Filmes por gênero

KLUTE, O PASSADO CONDENA (1971)

Klute
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Una squillo per l'ispettore Klute (Itália)
Mi pasado me condena (México, Venezuela)
Inspecteur Klute (Bélgica)
Klute - En smart snut (Suécia)
Klute - rikosetsivä (Finlândia)
Клют (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Suspense, Crime
Direção: Alan J. Pakula
Roteiro: Andy Lewis, David E. Lewis
Produção: Alan J. Pakula, David Lange, C. Kenneth Deland
Música Original: Michael Small
Direção Musical: Michael Small
Fotografia: Gordon Willis
Edição: Carl Lerner
Direção de Arte: George Jenkins
Figurino: Ann Roth
Maquiagem: Irving Buchman
Efeitos Sonoros: Christopher Newman
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1972

Elenco

Jane Fonda Bree Daniels
Donald Sutherland John Klute
Charles Cioffi Peter Cable
Roy Scheider Frank Ligourin
Dorothy Tristan Arlyn Page
Rita Gam Trina
Nathan George Detetive Tenente Trask
Vivian Nathan Psiquiatra
Morris Strassberg Sr. Goldfarb
Jane White Janie Dale
Barry Snider Berger
Betty Murray Holly Gruneman
Shirley Stoler Momma Reese
Robert Milli Tom Gruneman
Rosalind Cash Pat
Jean Stapleton Secretária do Sr. Goldfarb
Jan Fielding Secretária da Psiquiatra
Antonia Rey Sra. Vasek
Robert Ronan Diretor no Little Theatre
Richard Russell Ramos Asistente do Diretor no Little Theatre
Sylvester Stallone Cliente da Discoteca
Harry Reems Cliente da Discoteca
Joe Silver Dr. Spangler
Lee Wallace Nate Goldfarb

Prêmios

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz (Jane Fonda)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Jane Fonda)

Círculo dos Críticos de Cinema de Kansas City, USA

Prêmio de Melhor Atriz (Jane Fonda)

Sociedade Nacional dos Críticos de Cinema dos Estados Unidos

Prêmio de Melhor Atriz (Jane Fonda)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Atriz (Jane Fonda)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Roteiro Original (Andy Lewis, David E. Lewis)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Roteiro (Andy Lewis, David E. Lewis)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Atriz (Jane Fonda)

Prêmios Edgar Allan Poe

Prêmio de Melhor Filme (Andy Lewis, David E. Lewis)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Drama escrito diretamente para o cinema (Andy Lewis, David E. Lewis)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Quando Tom Gruneman, executivo de uma empresa de produtos químicos da Pensilvânia, desaparece, a polícia revela que uma carta obscena foi encontrada no escritório dele, endereçada a uma garota de programa de Nova York, chamada Bree Daniels, que já havia recebido várias cartas semelhantes. Seis meses depois, considerando o trabalho policial infrutífero, Peter Cable, um colega de Gruneman, contrata um amigo da família e detetive, John Klute, para investigar seu desaparecimento.

Klute aluga um apartamento no porão do prédio de Bree Daniels, grampeia seu telefone e passa a segui-la. Certo dia, ao voltar para casa, ela é recebida por Klute na escadaria de seu prédio. Quando ele mostra seu quarto, decorado apenas por uma única cama, seu gravador e as fotografias de Gruneman e Bree que colocara na parede, ela acredita que ele está tentando chantageá-la e torna-se defensiva. Depois que ele garante que seu único motivo é encontrar Gruneman, Bree o convida para seu apartamento, onde reitera que não se lembra de seu encontro com Gruneman, mas lembra de ter sido contratada por um sádico que a espancou e tentou matá-la.

Em seguida, ela tenta seduzi-lo ao lhe entregar umas fitas gravadas, mas a conversa deles é interrompida pelo toque do telefone. Ao atendê-lo, no entanto, ninguém responde. Enquanto isso, ao ouvir ruídos vindos do telhado, Klute vai investigar, mas o intruso consegue fugir. Quando ele retorna ao apartamento, Bree lhe diz que Frank Ligourin, seu antigo cafetão, foi quem marcou seu encontro com o sádico que tentou matá-la.

Naquela noite, enquanto Klute se senta em uma cadeira e vigia Bree, Peter Cable ouve uma gravação que fizera dela na noite de seu encontro. Na manhã seguinte, Bree leva Klute para conhecer Frank, ocasião em que este informa que Janie Dale, uma de suas prostitutas que estava com inveja de Bree, foi quem combinou seu encontro com o sádico. Como Janie já se suicidou, agora Arlyn Page, que conheceu o homem e trabalhou para Frank até se tornar uma viciada, é o único elo com o sádico.

