Filmes por gênero

LAÇOS HUMANOS (1945)

A Tree Grows in Brooklyn

Ficha Técnica

Outros Títulos: Lazos humanos (Argentina, Espanha, México)
Ein Baum wächst in Brooklyn (Alemanha, Áustria)
De lelie van Brooklyn (Bélgica)
Der vokser et træ i Brooklyn (Dinamarca)
Le Lys de Brooklyn (França)
Un albero cresce a Brooklyn (Itália)
Det vokser et tre i Brooklyn (Noruega)
Drzewko na Brooklynie (Polônia)
Дерево растет в Бруклине (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Romance
Direção: Elia Kazan
Roteiro: Tess Slesinger, Frank Davis
Produção: Louis D. Lighton
Música Original: Alfred Newman
Direção Musical: Edward B. Powell, Murray Spivack, Vinton Vernon
Fotografia: Leon Shamroy
Edição: Dorothy Spencer
Direção de Arte: Lyle R. Wheeler
Figurino: Bonnie Cashin
Guarda-Roupa: Sam Benson
Maquiagem: Guy Pearce
Efeitos Sonoros: Bernard Freericks, Roger Heman Sr.
Efeitos Especiais: Edwin Hammeras, Edward Snyder
Nota: 9.2
Filme Assistido em: 1946

Elenco

Dorothy McGuire Katie Nolan
Joan Blondell Tia Sissy
James Dunn Johnny Nolan
Lloyd Nolan McShane
James Gleason McGarrity
Ted Donaldson Neeley Nolan
Peggy Ann Garner Francie
Ruth Nelson Srta. McDonough
John Alexander Steve Edwards
Robert J. Anderson Augie
Jessie Arnold Enfermeira
John Berkes Sr. Creckenbox
Al Bridge Charlie
Ferike Boros Sra. Rommely
Virginia Brissac Srta. Tilford
Robert Malcolm Médico
Susan Lester Flossie Gaddis
Patricia McFadden Sheila
George Melford Sr. Spencer
Francis Pierlot Padre no funeral
Walt Robbins Junkman
Tony Santoro Garçom
Art Smith Charley
Robert Strange Médico
Robert Tait Cantor de rua
Martha Wentworth Mãe de Sheila

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Ator Coadjuvante (James Dunn)

National Board of Review, USA

Prêmio NBR dos 10 Melhores Filmes

National Film Preservation Board, USA

National Film Registry

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Roteiro (Frank Davis e Tess Slesinger)

Sinopse

No Brooklyn, a pobre família Nolan luta pra sobreviver em seu pequeno apartamento. Johnny Nolan, um garçom e cantor é um alcoólatra, cuja natureza jovial é o deleite e desespero de sua esposa trabalhadora, Katie, que trabalha como lavadeira de um cortiço. Seus dois filhos, o sempre faminto Neeley e a melancólica e adolescente Francie, ajudam Katie vendendo trapos.
 
Francie idolatra o pai, que a incentiva a sonhar acordada com tempos melhores que virão. Certa tarde, Francie percebe consternada que a árvore que cresce no pátio do cortiço está sendo cortada. Por outro lado, o agente de seguros, Barker, um notório fofoqueiro, revela que a irmã de Katie, Sissy, se casou pela terceira vez. Katie fica furiosa, mas as crianças ficam maravilhadas por terem outro tio, Bill, pois Sissy sempre chama seus maridos de Bill.
 
Mais tarde, naquela noite, Johnny chega em casa e descobre que sua árvore foi cortada. Na ocasião, ele garante à ela que a árvore crescerá novamente na primavera, depois sai para trabalhar com uma cantora em um casamento. Quando Sissy chega logo depois, Katie a castiga por se casar novamente e insiste que ela realmente ama seu novo homem, que é um leiteiro chamado Steve Edwards. Sissi, então, se junta às crianças na calçada, e quando uma mulher da vizinhança reclama que os Nolans pegaram emprestado os patins de sua filha, o policial McShane interrompe a discussão.
 
McShane, que é novo no bairro, fica encantado com a beleza de Katie, mas ela fica perplexa com sua atração. Com medo que Sissy seja uma má influência para as crianças, Katie a proíbe de visitá-la novamente. Por outro lado, Johnny volta para casa tarde, naquela noite, e fica emocionado ao ver Katie esperando por ele. Depois que as crianças voltam para a cama, Johnny promete à Katie que fará um novo começo, mas a pragmática Katie sabe que nada resultará de sua conversa.
 
Na manhã seguinte, Francie e Neeley estão a caminho da escola quando veem o embriagado Johnny cambaleando para casa. McShane o acompanha escada acima e fica surpreso ao saber que ele é o marido de Katie. Mais tarde, Francie confidencia a Johnny seu sonho de estudar em uma escola melhor. Na nova escola, Francie passa a estudar na classe da Srta. McDonough. Na véspera do Natal, a Srta. McDonough incentiva Francie a se tornar uma escritora. 
 
Katie confidencia à Sissy que também está grávida e, mais tarde naquela noite, conta a Johnny. Finalmente, percebendo porque Katie se mudou para o apartamento mais barato, Johnny fica ainda mais arrasado quando Katie insiste  que Francie terá que sair  da escola antes de sua formatura na 8ª série para que possa trabalhar.
 
Determinado a manter Francie na escola, Johnny sai à procura de um emprego, mas depois de estar desaparecido por mais de uma semana, Katie começa a procurá-lo. Mais tarde, McShane traz a notícia de que Johnny morreu de pneumonia enquanto procurava trabalho e, em seu funeral, muitas pessoas lamentaram sua perda. Tão aflita que não consegue chorar, Francie concorda em trabalhar com Neeley  no bar de McGarrity depois da escola, para ajudar no sustento da família. Katie fica aliviada por Francie poder continuar na escola, mas sabe que ela a culpa pela morte de Johnny.
 
Depois que o bebê de Sissy nasce, Katie pede à Francie que fique por perto até a hora dela chegar, pois elas não podem pagar um hospital. Certa tarde, Katie entra em trabalho de parto e, enquanto Francie a consola, ela revela o quanto sente falta de Johnny, e mãe e filha se aproximam. Elas chamam o bebê de Annie Laurie. Por outro lado, quando o dia da formatura chega, enquanto Katie vai à cerimônia de Neeley, Sissy vai com Francie.
 
Em sua mesa, Francie descobre um buquê pago com dinheiro que Johnny deu à Sissy antes do Natal, e também um cartão que ele escreveu para ela. Tal gesto faz que Francie se liberte de sua dor e, depois de um bom choro, ela recebe seu diploma.