Elenco

Prêmio NBR dos 10 Melhores Filmes

Indicações

Prêmios Bodil - Copenhague, Dinamarca

Bodil de Melhor Filme Americano (Todd Solondz)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Roteiro (Todd Solondz)

Festival Internacional de Cinema de Estocolmo, Suécia

Prêmio Cavalo de Bronze de Melhor Longa-Metragem (Todd Solondz)

Associação dos Críticos de Cinema de Chicago

Prêmio de Melhor Roteiro (Todd Solondz)

Prêmios Chlotrudis - Massachusetts, USA

Prêmio Chlotrudis de Melhor Filme

Prêmio Chlotrudis de Melhor Direção (Todd Solondz)

Prêmios Independent Spirit, California, Estados Unidos

Prêmio Independent Spirit de Melhor Direção (Todd Solondz)

Prêmio Independent Spirit de Melhor Ator Coadjuvante (Philip Seymour Hoffman)

Prêmio Independent Spirit de Melhor Ator (Dylan Baker)

Festival de Cinema de Mar del Plata, Argentina

Prêmio de Melhor Filme - Competição Internacional (Todd Solondz)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Roteiro (Todd Solondz)

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Dylan Baker)

Grêmio dos Críticos de Cinema da Rússia

Prêmio Golden Aries de Melhor Filme Estrangeiro (Todd Solondz)

Associação dos Críticos de Cinema do Sudeste, Estados Unidos

Prêmio de Melhor Filme (5º lugar)

Associação dos Críticos de Cinema de Toronto, Canadá

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Direção (Todd Solondz)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Joy Jordan é a caçula de três irmãs. Preocupada em encontrar sua alma gêmea, ela rompe sua relação atual com um homem que lhe responde com um sarcasmo exageradamente mal-intencionado e que, finalmente, tira a própria vida alguns dias depois. Na tentativa de contribuir mais para a sociedade, ela decide trabalhar em um centro de educação para refugiados, onde é desprezada por seus alunos ao furar uma greve dos professores. O único estudante que se mostra bonzinho para com ela a seduz com a única intenção de roubá-la.

Sua irmã do meio, Trish, é uma dona-de-casa que se diz feliz no casamento. Juntamente com o marido, Bill, sempre está a sugerir que Joy é uma pessoa fracassada. No entanto, Bill, um psicólogo, sente uma atração irresistível por rapazes no início da puberdade. Além de instruir seu filho de 11 anos sobre como se masturbar e chegar ao orgasmo, ele desenvolve uma fixação por Johnny, amigo do filho e, finalmente, o sodomiza depois de drogar toda a família. Tempos depois, após estuprar outro amigo de seu filho, é acusado e indiciado.

Helen, a irmã mais velha de Joy, é uma escritora bem sucedida e uma "femme fatale" devoradora de homens, mas completamente insatisfeita com a vida.  Autora de textos como "Violada aos 12" e "Violada aos 13", lamenta não ter tido uma experiência traumática na infância que lhe permitisse transmitir alguma verdade naquilo que escreve. Coincidentemente, seu vizinho, Allen, tem por passatempo dar telefonemas obscenos para mulheres desconhecidas, enquanto se masturba. Certo dia, casualmente, ele liga para Helen, que exige que os dois se conheçam. Entretanto, ao descobrir que se trata do vizinho, ela rejeita seus avanços e lhe pede para que se retire.

Os sentimentos de solidão e isolamento de Allen, que ele os descreve em detalhe para Bill, seu terapeuta, são abrandados quando ele finalmente presta atenção em Kristina, outra inquilina de seu prédio. Durante um encontro com ele, ela confidencia que foi estuprada pelo porteiro e, subseqüentemente, o esquartejou, colocando os pedaços em sacos armazenados em seu freezer. Ainda, segundo ela, desde a semana anterior vem se desfazendo dos sacos, um de cada vez.

Os pais de Joy são igualmente infelizes. Quando se separa de sua mãe, seu pai descobre que não consegue sentir qualquer tipo de emoção ao tentar fazer sexo com outra mulher.

A família finalmente se encontra em torno de uma mesa para o jantar, inclusive os pais das três irmãs. Todos se mostram condescendentes para com Joy. Na varanda, o filho de Trish e Bill se sente orgulhoso ao conseguir se masturbar com sucesso.

imagem

Comentários

"Felicidade" é um brilhante filme, de certa forma irônico, que acompanha a vida de três irmãs bem diferentes, todas à procura da 'felicidade', cada uma a seu modo, mas nenhuma conseguindo ter sucesso.  Roteirizado e dirigido por  Todd Solondz, o filme procura passar a mensagem de que a verdadeira felicidade é um mito.

O roteiro de Solondz é perfeito.  A trama é desenvolvida com bastante sensibilidade.  Ao contrário da maioria dos filmes, que trata pessoas com desvios sexuais e de caráter, tais como pedófilos e criminosos, como verdadeiros monstros, Solondz procura, em "Felicidade", vê-las como seres humanos.

A fotografia de Maryse Alberti é suave e a trilha sonora é adequada.  Mas o maior brilho de "Felicidade" reside na série de extraordinárias atuações proporcionadas pela maioria do elenco.

CAA