Filmes por gênero

MEU FILHO (1949)

Edward, my son
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Meu filho Eduardo (Portugal)
Edward, mon fils (França)
Edoardo, mio figlio (Itália)
Edward, mi hijo (Espanha)
Edward, mein sohn (Alemanha)
Edward, min son (Suécia)
Edward, mijn zoon (Holanda)
Edward fiam (Hungria)
Pais: Reino Unido, Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: George Cukor
Roteiro: Donald Ogden Stewart
Produção: Edwin H. Knopf
Música Original: John Wooldridge
Fotografia: Freddie Young
Edição: Raymond Poulton
Direção de Arte: Alfred Junge
Efeitos Sonoros: A.W. Watkins, Sash Fisher
Efeitos Especiais: Tom Howard
Nota: 8.2
Filme Assistido em: 1950

Elenco

Spencer Tracy Arnold Boult
Deborah Kerr Evelyn Boult
Ian Hunter Dr. Larry Woodhope
Mervyn Johns Harry Sempkin
Tilsa Page Betty Foxley
Harriette Johns Phyllis Mayden
Leueen MacGrath Eileen Perrin
James Donald Bronton
Felix Aylmer Sr. Hanray
Walter Fitzgerald Sr. Kedner
Ernest Jay Walter Prothin
Colin Gordon Ellerby
Julian D'Albie Summers
Clement McCallum Secretária do Sr. Kedner
A.E. Matthews Lord George Trelby
Finlay Currie Sir Lawrence Smythe
Olive Milbourn Secretária do Sr. Kedner
Harold Scott Coppingham
Lockwood West Porteiro

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz (Deborah Kerr)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Deborah Kerr)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Arnold Boult, um rico empresário canadense morando em Londres, aborda a plateia, comentando que eles podem estar familiarizados com ele e o seu império, mas apesar de toda a sua riqueza e sucesso, ele se mostra incapaz de discernir a razão para a morte prematura de seu filho, Edward, e interroga o público se o mesmo poderia oferecer-lhe uma explicação.

Boult começa sua história logo após a primeira guerra mundial, quando ele e sua esposa Evelyn celebram o primeiro aniversário de Edward em companhia de seu amigo e médico, Larry Woodhope. Boult também está entusiasmado com o embarque em uma carreira promissora na área de finanças com Harry Sempkin, libertado da prisão após cumprir pena por acusações de fraude. Cinco anos mais tarde, no entanto, com o ramo do crédito de varejo mal prosperando, Edward é diagnosticado com uma grave doença que só uma dispendiosa operação no exterior pode remediar.

Boult decide, então, rever seus negócios, de modo a conseguir angariar o dinheiro do seguro que permita bancar a operação e o reinvestimento. Sempkin protesta, mas relutantemente concorda com o plano, que é finalmente bem sucedido. Quando Edward chega à adolescência, Boult se vê obrigado a comprar uma hipoteca da escola preparatória que ameaça expulsar o filho por seu comportamento imprudente.

Alguns anos mais tarde, Evelyn encontra-se com Larry para expressar sua preocupação em relação a Edward que, apesar de ainda jovem, bebe muito e tem muito pouco senso de moralidade. Larry, por amor à Evelyn, aconselha Boult a refrear o filho, mas ele zomba da sugestão.

Quando Sempkin, após cumprir mais uma vez pena por fraudes financeiras, procura Boult para pleitear um emprego, este não o atende. Desiludido ele se suicida ao se jogar do alto do edifício de Boult. Eileen Perrin, secretária de Boult, dá uma entrevista para uma reportagem, procurando minimizar a relação entre seu chefe e Sempkin, durante o inquérito policial subsequente.

Pouco tempo depois, Eileen e Boult tornam-se amantes. Um ano mais tarde, durante um encontro no apartamento de Eileen, o casal percebe que eles estão sendo observados. Eles convidam o observador para um drinque e descobrem ser ele um detetive contratado por Evelyn. Indignado, Boult termina o relacionamento com Eileen numa tentativa de evitar uma eventual ação de divórcio.

Na Suíça, Evelyn e Edward são surpreendidos quando Boult chega abruptamente e a desafia. Na ocasião, ela declara que quer vê-lo arruinado publicamente para que Edward possa entender o verdadeiro caráter do pai. Por sua vez, o empresário afirma que sabe que ela está apaixonada por seu amigo e médico, Larry, e que iria criar um escândalo que o arruinaria. Diante da ameaça, com o passar do tempo Evelyn se afunda na amargura e na bebida.

Algum tempo depois, Boult convida Larry ao seu escritório, onde este descobre, através da nova secretária, que Eileen havia se suicidado após a separação de Boult. Na ocasião, o empresário admite a Larry que Edward está bebendo cada vez mais e que, apesar disso, ficou noivo de Phyllis Mayden, uma jovem de uma família socialmente proeminente. Em seguida, ele lhe apresenta outra jovem, Betty Foxley, que se acha grávida e que acredita que Edward vai se casar com ela. Ao sentir a intenção velada de Boult, no sentido dele provocar um aborto na jovem, Larry oferece sua assistência depois que ela recusa o dinheiro oferecido pelo empresário.

Alguns anos mais tarde, durante a segunda guerra mundial, Larry visita os Boults para consolá-los pela morte de Edward, que, como piloto da RAF, sofreu um acidente em que toda a tripulação foi morta. Terminada a guerra, o empresário, que enviuvara logo a morte do filho, procura Larry para saber o paradeiro de Betty e de seu neto, mas o médico se recusa a atendê-lo.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta George Cukor, a partir de um roteiro escrito por Donald Ogden Stewart, “Meu Filho” é um bom filme produzido pela Metro-Goldwyn-Mayer em 1949. Sua trama foi baseada numa peça de teatro assinada por Robert Morley e Noel Langley.

Embora não seja extraordinária, como ocorreu em “Núpcias de Escândalo”, de 1940, e “Á Meia Luz”, de 1944, por exemplo, a direção de Cukor se mostra bastante segura, bastante clássica. Na área técnica, merece ainda ser destacada a bela fotografia a cargo de Freddie Young.

No elenco, Deborah Kerr brilha no papel de Evelyn Boult, seguida pela ótima atuação de Spencer Tracy.

CAA