Filmes por gênero

BONECA DE CARNE (1956)

Baby Doll
imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: A voz do desejo (Portugal)
La poupée de chair (França)
Baby Doll, la poupée de chair (Bélgica)
Baby Doll - La bambola viva (Itália)
Baby Doll (Espanha)
Baby Doll - Begehre nicht des anderen Weib (Alemanha)
Babuci (Hungria)
Куколка (União Soviética)
Pais: Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: Elia Kazan
Roteiro: Tennessee Williams
Produção: Elia Kazan
Música Original: Kenyon Hopkins
Fotografia: Boris Kaufman
Edição: Gene Milford
Direção de Arte: Richard Sylbert
Figurino: Anna Hill Johnstone
Guarda-Roupa: Flo Transfield
Maquiagem: Robert Jiras
Efeitos Sonoros: Edward J. Johnstone
Nota: 8.5
Filme Assistido em: 1958

Elenco

Karl Malden Archie Lee Meighan
Carroll Baker Baby Doll Meighan
Eli Wallach Silva Vacarro
Mildred Dunnock Tia Rose Comfort
Lonny Chapman Rock
Eades Hogue Xerife
Noah Williamson Policial
Rip Torn Dentista
Madeleine Sherwood Enfermeira

Prêmios

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Revelação Masculina (Eli Wallach)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Direção (Elia Kazan)

Prêmio de Melhor Revelação Feminina (Carroll Baker)

Indicações

Academia de Artes Cinematográficas de Hollywood, EUA

Oscar de Melhor Atriz (Carroll Baker)

Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante (Mildred Dunnock)

Oscar de Melhor Fotografia em Preto e Branco (Boris Kaufman)

Oscar de Melhor Roteiro Adaptado (Tennessee Williams)

Academia Britânica de Cinema e Televisão, Inglaterra

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Atriz Estrangeira (Carroll Baker)

Prêmio de Melhor Ator Estrangeiro (Karl Malden)

Prêmios Globo de Ouro, EUA

Prêmio de Melhor Ator em um Drama (Karl Malden)

Prêmio de Melhor Atriz em um Drama (Carroll Baker)

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Eli Wallach)

Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante (Mildred Dunnock)

Círculo dos Críticos de Cinema de Nova York, EUA

Prêmio de Melhor Direção (Elia Kazan)

Grêmio dos Roteiristas da América

Prêmio de Melhor Roteiro de um Drama Americano (Tennessee Williams )

Videoclipes

70 anos de cinema

Sinopse

Na região do delta do Mississipi, a jovem Baby Doll de dezenove anos, vive infeliz com o marido de meia-idade, Archie Lee Meighan, dono de um descaroçador de algodão. Na realidade, ela se casou aos dezoito anos, quando seu pai, no leito de morte, fez com que Archie lhe prometesse que esperaria que ela fizesse vinte anos de idade para fazer sexo com ela.

O casal vive em uma mansão em ruínas, com a tia de Baby Doll, pois quando o imigrante siciliano Silva Vacarro trouxe um novo descaroçador de algodão para a região, o de Archie foi considerado obsoleto e ele terminou falindo. Certo dia, quando Baby Doll está a dormir em seu berço, chupando o dedo, Archie tenta fazer um buraco na parede, a fim de observá-la. Ao acordar, ela se mostra furiosa e, mais tarde, durante seu banho, ela se torna ainda mais furiosa quando ele tenta agarrá-la.

No dia seguinte, na cidade, enquanto Archie está se consultando com seu médico a respeito de seus problemas sexuais, Baby Doll, determinada a conseguir um emprego, flerta com um jovem dentista que está à procura de uma secretária. Quando o casal retorna para casa, eles veem seus móveis sendo levados, fazendo com que a jovem anuncie seu desejo de se mudar para o Motel Cotton King. Enquanto isso, Vacarro dá aos seus empregados um peixe para celebrar sua primeira safra bem sucedida. Durante as comemorações, que inclui o discurso de um senador, um embriagado Archie incendeia o descaroçador de algodão de Vacarro. Indignado, este tenta contar para a polícia que foi vítima de um incêndio, mas é tratado como um estrangeiro e os policiais se recusam a investigar. Na manhã seguinte, o siciliano leva vinte e sete cargas de algodão para o descaroçador de Archie, que se sente muito feliz por voltar a trabalhar.

