Filmes por gênero

UMA PAIXÃO EM FLORENÇA (2000)

Up at the Villa
imagem imagem imagem

Ficha Técnica

Outros Títulos: Il suffit d'une nuit (França, Canadá francês)
Una notte per decidere (Itália)
El misterio de la Villa (Espanha)
Die Villa (Alemanha)
Pais: Reino Unido, Estados Unidos
Gênero: Drama
Direção: Philip Haas
Roteiro: Belinda Haas
Produção: Geoff Stier
Design Produção: Paul Brown
Música Original: Pino Donaggio
Direção Musical: Timothy R. Sexton
Fotografia: Maurizio Calvesi
Edição: Belinda Haas
Direção de Arte: Livia Borgognoni, Anna Deamer
Figurino: Paul Brown
Guarda-Roupa: Catherine Buyse Dian, Marco Magno, Jane Hamilton
Maquiagem: Joan Giacomin, Maurizio Silvi , Laura Borselli e outros
Efeitos Sonoros: John Midgley, Frank Morrone, Mark Pappas e outros
Efeitos Especiais: Franco Galiano, Riccardo Ricci, Roberto Ricci e outros
Efeitos Visuais: Eric Person
Nota: 6.7
Filme Assistido em: 2002

Elenco

Kristin Scott Thomas Mary Panton
Sean Penn Rowley Flint
Anne Bancroft Princesa San Ferdinando
James Fox Sir Edgar Swift
Derek Jacobi Lucky Leadbetter
Jeremy Davies Karl Richter
Massimo Ghini Peppino Leopardi
Dudley Sutton Harold Atkinson
Lorenza Indovina Nina
Roger Hammond Colin Mackenzie
Linda Spurrier Hilda Grey
Ben Aris Cel. Trail
Anne Ridler Lady Trail
Anne Bell Beryl Bryson
Barbara Hicks Lulu
Gianfranco Barra Peppino
Gretchen Given Isa Mackenzie

Sinopse

Em plena Florença de 1938, a jovem viúva britânica, Mary Panton, acha-se hospedada numa luxuosa Villa.  Um grande amigo, Sir Edgar Swift, cerca de 25 anos mais velho que ela, chega à cidade para propor-lhe casamento.  Embora ache que ele tem inúmeras qualidades e goste de sua companhia, Mary sente que não o ama o suficiente para se casar e, delicadamente, pede-lhe um tempo para pensar em sua proposta.

Ao falar sobre o assunto com sua amiga, a Princesa San Ferdinando, uma viúva de cerca de 70 anos de idade, esta lhe fala que o importante para uma mulher é garantir um futuro economicamente seguro.  A princesa cita seu próprio caso, quando se casou com um rico italiano tão feio que chegava a espantar os cavalos, o que não a impediu de ter seus casos extraconjugais com jovens interessantes.  Mary lhe responde, sem querer ofendê-la, que acha que mulheres respeitáveis não usam dessa prática.  Voltando a falar em Sir Edgar, ela confidencia que o que a fascina é o fato dela poder vir a ser a Primeira Dama da sociedade britânica em Calcutá, já que ele está para ser nomeado Governador de Bengala.

Durante um jantar oferecido pela princesa, Mary conhece Rowley Flint, um abastado americano, casado, mas separado da mulher.  Logo à primeira vista, Flint tenta envolvê-la e levá-la para a cama, mas ela reage com um tapa no rosto.  Ao retornar à Villa, naquela mesma noite, ela quase atropela Karl Richter, jovem refugiado e estudante de arte, que conhecera no jantar quando ele tocou violino para os convidados.  Ao pedir-lhe desculpas pelo incidente, ela lhe oferece carona, ocasião em que ele comenta ter ouvido dizer que a Villa onde ela se encontra tem um lindo jardim e um maravilhoso tríptico sobre o Dia do Julgamento.  Encantada com o interesse do rapaz pela arte, Mary o convida para conhecer o jardim e o tríptico de que falara.  Uma vez na Villa, depois de lhe mostrar as obras de arte, ela se deixa envolver pela figura daquele refugiado simples, carente, e o leva para a cama.

Na noite seguinte, ao se preparar para dormir, Mary se assusta com o retorno à sua casa de Karl.  O rapaz se diz apaixonado e quer ficar à força com ela.  Ela tenta convencê-lo de que não o ama, mas ele se mantém irredutível, a ponto dela o ameaçar com uma arma.  Ele lhe pede que atire, já que não tem nada a perder, mas ela não consegue apertar o gatilho.  Calmamente, ele toma a arma de suas mãos e se suicida.  Apavorada, Mary pede ajuda a Rowley.

Ao chegar à Villa, Rowley sugere que chamem a polícia, mas ela lhe diz que um eventual escândalo pode prejudicar Sir Edgar.  Os dois resolvem levar o corpo para um matagal afastado.  Em seguida, Rowley leva a arma a fim de limpá-la.  Entretanto, é apanhado com a mesma e a polícia fascista descobre que ela se acha registrada em nome de Sir Edgar.  Rowley é preso e Mary colocada sob suspeita.  Esta, no entanto, tem acesso a documentos que incriminam Peppino Leopardi, chefe da polícia local, por crimes fiscais cometidos no passado, e os usa para chantageá-lo e conseguir a liberdade de Rowley.

Sir Edgar retorna à Florença para saber sua resposta ao pedido de casamento que lhe fizera.  Ela lhe conta todo o ocorrido.  Apaixonado, ele lhe diz que nada altera o que sente por ela.  Mary pede-lhe que não insista pois, como já lhe dissera, o admira muito mas não o ama.  Resignado, ele se despede e viaja em seguida.

No dia seguinte, Mary faz as malas e decide voltar para Londres.  Ao embarcar num trem em Florença, encontra-se com Rowley que está indo à Paris.  Os dois vão até o vagão-restaurante tomar um drinque juntos...

imagem imagem imagem

Comentários

"Uma Paixão em Florença" é uma adaptação para o cinema do romance homônimo de W. Somerset Maugham.  Realizado pelo cineasta Philip Haas, o filme se passa pouco antes do início da 2ª Guerra Mundial e gira em torna de uma jovem viúva inglesa que é desejada e cortejada por vários homens: um lorde britânico, um rico americano, um refugiado austríaco e um chefe de polícia italiano.

Embora não se trate de uma obra excepcional, Haas consegue realizar um trabalho de direção eficiente, conduzindo o espectador a um mundo onde o casamento é, para muitas mulheres, uma forma de conseguirem status e segurança.

A bela fotografia de Maurizio Calvesi e o bom design de produção retratam muito bem a Florença e seus arredores do final dos anos 30.

Kristin Scott Thomas está maravilhosa no papel central.  Entre os demais membros do elenco, merecem ainda ser destacadas as atuações da fabulosa Anne Bancroft e de Sean Penn.

CAA