Filmes por gênero

O CÁLICE SAGRADO (1954)

The silver chalice
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: O cálice de prata (Portugal)
El cáliz de plata (Espanha)
Le calice d'argent (França, Canadá francês)
Il calice d'argento (Itália)
Der silberne kelch (Alemanha, Áustria)
Sølvbægeret (Dinamarca)
Silverbägaren (Suécia)
Серебряная чаша (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama, Romance
Direção: Victor Saville
Roteiro: Lesser Samuels
Produção: Victor Saville
Design Produção: Rolf Gerard
Música Original: Franz Waxman
Coreografia: Stephen Papich
Fotografia: William V. Skall
Edição: George White
Direção de Arte: Boris Leven
Figurino: Marjorie Best, Rolf Gerard
Guarda-Roupa: Joan Joseff
Maquiagem: Gordon Bau
Efeitos Sonoros: Francis J. Scheid
Efeitos Especiais: Louis Lichtenfield, Hans F. Koenekamp
Nota: 6.3
Filme Assistido em: 1956

Elenco

Virginia Mayo Helena
Pier Angeli Débora
Jack Palance Simão, o mágico
Paul Newman Basílio
Walter Hampden José de Arimatéia
Lorne Greene Pedro
Alexander Scourby Lucas
Joseph Wiseman Mijamin
David J. Stewart Adão
Herbert Rudley Linus
Jacques Aubuchon Nero
E.G. Marshall Inácio
Michael Pate Arão
Natalie Wood Helena, quando jovem
Peter Reynolds Basílio, quando garoto
Mort Marshall Benjie
Booth Colman Hiram
Albert Dekker Kester
Lawrence Dobkin Efraim
Beryl Machin Eulalia
Leo Curley Senador
Anthony Eustrel Máximus
Mel Welles Marcos
Woody Strode Mouro
Charles Bewley Comandante romano
Baynes Barron Guarda pretoriano

Prêmios

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Revelação Masculina (Paul Newman)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Fotografia (William V. Skall)

Oscar de Melhor Trilha Sonora de uma Comédia ou Drama (Franz Waxman)

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Em Antioquia, no ano 20 D.C., um abastado grego de nome Inácio adota uma criança talentosa a quem dá o nome de Basílio. Em sua nova casa, o garoto faz amizade com Helena, uma jovem escrava ambiciosa e, incentivado por Inácio, cresce para se tornar um talentoso escultor. Quando Inácio morre, seu irmão Linus suborna os funcionários para privar Basílio de sua herança e depois vendê-lo como um escravo. Helena, que agora atua com seu amante, o mágico de sucesso Simão, adverte Basílio de que Linus está planejando matá-lo.

Ajudado por Lucas, um médico e discípulo de Cristo, Basílio foge para Jerusalém onde fica na casa de Arão, um judeu, cujo pai, José de Arimatéia, retirou Cristo da cruz e o sepultou num sepulcro da família. José de Arimatéia mostra a Basílio o Santo Graal, a taça na qual Jesus bebeu durante a última ceia e pede a Basílio para projetar um Cálice de prata, com esculturas das cabeças de Jesus e de seus discípulos. Basílio atende ao seu pedido, coloca cabeças semelhantes às dos discípulos, mas é incapaz de formar uma imagem de Jesus.

Enquanto isso, Mijamin, líder de um grupo de assassinos sicários, pede a Simão, o mágico, para ajudá-lo a levantar um exército, realizando truques milagrosos para atrair os cristãos para o seu grupo. Simão, que sonha em ser mais do que um mago comum, convence Mijamin para ajudá-lo a criar uma nova religião. Para desmoralizar os cristãos, eles decidem roubar o Graal e esmagá-lo publicamente na presença do discípulo cristão Pedro, contra o qual Simão guarda rancor por longa data. Basílio, ao saber que Helena está em Jerusalém, assiste a uma performance de Simão. Quando este compara-se a Jesus, a neta de José de Arimatéia, Débora, o acusa de blasfêmia, incitando a multidão contra ela.

