Filmes por gênero

QUESTÃO DE HONRA (1992)

A few good men
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Des hommes d'honneur (França, Canadá)
Codice d'onore (Itália)
Algunos hombres buenos (Espanha)
Cuestión de honor (Argentina, México, Peru, Venezuela)
Eine frage der ehre (Alemanha)
På heder och samvete (Suécia)
Et spørgsmål om ære (Dinamarca)
Ludzie honoru (Polônia)
Несколько хороших парней (Rússia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Suspense
Direção: Rob Reiner
Roteiro: Aaron Sorkin
Produção: Rob Reiner, David Brown, Andrew Scheinman
Design Produção: J. Michael Riva
Música Original: Marc Shaiman
Direção Musical: Artie Kane
Fotografia: Robert Richardson
Edição: Robert Leighton, Steven Nevius
Direção de Arte: David F. Klassen
Figurino: Gloria Gresham
Guarda-Roupa: Margo Baxley, James W. Tyson, Nancy Cone e outros
Maquiagem: Stephen Abrums, Richard Dean, Edouard F. Henriques
Efeitos Sonoros: Kevin O'Connell , Rick Kline, Robert Eber
Efeitos Especiais: Eugene Crum
Efeitos Visuais: Robert Stromberg, Mark Sawicki, John E. Sullivan
Nota: 8.6
Filme Assistido em: 1993

Elenco

Tom Cruise Tenente Daniel Kaffee
Jack Nicholson Coronel Nathan R. Jessup
Demi Moore Tenente JoAnne Galloway
Kevin Bacon Capitão Jack Ross
Kiefer Sutherland Tenente Jonathan Kendrick
Kevin Pollak Tenente Sam Weinberg
James Marshall Fuzileiro Louden Downey
J.T. Walsh Tenente-Coronel Matthew Andrew Markinson
Christopher Guest Dr. Stone
J.A. Preston Juiz Julius Alexander Randolph
Matt Craven Tenente Dave Spradling
Wolfgang Bodison Cabo Harold W. Dawson
Xander Berkeley Capitão Whitaker
John M. Jackson Capitão West
Noah Wyle Cabo Jeffrey Barnes
Cuba Gooding Jr. Cabo Carl Hammaker
Joshua Malina Tom
Jan Munroe 1º Jurado
Ron Ostrow Policial Militar
Matthew Saks David
Harry Caesar Luther
Geoffrey Nauffts Tenente Sherby
Arthur Senzy Robert C. McGuire
Cameron Thor Comandante Lawrence
David Bowe Comandante Gibbs
Gene Whittington Sr. Dawson
Maud Winchester Tia Ginny Miller
Jack Serino Oficial da Marinha
Bernard Madrid Interrogador

Prêmios

Associação dos Críticos de Cinema de Chicago

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Jack Nicholson)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Filme (David Brown, Rob Reiner, Andrew Scheinman)

Oscar de Melhor Edição (Robert Leighton)

Oscar de Melhores Efeitos Sonoros (Kevin O'Connell, Rick Kline, Robert Eber )

Oscar de Melhor Ator Coadjuvante (Jack Nicholson)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Filme - Drama

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Jack Nicholson)

Prêmio de Melhor Ator em um Drama (Tom Cruise)

Prêmio de Melhor Direção (Rob Reiner)

Prêmio de Melhor Roteiro (Aaron Sorkin)

Grêmio dos Diretores da América

Prêmio por Direção Excepcional (Rob Reiner)

Prêmios Edgar Allan Poe

Prêmio de Melhor Filme (Aaron Sorkin)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Jack Nicholson)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Depois de solicitar transferência de sua Companhia, na Base Naval de Guantanamo Bay, Cuba, o fuzileiro William Santiago é encontrado morto por espancamento.  O fuzileiro  Louden Downey e o cabo Harold Dawson são acusados de terem praticado o crime.

A investigadora e advogada da Marinha, Tenente-Comandante JoAnne Galloway suspeita que eles foram alvo da aplicação de uma ordem denominada “código vermelho”, uma violenta punição extrajudicial. Galloway pede para defendê-los, mas o caso é dado ao Tenente Daniel Kaffee, um inexperiente e sem entusiasmo advogado da Marinha.

Logo de início, surge um atrito entre os dois advogados, já que, como de costume, Kaffee tenta conduzir o caso de modo a levar os acusados a um acordo que resulte numa pena mínima, enquanto Galloway, convencida de que há muita coisa escondida a ser apurada, procura levar o caso para a Corte Marcial.

Apesar da má vontade e arrogância do Comandante da Base, Coronel Nathan R. Jessup, o caso termina sendo levado à Corte.

No decurso do julgamento, a defesa consegue estabelecer a existência do “código vermelho” em Guantânamo e que Dawson havia aprendido a não desobedecer qualquer ordem, ao lhe ser negada uma promoção após ajudar um colega fuzileiro que se achava sob o “código vermelho”.

O Tenente-Coronel Matthew Markinson revela a Kaffee que o Coronel Jessup nunca pensou em transferir Santiago, mas comete suicídio ao invés de testemunhar no Tribunal, por sentir que não tinha conseguido fazer a coisa certa, protegendo um fuzileiro naval sob seu comando. Sem o testemunho de Markinson, Kaffee acredita que o caso está perdido. Galloway, no entanto, o convence a chamar o Coronel Jessup como testemunha, apesar do risco de serem enviados a um tribunal marcial por difamarem um oficial de alta patente.

Jessup inicialmente se sai bem em relação ao questionamento de Kaffee, mas se enfurece quando o advogado aponta uma contradição em seu depoimento. Descontrolado, ele exalta sua importância e a dos militares para a segurança nacional e, finalmente, revela que ele ordenou ao Tenente Jonathan Kendrick que aplicasse o “código vermelho”.

Tais declarações fazem com que ele seja preso. Mais tarde, o Tenente Kendrick é igualmente preso por perjúrio.

imagem

Comentários

"Questão de Honra" é um ótimo filme de tribunal militar.  Realizado pelo cineasta Rob Reiner, o filme parte de um excelente roteiro, escrito pelo autor do livro homônimo, Aaron Sorkin.

A direção de Reiner é consistentemente boa, no que é ajudado pelas magníficas atuações de um elenco estelar.  De forma competente, coloca algumas questões importantes sobre quem detém o poder e sobre as responsabilidades e direitos daqueles que cumprem ordens.

Como sempre, Jack Nicholson dá um show de interpretação, no papel do arrogante Coronel Nathan Jessep.  Tom Cruise está perfeito como o jovem advogado Kaffee.  Seguem-se as boas atuações de Demi Moore, Kiefer Sutherland, Kevin Bacon e J. T. Walsh.

CAA