Ao deixarem Frank, Klute dá à Bree as fitas que ele fez dela, que amargamente ela joga em uma lata de lixo e então se afasta. À noite, ao ouvir um rangido vindo do telhado, Bree, aterrorizada, bate na porta de Klute. Ele lhe oferece sua cama, tirando um segundo colchão para si mesmo. Quando ele adormece, ela o procura e o seduz. Na manhã seguinte, Klute fica perplexo com o desenvolvimento de seu relacionamento até que Bree anuncia que não teve um orgasmo porque o considera apenas como uma pessoa qualquer. Os dois continuam sua busca por Arlyn, encontrando-a finalmente com o namorado enquanto aguardam ansiosamente seu traficante de drogas.

Quando Klute mostra a fotografia de Gruneman para Arlyn, ela diz que o homem que ela conheceu era muito mais velho. Abalada pela degradação em que Arlyn se afundou, Bree foge de Klute e vai a um clube de dança onde, depois de flertar com um dos clientes, ela se instala com Frank. Klute a segue até lá e, ao vê-la com Frank, volta desgostoso.

No dia seguinte, Klute relata suas descobertas a Cable, informando-lhe que Arlyn afirmara que Gruneman não era o homem que teria espancado e tentado matar Bree. Em seguida, ele vai ao apartamento de Bree, onde a encontra toda desgrenhada. Gentilmente, ele a coloca na cama e, quando ela tem um pesadelo, a conforta. Marcada pela dedicação de Klute, Bree confidencia a seu psiquiatra que, embora seu relacionamento com ele gere sentimentos sexuais que nunca sentiu antes, ela espera que os mesmos acabem para que ela volte a ter total controle sobre seus atos.

Quando Arlyn é assassinada, Klute, supondo que seu assassino conhecia Gruneman, pede ao detetive Tenente Trask para investigar todos os que tinham algum relacionamento com Gruneman. A polícia, então, compara o tipo de letra de todos aqueles que se comunicavam com Gruneman, chegando à conclusão de que a carta teria sido escrita por Cable.

Para preparar uma armadilha para Cable, Klute se encontra com ele e pede US$500 para comprar o livro de endereços de Janie. Prometendo providenciar a referida quantia, Cable vai até seu helicóptero particular que deverá levá-lo a uma reunião de negócios. Enquanto isso, ao retornar ao apartamento de Bree, Klute fica chocado ao encontrar Frank esperando que ela termine de arrumar as malas para ir embora com ele. O ciúme de Klute faz com que ele ataque Frank, fazendo com que Bree parta para cima dele com uma tesoura. Depois que Klute deixa o local sem dizer uma palavra, ela, incapaz de lidar com seus sentimentos por ele, procura seu psiquiatra, mas não o encontra.

Precisando conversar com alguém, Bree telefona para o Sr. Goldfarb e se dispõe a ir ao seu escritório. Ao chegar lá, ela descobre que ele foi embora para casa porque não estava se sentindo bem. Chateada, ela procura deixar uma mensagem para ele, sem saber que Cable a seguiu até lá. Enquanto isso, ao ficar sabendo que Cable perdeu o helicóptero que o levaria para sua reunião de negócios, e através da secretária do psiquiatra, que Bree deixara uma mensagem para ele ligar para ela na casa do Sr. Goldfarb, Klute decide procurá-la.

Antes de encontrá-la, no entanto, Bree é confrontada com Cable, que admite ter assassinado Gruneman depois que ele descobriu que ele acidentalmente matou Janie enquanto lhe dava uma surra. Expressando desprezo pelas prostitutas porque elas vivem às custas das fantasias sexuais dos outros, Cable liga a fita que gravara enquanto espancava Janie até a morte. Excitado pelo horror demonstrado por Bree, Cable desliga o gravador e parte para cima dela quando Klute chega. Ao tentar recuar para evitar um confronto com Klute, Cable cai de uma janela para a morte.

Algum tempo depois, uma ainda ambivalente Bree embala suas malas para deixar Nova York com Klute.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Alan J. Pakula, a partir de um roteiro escrito por Andy Lewis e David E. Lewis, “Klute, o Passado Condena” é um filme norte-americano produzido pela Warner Brothers, juntamente com a Gus Productions, em 1971. Sua trama conta a história de um maníaco sexual e tem início com o desaparecimento misterioso de um executivo de uma empresa de produtos químicos.

Partindo de um excelente roteiro, indicado ao Oscar, ao Globo de Ouro e ao prêmio do Grêmio dos Roteiristas da América, Pakula realiza um ótimo trabalho na direção. Na área técnica, a fotografia, a cargo de Gordon Willis, merece igualmente registro ao realçar ainda mais o clima opressor proposto pelo cineasta.

No elenco, Jane Fonda brilha no papel da garota de programa Bree Daniels, seguida pelas boas atuações de Donald Sutherland e Charles Cioffi.

CAA