Filmes por gênero

NOVE E MEIA SEMANAS DE AMOR (1986)

Nine 1/2 weeks
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Nove semanas e meia (Portugal)
9 semaines 1/2 (França)
Neuf semaines et demie (Canadá)
9 settimane e 1/2 (Itália)
Nueve semanas y media (Espanha)
Neuneinhalb wochen (Alemanha)
9 1/2 vecka (Suécia)
9 1/2 viikkoa (Finlândia)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Romance
Direção: Adrian Lyne
Roteiro: Zalman King, Sarah Kernochan, Patricia L. Knop
Produção: Mark Damon, Sidney Kimmel, Zalman King, Antony Rufus-Isaacs
Design Produção: Ken Davis
Música Original: Jack Nitzsche
Direção Musical: Becky Mancuso-Winding
Fotografia: Peter Biziou
Edição: Tom Rolf, Caroline Biggerstaff, Ed Hansen, Mark Winitsky
Direção de Arte: Linda Conaway-Parsloe
Figurino: Bobbie Read
Guarda-Roupa: John M. Dwyer, Christine Gardyasz
Maquiagem: David Forrest
Efeitos Sonoros: Bill Daly, Dessie Markovsky, John Duffy, Aaron Rochin
Efeitos Especiais: Dan Kirshoff
Nota: 7.5
Filme Assistido em: 1988

Elenco

Kim Basinger Elizabeth
Mickey Rourke John
Margaret Whitton Molly
David Margulies Harvey
Christine Baranski Thea
Karen Young Sue
William De Acutis Ted
Dwight Weist Farnsworth
Roderick Cook Sinclair
Cintia Cruz Prostituta
Helen Hanft Vendedora no Mercado das Pulgas
Michael P. Moran Vendedor no Mercado das Pulgas
Olek Krupa Bruce
Michael Margotta Michael
Terri Perri Cantora italiana
Corey Parker Zelador
Dan Lauria Zelador
Ellen Barber Secretária de John
David Tabor Leon Berger
Julian Beck Convidado no jantar
John P. Connolly Convidado no jantar
Cassandra Danz Convidada no jantar
Beata Jachulski Convidada no jantar
Ethel Ayler Vendedora da Joalheria

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

 Em Nova York, uma cidade que nunca dorme, um rico empresário, John, seduz uma bela assistente de arte, Elizabeth, que recentemente se divorciou, após um casamento de três anos. Os dois passam passam a ter um relacionamento sexual altamente sensual. Inicialmente, ele se mostra engraçado e aventureiro, mas logo fica claro que isso não é tudo o que John gosta. Ele, então, passa a fazer estranhos jogos sexuais com Elizabeth, vendando-a e colocando gelo em seu corpo, fazendo-a rastejar no chão até ele e hipnotizando-a com o som de um relógio que ele a presenteou, fazendo com que ela pense nele a tocando diariamente ao meio-dia.

O mundo de Elizabeth torna-se um caos, na medida em que ela tem fome sexual dele e, por outro lado, deseja saber quem ele realmente é.  No entanto, John não se mostra minimamente disposto a dar à ela qualquer dica sobre seu passado. Ela ainda tenta apresentá-lo ao seu círculo de amizades, mas ele se recusa categoricamente, dizendo-lhe que o que ele quer são as noites ao seu lado, deixando claro que ela pode passar todos os dias ao lado de seus amigos.

Assim, lentamente, Elizabeth se torna cada vez mais dependente de John, uma vez que ele a alimenta de manhã, dá banho, cuida dela e faz amor com ela de maneiras que ela nunca havia experimentado. Ela, finalmente, percebe que o relacionamento  deles não é saudável, e é levado ao limite quando ele começa a fazer sexo  com uma prostituta na frente dela em um quarto sujo de um motel. Tal fato faz com que ela não consiga mais pensar direito, e se sinta desesperadamente infeliz. Ela fica ainda mais confusa quando sua melhor amiga começa um relacionamento com seu ex-marido. 

No final, ela o abandona dizendo que é tarde demais quando ele tenta falar sobre si mesmo. Ao deixar o apartamento, ela anda pelas ruas desertas da cidade, chorando e pensando no fato de que por nove semanas e meia ela teve um caso com um perfeito estranho.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta  Adrian Lyne, a partir de um roteiro escrito por Patricia Knop, "9 1/2 Semanas de Amor" é um filme produzido em 1986 pelas empresas Producers Sales Organization, Galactic Films e Triple Ajaxxx.

Sua trama, baseada na autobiografia de Elizabeth McNeill, é marcada por algumas cenas de sexo picantes, que podem ser mal interpretadas como sendo apenas para fins pornográficos. Na direção, Lyne realiza um bom trabalho. O filme é marcado ainda por uma razoável trilha sonora e pela excelente atuação de Kim Basinger em um papel tão exigente.

CAA