Enquanto isso, Vacarro encontra Baby Doll e flerta com ela a fim de obter informações sobre o paradeiro de Archie na noite anterior. Depois que ela revela que o marido a deixou sozinha naquela noite, ela fica nervosa e corre para junto de Archie que, ao vê-la, bate nela e lhe proíbe de ir onde negros estiverem trabalhando. Por outro lado, ao verificar que o trabalho no descaroçador de algodão ainda não foi iniciado, por falta de uma correia, Vacarro reclama a Archie que parte, imediatamente, em busca de uma nova. No entanto, pouco tempo depois, quando um assistente de Vacarro lhe informa que conseguiu uma nova correia, ele procura Baby Doll, que se encontra chateada porque sua tia Rose Comfort, que mora com ela, saiu de casa para ir ao hospital, onde ela satisfaz sua paixão por doces, ao visitar pacientes terminais e comer seus bombons de chocolate.

Em seguida, ela explica, para surpresa de Vacarro, que sua situação conjugal depende da volta dos móveis que foram levados de sua casa. Quando ela entra pra fazer uma limonada, pedindo-lhe para esperá-la na varanda da frente, ele entra sorrateiramente e começa a fazer barulhos para assustá-la. Em seguida, os dois começam um jogo de esconde-esconde e Baby Doll termina se trancando em seu quarto. Irritado, ele diz que vai quebrar a porta, a menos que ela assine um depoimento que ele preparou, culpando Archie pelo incêndio de seu descaroçador de algodão. Quando ele, finalmente, arromba a porta, ela grita por temer que o frágil assoalho do sótão venha a ceder.

Chorando, ela assina o depoimento e, quando ele se prepara para sair, ela se oferece para deixá-lo tirar uma soneca em seu berço. Enquanto isso, na loja de peças, não dispondo de dinheiro para comprar a correia, Archie se vê obrigado a se desfazer de seu relógio de ouro. Em seguida, ele corre para o descaroçador de algodão e descobre que o reparo já havia sido feito. De volta à sua casa, ele é acusado por Baby Doll do incêndio criminoso. Na ocasião, ela lhe diz que o acordo deles acabou e, quando Vacarro aparece, ela revela que o siciliano decidiu não reconstruir seu descaroçador de algodão, preferindo trazer seu algodão para ser processado ali. Confuso, Archie pede que Vacarro fique para o jantar, enquanto ele analisa sua proposta.

Quando Archie está ao telefone, Baby Doll e Vacarro se beijam e, logo depois, desconfiado, ele começa a gritar com a tia Rose para servir o jantar. Irritado, ele decide expulsá-la e, em seguida, se mostra perplexo quando Vacarro a contrata para ser sua cozinheira. Descontrolado, Archie acusa Baby Doll e Vacarro de o terem traído, mas o siciliano jura que está ali apenas para pegar a declaração que o incrimina pelo incêndio de seu descaroçador de algodão. Desesperado, Archie pega seu rifle, enquanto Vacarro se esconde em uma árvore. Depois de chamar a polícia, Baby Doll junta-se a Vacarro, atrás da árvore, enquanto Archie, frustrado e esgotado, finalmente cai em lágrimas clamando o nome de Baby Doll.

Depois que a polícia chega e toma a arma de Archie, Vacarro se apresenta com a declaração que o incrimina, ameaçando levá-la para o xerife do Condado. Antes de sair, ele promete retornar no dia seguinte com mais algodão. Em seguida, quando o xerife se prepara para levar Archie preso, este observa quando Baby Doll entra em casa, exatamente no momento em que o relógio marca meia-noite, sinalizando o esperado vigésimo aniversário da jovem. Uma transformada Baby Doll comenta com a tia Rose que elas deverão esperar até o dia seguinte para saberem se elas serão lembradas ou esquecidas pelo estranho siciliano.

imagem

Comentários

Realizado pelo cineasta Elia Kazan, a partir de um roteiro escrito por Tennessee Williams, “Boneca de Carne” é um excelente filme norte-americano produzido pela Newtown Productions em 1956. Embora não apresente a mínima cena de sexo, na época, o filme foi proibido de ser apresentado em diversos estados americanos, face a um forte movimento liderado pala Igreja Católica, que o acusava de abusar de cenas sensuais envolvendo a atriz Carroll Baker, na época com vinte e cinco anos.

Na direção, Kazan, demonstrando mais uma vez seu completo domínio da câmera, nos brinda com mais um belo trabalho, no que é ajudado pela brilhante fotografia em preto e branco, assinada por Boris Kaufman. No elenco, Carroll Baker e Eli Wallach brilham em seus respectivos papéis, seguidos pelas excelentes atuações de Karl Malden e Mildred Dunnock.

Enfim, “Boneca de Carne” é um filme que recomendo fortemente.

CAA