Basílio a ajuda a escapar da ira da multidão. Mais tarde, ele apresenta o Cálice quase terminado a José de Arimatéia, que então pede-lhe para ir à Roma encontrar-se com Pedro. Sentindo a relutância de Basílio em viajar até Roma, José procura fazer com que ele se case com sua neta a fim de que esta possa herdar sua fortuna. Embora alegando que seu verdadeiro amor é Helena, Basílio concorda em desposar Débora a fim de que esta fique apta, segundo a lei, a herdar a fortuna do avô.

Os dois se casam em uma cerimônia privada pouco antes da morte de José de Arimatéia. Depois que o casal viaja para Antioquia a fim de pegar o ouro deixado por José, Simão e Mijamin vão até a casa de Arão a fim de roubarem o Cálice de prata, mas não o encontram. Os dois decidem, então, seguir os recém-casados. No acampamento em que Basílio e Débora se encontram, como o casal dorme em barracas separadas, Mijamin consegue roubar o Cálice, mas Basílio o segue e o recupera. Depois de deixar Débora e o Cálice em Antioquia, Basílio segue para Roma a fim de se encontrar com Pedro. Lá, ele encontra Kester, testemunha de sua adoção, que promete ajudá-lo a recuperar sua própria herança.

Tendo sido persuadido por Helena para ir à Roma, Simão rapidamente ganha a simpatia de Nero, mas a atenção do imperador alimenta seus delírios de grandeza. Prometendo voar como um pássaro para a glória de Nero, Simão espera a conclusão de uma torre de 100 metros de altura para alçar voo.

Ao saber do casamento de Basílio, a ciumenta Helena convence Nero a convidá-lo para que ele faça um busto do imperador, fazendo assim com que o artista trabalhe na Corte.

Enquanto Basílio realiza seu trabalho, ele testemunha as execuções de cristãos de sua janela. Irritado, começa a rezar fervorosamente e o rosto de Cristo aparece para ele, levando-o a abandonar a confecção do busto de Nero. Por outro lado, com o Cálice concluído, na manhã seguinte um mensageiro o leva secretamente até Pedro. O mensageiro ainda o informa que Débora se encontra em Roma.

Depois de concluída a torre, o imperador e uma multidão de cidadãos romanos se reúnem na praça da Torre para assistirem ao milagre de Simão. Este, acreditando ser Deus, ignora as súplicas de Helena e salta da torre, caindo morto diante de todos.

Sentindo-se traída, a multidão se torna incontrolável e Nero, temendo ser agredido, inventa outro entretenimento. Ordena à Helena que suba até o alto da torre e voe, dizendo-lhe que se ela for bem sucedida terá sua vida poupada. Consciente de que sua vida acabou, ela estoicamente obedece à ordem do imperador e cai aos pés da multidão.

Na confusão que se forma, Basílio encontra Débora e professa seu amor por ela. Quando o Graal e o Cálice são roubados da casa de Pedro, Basílio persegue o ladrão, mas este é morto por uma máfia antes que ele o alcance. Basílio consegue resgatar apenas um pedaço do Cálice quebrado. Mais tarde, quando ele e Débora se preparam para voltarem para a Antioquia, Pedro os abençoa e profetiza que o Graal reaparecerá quando a humanidade dele precisar.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta inglês, Victor Saville, a partir do best-seller escrito por Thomas B. Costain, “O Cálice Sagrado” não chega a ser um bom filme. Embora trate de personagens citados na Bíblia, como o apóstolo Pedro, José de Arimatéia e até o mago Simão (Atos dos Apóstolos 8, 8 a 11), não se trata de um filme bíblico.

Trata-se do último filme dirigido por Saville e, por outro lado, marca a estreia no cinema do ator Paul Newman aos 29 anos. Este achou sua atuação tão ruim que chegou a pedir desculpas ao público através de jornais da época. No elenco, o nome que se destaca é o de Jack Palance no papel de Simão.

Na área técnica, destacam-se a fotografia de William V. Skall e a trilha sonora de Franz Waxman, ambas indicadas ao Oscar.

CAA